Pular para o conteúdo principal

Salmos Imprecatórios

Salmo 6  -   Salmo 7  -  Salmo 35  -   Salmo 40   -   Salmo 55  -  Salmo 58   -  Salmo 59  -    Salmo 69  - 
   Salmo 79  -  Salmo 109       


Salmos imprecatórios são salmos que expressam de maneira dura, realista e viva, os  sentimentos de ira dos salmistas contra os ímpios.  As palavras destes versos  são  fortes e agressivas,  elas , em muitas vezes   confrontam  nossa   sensibilidade cristã. As imprecações  são um  veículo literário de vibração fogosa da alma semita, fortemente imaginativa e realista, mostra o ímpeto de uma alma que está fervendo de ódio contra o mal. Um ódio justo, que reflete um coração preocupado com a pureza e a santidade do povo de Deus.   

Para fazermos uma apreciação justa deste tipo de salmo precisamos entender que a realidade vivida pelos salmistas que compunham estas imprecações era bem diferente da nossa. Eles não haviam ainda sido ensinados pelas palavras de Jesus e nem ensinados pelo Apóstolo Paulo  sobre o amor universal de Deus pelos seres humanos .  Para estes poetas , o povo israelita era o povo escolhido por Deus , a nação em que habitava Sua Glória. Os inimigos do povo hebreu eram inimigos do Senhor, e deveriam ser aniquilados pela justiça divina. Esse era o sentimento latente destes salmos.
Além disto os salmitas não estava desejando a morte pela morte, nem a destruição daqueles que simplesmente não haviam nascido hebreus,  na verdade  eles ansiavam pela justiça do Senhor sobre os ímpios, sobre os maus que maltratavam os justos. Não era o caso de estarem desejando a ira pela ira e a morte pela morte. Era uma retribuição moral que os salmistas desejavam.
Através dos salmos imprecatórios percebemos a ferocidade da ira divina sobre os cruéis, os devassos, sobre os malignos, sobre os que assolam os justos. Deus usou seus salmitas para expressarem o ódio que Ele mesmo sentia contra a injustiça.
O ódio contra os malignos compreende-se atendendo a que eles não eram simples inimigos pessoais, mas gente que punha em perigo a fidelidade à Lei do Senhor, tentadores, encarnação das potências do mal, gente que com as suas maquinações tentava afastar o justo da prática religiosa. Eram muitas vezes seres repulsivos que adoravam ídolos e ,não raro, queimavam seus próprios filhos em altares para suas práticas rituais. 



Fazendo uma aplicação prática para os dias de hoje, obviamente á luz das palavras de Jesus 

Eu, porém, vos digo: Amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem; (Mat. 5.44)


Naturalmente , não devemos supor que estas orações devam ser o modelo de nossas orações. Jesus nos ensinou a amar nossos inimigos. A moral cristã é bem exigente com relação a isso. Não encontramos porém contradição entre os salmos imprecatórios e os ensinos de Cristo , visto que  estas passagens do AT queriam nos ensinar sobre a ira de Deus que repousa sobre as injustiças e maldades que os homens cometem, além de nos mostrarem como a impiedade comove e inquieta o verdadeiro filho de Deus. De fato, os salmos imprecatórios estariam bem adequados àquele ensinamento de Jesus no Sermão da Montanha:

Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque eles serão fartos”. Mateus 5:6  






Comentários

Blog do Vitor pelo mundo- agora

Total de visualizações