Pular para o conteúdo principal

Salmos Imprecatórios

Salmo 6  -   Salmo 7  -  Salmo 35  -   Salmo 40   -   Salmo 55  -  Salmo 58   -  Salmo 59  -    Salmo 69  - 
   Salmo 79  -  Salmo 109       


Salmos imprecatórios são salmos que expressam de maneira dura, realista e viva, os  sentimentos de ira dos salmistas contra os ímpios.  As palavras destes versos  são  fortes e agressivas,  elas , em muitas vezes   confrontam  nossa   sensibilidade cristã. As imprecações  são um  veículo literário de vibração fogosa da alma semita, fortemente imaginativa e realista, mostra o ímpeto de uma alma que está fervendo de ódio contra o mal. Um ódio justo, que reflete um coração preocupado com a pureza e a santidade do povo de Deus.   

Para fazermos uma apreciação justa deste tipo de salmo precisamos entender que a realidade vivida pelos salmistas que compunham estas imprecações era bem diferente da nossa. Eles não haviam ainda sido ensinados pelas palavras de Jesus e nem ensinados pelo Apóstolo Paulo  sobre o amor universal de Deus pelos seres humanos .  Para estes poetas , o povo israelita era o povo escolhido por Deus , a nação em que habitava Sua Glória. Os inimigos do povo hebreu eram inimigos do Senhor, e deveriam ser aniquilados pela justiça divina. Esse era o sentimento latente destes salmos.
Além disto os salmitas não estava desejando a morte pela morte, nem a destruição daqueles que simplesmente não haviam nascido hebreus,  na verdade  eles ansiavam pela justiça do Senhor sobre os ímpios, sobre os maus que maltratavam os justos. Não era o caso de estarem desejando a ira pela ira e a morte pela morte. Era uma retribuição moral que os salmistas desejavam.
Através dos salmos imprecatórios percebemos a ferocidade da ira divina sobre os cruéis, os devassos, sobre os malignos, sobre os que assolam os justos. Deus usou seus salmitas para expressarem o ódio que Ele mesmo sentia contra a injustiça.
O ódio contra os malignos compreende-se atendendo a que eles não eram simples inimigos pessoais, mas gente que punha em perigo a fidelidade à Lei do Senhor, tentadores, encarnação das potências do mal, gente que com as suas maquinações tentava afastar o justo da prática religiosa. Eram muitas vezes seres repulsivos que adoravam ídolos e ,não raro, queimavam seus próprios filhos em altares para suas práticas rituais. 



Fazendo uma aplicação prática para os dias de hoje, obviamente á luz das palavras de Jesus 

Eu, porém, vos digo: Amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem; (Mat. 5.44)


Naturalmente , não devemos supor que estas orações devam ser o modelo de nossas orações. Jesus nos ensinou a amar nossos inimigos. A moral cristã é bem exigente com relação a isso. Não encontramos porém contradição entre os salmos imprecatórios e os ensinos de Cristo , visto que  estas passagens do AT queriam nos ensinar sobre a ira de Deus que repousa sobre as injustiças e maldades que os homens cometem, além de nos mostrarem como a impiedade comove e inquieta o verdadeiro filho de Deus. De fato, os salmos imprecatórios estariam bem adequados àquele ensinamento de Jesus no Sermão da Montanha:

Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque eles serão fartos”. Mateus 5:6  






Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os Pais capadócios

A região da Capadócia (também conhecida como Província da Capadócia) era localizada na área centro-oriental da Anatólia na moderna Turquia. Era um dos domínios romanos da região da Ásia Menor. Os Pais Capadócios foram três notáveis teólogos que viveram nesta região entre os concílios de Niceia (325) e o de Constantinopla (381). Sendo que suas contribuições para o Concilio constantinopolitano foram especialmente  relevantes. São eles  Basílio, Gregório de Nazianzo e Gregório de Nissa  e ficaram  conhecidos como os  Padres Capadócios.
Os três foram grandes amigos do assim chamado “Campeão da Ortodoxia” Atanásio, ou Atanásio de Alexandria , e criaram fórmulas para desenvolver a doutrina da Trindade de forma a ser aceita pela maioria dos teólogos da época. Basílio de Cesaréia e Gregório de Nissa eram irmãos, sendo que Basílio, que era seis anos mais velho, foi quem ensinou os princípios elementares da fé a seu irmão mais novo Gregório. Gregório de Nazianzo foi amigo íntimo dos dois, compartil…

Trindade Imanente e Trindade Econômica

Não se pode estudar Teologia do ponto de vista ortodoxo sem refletir a respeito da doutrina Trindade. A grande maioria das Igrejas cristãs abraça esta doutrina. Ela é básica para o Cristianismo.  A Declaração típica do credo cristão histórico é: Cremos em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo .
Os judeus do tempo de Jesus davam muita ênfase à unidade de Deus, e esta ênfase foi trazida para dentro da igreja cristã. Não muito tempo depois,  estudiosos da Bíblia notaram que a Unidade ensinada no Judaísmo não era tão evidente assim como se entendia na época. Analisando as afirmações de Cristo e as revelações do apóstolo Paulo chegou-se a conclusão de uma Triunidade, também chamada de  Trindade .
Tertuliano (ca. 160 - ca. 220 d.C.) foi o teólogo responsável pelo desenvolvimento do termo Trindade, ele criou a palavra “Trindade” (no latim, Trinitas), esse termo desde a sua época tornou-se característico da teologia cristã. Muitos teólogos do cristi…

A Importância da Reforma nos nossos dias

A Importância da Reforma nos nossos dias

Olá irmãos em Cristo. Estamos em clima de festa, pois no dia 31 de outubro comemoramos o aniversário da Reforma Protestante. E a convite do meu amigo Vitor, estou aqui para fazer um breve texto sobre a importância da Reforma nos nossos dias atuais.
Pouco se ouve falar da Reforma nos nossos dias atuais. A mídia tenta encobrir essa data com o Halloween, e as escolas quando falam sobre o assunto, na maioria dos casos, coloca os reformadores como os “vilões” da história.
A Reforma começou na Alemanha, no ano de 1517, quando o então cardeal da Igreja Católica Martinho Lutero se opôs a algumas regras e normas impostas pela Igreja Católica, como as indulgências, proibição de qualquer pessoa ler a Bíblia, o uso de imagens de santos nos cultos etc. E então, no dia 31 de outubro de 1517, Lutero coloca na parede da Catedral de Wittenberg as suas 95 Teses. E nessas teses, Lutero coloca suas oposições à grande parte daquilo que o catolicismo pregava, propagand…