Pular para o conteúdo principal

Como não pregar a um homossexual





Fiquei sabendo estes dias, sobre alguém que havia sido abordado por um
  evangélico que desejava  falar de Jesus para esta ele. A pessoa abordada, era um homossexual. As primeiras palavras do "evangélico" foram típicas : Jesus te ama -mas logo depois ele  começou a atacar a homossexualidade do ouvinte, fazendo com que o mesmo virasse as costas e partisse indignado. Eis um caso de evangelismo fracassado.

Talvez o homossexual tenha pensado:  " isso é homofobia, não posso aceitar que tentem me impor suas crenças, não posso aceitar que me falem de Jesus que ama e, ao mesmo tempo, manda para o inferno os gays e lésbicas!"


Esse tipo de abordagem é irracional, mas ainda comum. E isso é preocupante, pois estamos afastando as pessoas de Cristo ao invés de aproximá-las agindo com esta intolerância.
Podemos levar uma ovelha às fontes de água, mas não podemos obrigá-la a beber. Podemos argumentar e contra argumentar para que um pecador deixe as práticas que desagradam a Deus, mas nunca o convenceremos. Jesus disse :



"Conhecereis a verdade e a verdade vos libertara"
 João 8.32



Nada além da verdade pode libertar um ser humano do pecado.E a verdade que liberta é a Palavra de Deus.

Temos que pregar a verdade, e nós que estudamos a Bíblia sabemos que ela condena o homossexualismo. 

Então por que não mostrar isto claramente ao pecador?

Bom, eu respondo que nós devemos mostrar isto ao pecador. Mas existe a forma e o momento correto de abordar uma pessoa que está nesta situação. O momento do evangelismo pessoal não é esse momento.  A obra de santificação só começa depois da justificação, não se pode inverter esta sequência. Primeiro temos de evangelizar, falar de Cristo, depois sim, através do discipulado e da instrução bíblica, fazer com que a pessoa entenda que deve deixar muitas práticas impróprias em sua vida, ou seja , o pecado, para servir a Deus. O processo de santificação é longo e cheio de desafios, a igreja deve estar atenta a seus membros para ajudar.

Mas veja que o cristão em pauta começou bem, ele fala do amor de Jesus pela pessoa evangelizada. Porém em seguida ele começa a atacar a homossexualidade do ouvinte como se este fosse o único pecado a ser combatido naquela vida. Ele esquece que o Senhor quer muito mais do que libertá-lo deste pecado, quer  comunhão plena, quer livrar aquela alma de todo e qualquer vestígio de pecado no seu coração. E isso não é realizado do dia para a noite.
Ele deveria  convidar apara assistir a um culto em uma Igreja local que seja comprometida com a Palavra. Ou ainda, falar que Jesus veio para salvar o homem que está perdido e apresentar o plano de salvação. 
De algum modo a salvação será desenvolvida na comunhão da Igreja, se Deus , por sua misericórdia, alcançar aquele indivíduo.
A medida que esta pessoa começar a frequentar os cultos e a Palavra de Deus for adequadamente pregada, o próprio Espírito Santo se encarregará de remover as impurezas da vida desta pessoa.



Mesmo assim, se a pessoa ainda não se afastar do pecado, cabe ao líder da Igreja local aconselhar e ensinar a pessoa para que ela se veja livre desta situação complicada.

Mas o meu objetivo aqui é demonstrar que não devemos nos precipitar, nem tentar fazer uma obra que não é nossa, é de Deus.
  Abordagens descuidadas magoam as pessoas e as afastam de Deus. Nosso papel é mostrar aos pecadores que Jesus salva  e liberta de todo o pecado e não especificamente de algum. 
E ele quer comunhão com pecadores perdoados.







Postado em
 16 de out de 2013.

Comentários

Blog do Vitor pelo mundo- agora

Total de visualizações