Pular para o conteúdo principal

Diálogo entre filosofia e cristianismo


Filosofia  x Cristianismo

O diálogo entre cristianismo e filosofia sempre foi acentuadamente complicado, ambos os lados, cristãos e filósofos  se autodenominavam adversários (pelo menos no campo das ideias).
O apóstolo paulo chegou a declarar na sua carta aos  colossenses capítulo  2 versículo 8:
Tende cuidado, para que ninguém vos faça presa sua, por meio de filosofias e vãs sutilezas, segundo a tradição dos homens, segundo os rudimentos do mundo, e não segundo cristo;

No primeiro século houve uma  luta intelectual   entre o cristianismo e o mundo clássico da cultura grega.  
Os intelectuais ridicularizavam os cristãos. Segundo eles, não se pode entender a Mensagem cristã. Somente para os fanáticos esta é aceitável. A fé dos cristãos é uma fé cega , eles creem sem que a razão  possa iluminar a lógica da fé.

Porém, a filosofia grega, principalmente o platonismo, não era absolutamente incompreensível e incompatível  ao cristianismo, mas as exigências implícitas de fé da religiosidade cristã impediam uma proximidade maior com a filosofia grega.
A fé é um atributo não filosófico, ou seja, a filosofia não trabalha com argumentos religiosos em suas elucubrações.Por isso havia dificuldade de aproximação.
Paulo também chegou a dizer:
Mas nós pregamos a cristo crucificado, que é escândalo para os judeus, e loucura para os gregos. 1 coríntios 1:23
Logo, o cristianismo era considerado loucura para os gregos. Entende-se daí que a filosofia grega nunca aceitaria os dogmas da fé e, por outro lado, o cristianismo nunca se envolveria com as questões filosóficas.

Mas, passando-se o tempo,   a admissão de que o cristianismo comporta uma filosofia própria foi partilhada por autores, como Justino de Roma, clemente de Alexandria, Orígenes e Agostinho de Hipona. 
Clemente exercitará sua hermenêutica e desenvolverá sua teologia, ou antes, sua filosofia cristã, que ele denominará, verdadeira filosofia, ou o verdadeiro conhecimento. Ele foi um dos primeiros a  tentar conciliar razão e fé, cristianismo e filosofia.
Desde lá muitos são os filósofos que abraçaram o cristianismo: Agostinho, Anselmo da Cantuária, Tomás de Aquino, Martinho Lutero, Sören Kierkegaard, entre muitos outros.

Mas como seria este diálogo entre fé e cristianismo?



Comentários

Total de visualizações