Pular para o conteúdo principal

O êxito humilde e a queda orgulhosa. Provérbios 16.18 - 18.12

Provérbios 16.18: “O orgulho vem antes da destruição; o espírito altivo, antes da queda”.

Provérbios 18.12: “Antes da sua queda o coração do homem se envaidece, mas a humildade antecede a honra”.



Muito se fala em humildade, dos frutos de um caráter humilde e dos benefícios para os relacionamentos interpessoais que primem pela nobreza. Afinal ser humilde é sim, ser nobre. Contudo, precisamos nos preocupar com o oposto da humildade ( soberba) e quais são as suas consequências para a nossa vida cotidiana e nosso relacionamento com Deus.
Apesar de desejarmos um caráter humilde, precisamos entender o que não é o ser humilde, ou seja, o que é o ser orgulhoso para que possamos melhor identificar cada ação. A Bíblia é excelente, pois  ela nos traz verdades eternas sobre Deus, nosso próximo e, que incrível, ela também fala muito sobre o comportamento do ser humano, fazendo com isso que todo aquele que lê possa analisar e poder, em Deus, corrigir os seus atos
A Palavra de Deus nos relata em diversos textos, em especial nos Salmos e Provérbios, comparações e conselhos práticos para lidarmos com o orgulho e de quê forma Deus vê o orgulho naqueles que professam o seu nome.
É necessário que entendamos que Deus corrige o Filho a quem ama, não nos deixando impunes. E se o orgulho se manifestar em nossas vidas por ausência de vigilância, o Senhor tratará conosco de modo a indicar o melhor caminho a ser tomado. O caminho da humildade.
Aquele que confessa o Senhor na sua vida deseja agradá-lo;   seu coração,  sua mente deseja buscar ao Senhor e dedicar ao Senhor suas ações e pensamentos. O orgulho é traiçoeiro, ele pode “saltar” em nossas ações  e reações quando estamos nos relacionando com outros. Sim, pois é na relação com o nosso próximo que o orgulho e a humildade são provados.
Podemos agir com orgulho quando anulamos o nosso próximo de forma a esperar dele apenas o  seu reconhecimento, para amaciar nosso ego inflamado de soberba. Podemos ver esse mal agir quando formos repreendidos não aceitarmos a correção e olharmo-nos somente como donos da razão, cheios da verdade.
E a instrução de Deus pela Bíblia não ocultou exemplos de como devemos agir para lidarmos com o pecado do orgulho. Certa feita em uma conversa com a mocidade, o líder dos jovens deu o exemplo contrastante de Davi e de Saul, em seus reinados, ao executar o serviço que Deus lhes havia concedido. Ele relatou sobre a vida de Davi e Saul. Davi teve incontáveis erros,  apesar de Davi ser um homem segundo o coração de Deus ele teve problemas em sua vida familiar, sua vida íntima e até mesmo errou algumas vezes em seu reinado.
Saul poucas vezes apresenta falhas, contudo há um contraste notável entre o seu caráter e o caráter de Davi.   Davi após ser admoestado pelo profeta Natã quebranta-se, humilha-se e por consequência de seu arrependimento recebe o perdão do Senhor. Já Saul, ao ser corrigido pelo profeta Samuel, após oferecer sacrifícios apressadamente, justifica-se, apresenta desculpas para o seu erro. Qual agiu corretamente perante Deus?
Os dois erraram, qual agiu com correção?
Davi abraçou a humildade, Saul justificando-se só mostrou o orgulho que havia dentro de seu íntimo.
E o que dizer do Salmo 51 que revela o coração arrependido e humilde do servo de Deus, o salmista, que apesar de sua falha revelou um coração contrito e quebrado por haver ferido o coração de Deus?
Os dois provérbios que estão expostos no início nos lembram da queda produzida pelo orgulho humano. É  interessante notar que toda a vez que buscamos apoiar, a vida, a família, vida profissional, carreira em nossa própria força , no braço humano, passamos a olhar os êxitos como se nossos fossem. Desta forma, é natural que agindo “sozinhos” por nossa responsabilidade, tropeçamos, e os dissabores que acompanham a queda sempre serão resultados desta atitude altiva e independente.
A leitura da Palavra de Deus equilibra a alma e sempre mostra o caminho correto a seguir. Desperta o homem do sono do orgulho o deixando acordado para a realidade obscura de seu interior .
Sendo assim, resta ao coração que deseja servir observar que terá de lutar a cada dia contra a altivez de espírito, orando em todo o tempo para que Deus ilumine o seu pensar e dependente de Deus agir com piedade e com o coração de servo que Cristo teve despindo-se da Glória, morrendo a nossa morte de forma cruel. Assim devemos nós, morrer para o orgulho tomando a cruz dia a dia em humildade e servidão. À Deus seja a Glória!




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os Pais capadócios

A região da Capadócia (também conhecida como Província da Capadócia) era localizada na área centro-oriental da Anatólia na moderna Turquia. Era um dos domínios romanos da região da Ásia Menor. Os Pais Capadócios foram três notáveis teólogos que viveram nesta região entre os concílios de Niceia (325) e o de Constantinopla (381). Sendo que suas contribuições para o Concilio constantinopolitano foram especialmente  relevantes. São eles  Basílio, Gregório de Nazianzo e Gregório de Nissa  e ficaram  conhecidos como os  Padres Capadócios.
Os três foram grandes amigos do assim chamado “Campeão da Ortodoxia” Atanásio, ou Atanásio de Alexandria , e criaram fórmulas para desenvolver a doutrina da Trindade de forma a ser aceita pela maioria dos teólogos da época. Basílio de Cesaréia e Gregório de Nissa eram irmãos, sendo que Basílio, que era seis anos mais velho, foi quem ensinou os princípios elementares da fé a seu irmão mais novo Gregório. Gregório de Nazianzo foi amigo íntimo dos dois, compartil…

Trindade Imanente e Trindade Econômica

Não se pode estudar Teologia do ponto de vista ortodoxo sem refletir a respeito da doutrina Trindade. A grande maioria das Igrejas cristãs abraça esta doutrina. Ela é básica para o Cristianismo.  A Declaração típica do credo cristão histórico é: Cremos em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo .
Os judeus do tempo de Jesus davam muita ênfase à unidade de Deus, e esta ênfase foi trazida para dentro da igreja cristã. Não muito tempo depois,  estudiosos da Bíblia notaram que a Unidade ensinada no Judaísmo não era tão evidente assim como se entendia na época. Analisando as afirmações de Cristo e as revelações do apóstolo Paulo chegou-se a conclusão de uma Triunidade, também chamada de  Trindade .
Tertuliano (ca. 160 - ca. 220 d.C.) foi o teólogo responsável pelo desenvolvimento do termo Trindade, ele criou a palavra “Trindade” (no latim, Trinitas), esse termo desde a sua época tornou-se característico da teologia cristã. Muitos teólogos do cristi…

“Eu te conheci no deserto, em terra muito seca.” (Oseias 13.5.)

O povo de Israel estava sofrendo sobremaneira na terra do Egito e isto já durava 400 anos. Deus  então ouviu o clamor de Israel quando o povo estava na escravidão . Moisés foi usado para libertar o povo. Israel então saiu, livre, para o deserto. Foi ao sair do Egito que eles viram o poder de Deus manifestado. Jamais um povo viu tantas manifestações grandiosas do poder do Altíssimo como Israel na Terra de Faraó. Por dez vezes o povo que os escravizara fora castigado por Deus  de maneira sobrenatural, e Israel viu tudo isso e ficou ileso. Castigos como água transformada em sangue,  plantações destruídas, primogênitos mortos. Mas Israel esteve protegido e não sofreu estas assolações. Mas não foi lá que eles  aprenderam quem era Deus. Foi  na terra seca e inabitável do deserto do Neguev, onde não havia água nem comida e o sol era ardente, que a nação escolhida conheceu ao Senhor. Hoje também, Jesus nos resgatou da maldição do pecado e nos colocou no caminho da vida eterna. Estamos livres e se…