Pular para o conteúdo principal

Métodos - Usinagem do Cristão


No último post, falamos um pouco sobre a Usinagem deCristão, ou seja ,  o trabalho realizado na vida do cristão para que ele se transforme em uma peça útil na engrenagem da Igreja.
Destacamos o papel das várias  ferramentas empregadas nesta transformação
Neste post falaremos sobre os métodos  utilizados  na usinagem destas peças, seus principais problemas e faremos algumas sugestões para adequação dos mesmos.

Método

Todo processo de fabricação de peças possui um método específico para sua execução, este processo é chamado de técnica. Uma usinagem precisa de uma técnica apurada e bem testada para que não ocorram erros. Um erro no planejamento e desenvolvimento do método  ocasiona  um grande desastre, pois isso acarreta sérios defeitos em  todas as peças  .
O próprio Jesus estimulou o planejamento e o método para quem decide participar da Igreja.

"E aquele que não carrega sua cruz e não me segue não pode ser meu discípulo. Qual de vocês, se quiser construir uma torre, primeiro não se assenta e calcula o preço, para ver se tem dinheiro suficiente para completá-la?” Lc 14. 7-28

A Igreja precisa desenvolver com muito cuidado os métodos de formação e ensino de seus membros.
Os novos convertidos precisam ser instruídos  sobre os pilares da fé com uma base bíblica bem fundamentada. A isso chamamos de discipulado bíblico.

Os crentes já mais antigos precisam ser constantemente relembrado das grandes doutrinas de Cristo. O meio que deve ser usado para este fim pode ser o mais variado possível: seminários, simpósios, estudos, Escola Bíblica Dominical, entre outros.
E isto tudo precisa ser bem organizado e dirigido pelo pastor e sua diretoria. Para que o método seja o mais livre de erros possível ele precisa passar por uma constante revisão pela diretoria e por pessoas que possuam conhecimento bíblico relevante.  Tudo isto deve ocorrer de modo sistemático e periódico, sem falhas nem mudanças abruptas.
Todo estes projetos devem ser acompanhados de oração constante e devoção sincera para que o Espírito Santo possa prover sabedoria aos líderes do Rebanho. 
Podemos  chamar de este método de CGC - Crescendo na Graça e no Conhecimento.

Existe muita resistência hoje, nas denominações em implantar métodos, como o sugerido aqui. A principal objeção levantada é a de que devemos ser guiados pelo Espírito Santo na hora do  culto e nas reuniões e que , por isso, planejamento não combina com espiritualidade.Os líderes evangélicos temem que o planejamento endureça a nossa dinâmica cristã, por isso evitam a todo custo uma organização doutrinária mais sólida e firme.
                                
Este é um grande equívoco.Organização não deve ser confundida com liturgia formalista. Planejamento é determinar um plano para alcançar o objetivo, designar pessoas e treiná-las para executar os objetivos.
A Igreja precisa de métodos bem elaborados para ganhar e fortificar as pessoas que aceitam a Cristo.
Estas pessoas são peças fundamentais para a construção da obra de Deus. Planejando, sistematizando e organizando  um método  de trabalho estamos na verdade mostrando para Deus que nós desejamos o melhor para a Igreja. O Senhor se agrada de pessoas compromissadas,.
A Bíblia recomenta a organização:

“Quem planeja com cuidado terá fartura, mas o apressado acaba passando necessidade.” Pv 21.5    



Métodos falhos ( ou ausência de métodos) geram peças defeituosas.









Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os Pais capadócios

A região da Capadócia (também conhecida como Província da Capadócia) era localizada na área centro-oriental da Anatólia na moderna Turquia. Era um dos domínios romanos da região da Ásia Menor. Os Pais Capadócios foram três notáveis teólogos que viveram nesta região entre os concílios de Niceia (325) e o de Constantinopla (381). Sendo que suas contribuições para o Concilio constantinopolitano foram especialmente  relevantes. São eles  Basílio, Gregório de Nazianzo e Gregório de Nissa  e ficaram  conhecidos como os  Padres Capadócios.
Os três foram grandes amigos do assim chamado “Campeão da Ortodoxia” Atanásio, ou Atanásio de Alexandria , e criaram fórmulas para desenvolver a doutrina da Trindade de forma a ser aceita pela maioria dos teólogos da época. Basílio de Cesaréia e Gregório de Nissa eram irmãos, sendo que Basílio, que era seis anos mais velho, foi quem ensinou os princípios elementares da fé a seu irmão mais novo Gregório. Gregório de Nazianzo foi amigo íntimo dos dois, compartil…

“Eu te conheci no deserto, em terra muito seca.” (Oseias 13.5.)

O povo de Israel estava sofrendo sobremaneira na terra do Egito e isto já durava 400 anos. Deus  então ouviu o clamor de Israel quando o povo estava na escravidão . Moisés foi usado para libertar o povo. Israel então saiu, livre, para o deserto. Foi ao sair do Egito que eles viram o poder de Deus manifestado. Jamais um povo viu tantas manifestações grandiosas do poder do Altíssimo como Israel na Terra de Faraó. Por dez vezes o povo que os escravizara fora castigado por Deus  de maneira sobrenatural, e Israel viu tudo isso e ficou ileso. Castigos como água transformada em sangue,  plantações destruídas, primogênitos mortos. Mas Israel esteve protegido e não sofreu estas assolações. Mas não foi lá que eles  aprenderam quem era Deus. Foi  na terra seca e inabitável do deserto do Neguev, onde não havia água nem comida e o sol era ardente, que a nação escolhida conheceu ao Senhor. Hoje também, Jesus nos resgatou da maldição do pecado e nos colocou no caminho da vida eterna. Estamos livres e se…

Filipe o Evangelista - Vivendo na Dinâmica do Espírito

Filipe Diácono e Evangelista Filipe foi um evangelista, foi  um dos primeiros seguidores de Jesus e  um dos Setenta Discípulos (Lucas 10) . Junto com Estêvão, era um dos sete “homens acreditados, cheios de espírito e de sabedoria” , escolhidos para a distribuição de alimentos entre as viúvas cristãs em Jerusalém (Atos 6:1-6).  Filipe foi a Samaria; proclamou ali o evangelho, realizou milagres,  e como resultado muitos aceitaram a mensagem e foram batizados ( veja Atos 8.4-13). Logo depois batizou um eunuco da Etiópia e foi "arrebatado" até Asdode, de onde seguiu pregando até Cesareia. Anos mais tarde, morou em Cesareia, onde pregava com suas quatro filhas. Por volta do ano 56d.C. foi visitado por Paulo e Lucas que ficaram por um tempo em sua casa.  A tradição diz que ele residiu em Trales se tornando bispo da Igreja local.  Vamos a o relato mais significativo da vida de Filipe. A história de Filipe e o Etíope.

Atos 8.26-40
26 -  Mas um anjo do Senhor falou a Filipe, dizendo: Lev…