Pular para o conteúdo principal

Tratando as agressões - Salmo 119.42

Assim terei que responder ao que me afronta, pois confio na tua palavra.  Salmos 119:42


  
Quando levamos um soco nossa tendência é erguer o punho e devolver com força. Ninguém é de ferro, depois do soco , a  ira ainda continua , ela tomou conta do nosso ser,  somos levados a agredir mais e mais até que a ira esteja satisfeita.
Pior do que um soco, às vezes, uma palavra pode ferir muito mais. Uma ofensa, um ultraje, uma calúnia, dirigidas contra nossas vidas podem fazer sangrar nossa alma, machucar profundamente nosso  íntimo. Nem uma tunda pode doer tanto.

E neste caso somos levando também a revidar, com mais força e violência ainda. E o pior é que quando revidamos (geralmente) levamos junto uma carga muito maior de ofensa do que recebemos. Isso é próprio do ser humano, faz parte de sua natureza pecadora.
Mas esse não deve ser o ideal do cristão. Naturalmente, Cristo não nos chamou para sermos inertes e passivos, aceitarmos qualquer agressão sem nos defender. Nós temos o direito de nos defender.  Porém não dá forma como o mundo ensina .  Jesus se defendeu das acusações injustas dos fariseus, Paulo argumentou com o sinédrio. Nós também, em caso de agressão física temos todo o direito de nos defender para evitar o pior. Mas aqui não vou tratar da defesa da integridade física, vamos falar de agressões morais e verbais.
Sobre isso, é necessário que aprendamos a nos defender sem agredir, fazer com que nossa resposta às afrontas sejam   maduras, espirituais, francas e firmes  e que sempre sejam restauradoras.
Agressão nunca foi uma resposta apropriada. Nosso dever não é julgar, não é punir a pessoa, isso não é conosco, isso é com o Senhor. Mesmo agredidos devemos perdoar e tentar esquecer a ofensa.Uma resposta firme e saudável, mesmo que seja confrontadora não deverá vir regada de ira nem contenda. Sem ironias, sem desprezos, sem maldade. Firmes e com amor, sempre. Lembre-se a vingança não restaura , mas amplia as mágoas.
Existe uma grande diferença entre o médico que usa o bisturi para cortar , fazer uma incisão cirúrgica na ferida e depois sará-la  e o ímpio que usa da faca para cortar e matar quem o está agredindo. Os dois cortaram , mas um foi para curar outro para se vingar.
Muitas vezes é preciso ser como este médico que usa o bisturi para  cortar a carne  , expor a ferida , para depois limpá-la e tratá-la; nós , em alguns casos, precisamos ser duros e inflexíveis com quem nos afronta, mas não para ferir e magoar esta pessoa, mas para fazê-la parar, refletir e mudar suas atitudes. 

Diante de certas ofensas ficamos sem respostas, boquiabertos , sem saber o que dizer. Agressões que nos fazem chorar em alguns casos. Não é tão raro que estas afrontas venham até mesmo de amigos queridos, de dentro da família, do esposo ou esposa. Neste caso é ainda mais evidente que  você quer responder, precisa dizer algo, mas não deseja destruir a pessoa, não quer machucá-la.

Saber responder é uma grande virtude, e aprender exige comunhão com Deus, e  conhecimento bíblico. Quem conhece a Palavra, confia nela acima de tudo e usa esta Palavra para responder aos que o confrontam.
A Palavra de Deus é o bisturi que o médico chamado Espírito Santo utiliza para que respondamos e tratemos satisfatoriamente as agressões. 
O salmista confiava que sempre saberia responder as afrontas, Deus o ajudaria, as Escrituras lhe garantiriam saber suficiente para tal.
O Senhor vela pela sua Palavra e quem faz dela uso correto será honrado.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os Pais capadócios

A região da Capadócia (também conhecida como Província da Capadócia) era localizada na área centro-oriental da Anatólia na moderna Turquia. Era um dos domínios romanos da região da Ásia Menor. Os Pais Capadócios foram três notáveis teólogos que viveram nesta região entre os concílios de Niceia (325) e o de Constantinopla (381). Sendo que suas contribuições para o Concilio constantinopolitano foram especialmente  relevantes. São eles  Basílio, Gregório de Nazianzo e Gregório de Nissa  e ficaram  conhecidos como os  Padres Capadócios.
Os três foram grandes amigos do assim chamado “Campeão da Ortodoxia” Atanásio, ou Atanásio de Alexandria , e criaram fórmulas para desenvolver a doutrina da Trindade de forma a ser aceita pela maioria dos teólogos da época. Basílio de Cesaréia e Gregório de Nissa eram irmãos, sendo que Basílio, que era seis anos mais velho, foi quem ensinou os princípios elementares da fé a seu irmão mais novo Gregório. Gregório de Nazianzo foi amigo íntimo dos dois, compartil…

“Eu te conheci no deserto, em terra muito seca.” (Oseias 13.5.)

O povo de Israel estava sofrendo sobremaneira na terra do Egito e isto já durava 400 anos. Deus  então ouviu o clamor de Israel quando o povo estava na escravidão . Moisés foi usado para libertar o povo. Israel então saiu, livre, para o deserto. Foi ao sair do Egito que eles viram o poder de Deus manifestado. Jamais um povo viu tantas manifestações grandiosas do poder do Altíssimo como Israel na Terra de Faraó. Por dez vezes o povo que os escravizara fora castigado por Deus  de maneira sobrenatural, e Israel viu tudo isso e ficou ileso. Castigos como água transformada em sangue,  plantações destruídas, primogênitos mortos. Mas Israel esteve protegido e não sofreu estas assolações. Mas não foi lá que eles  aprenderam quem era Deus. Foi  na terra seca e inabitável do deserto do Neguev, onde não havia água nem comida e o sol era ardente, que a nação escolhida conheceu ao Senhor. Hoje também, Jesus nos resgatou da maldição do pecado e nos colocou no caminho da vida eterna. Estamos livres e se…

Filipe o Evangelista - Vivendo na Dinâmica do Espírito

Filipe Diácono e Evangelista Filipe foi um evangelista, foi  um dos primeiros seguidores de Jesus e  um dos Setenta Discípulos (Lucas 10) . Junto com Estêvão, era um dos sete “homens acreditados, cheios de espírito e de sabedoria” , escolhidos para a distribuição de alimentos entre as viúvas cristãs em Jerusalém (Atos 6:1-6).  Filipe foi a Samaria; proclamou ali o evangelho, realizou milagres,  e como resultado muitos aceitaram a mensagem e foram batizados ( veja Atos 8.4-13). Logo depois batizou um eunuco da Etiópia e foi "arrebatado" até Asdode, de onde seguiu pregando até Cesareia. Anos mais tarde, morou em Cesareia, onde pregava com suas quatro filhas. Por volta do ano 56d.C. foi visitado por Paulo e Lucas que ficaram por um tempo em sua casa.  A tradição diz que ele residiu em Trales se tornando bispo da Igreja local.  Vamos a o relato mais significativo da vida de Filipe. A história de Filipe e o Etíope.

Atos 8.26-40
26 -  Mas um anjo do Senhor falou a Filipe, dizendo: Lev…