Pular para o conteúdo principal

BONS PROFESSORES E PROFESSORES FASCINANTES




Bons professores são eloquentes, professores fascinantes conhecem o funcionamento da mente.
Bons professores têm uma boa cultura acadêmica e transmitem com segurança e eloquência as informações em sala de aula. Os professores fascinantes ultrapassam essa meta.
Os professores fascinantes transformam a informações em conhecimento e o conhecimento em experiência. Por isso, estão sempre trazendo as informações que transmitem para a experiência de vida.
Bons professores possuem metodologia, professores fascinantes possuem sensibilidade.

Bons professores falam com a voz, professores fascinantes falam com os olhos. Bons professores são didáticos, professores fascinantes vão além. Possuem sensibilidade para falar ao coração dos seus alunos.
Professores fascinantes é mestre da sensibilidade. Eles enxergam o mundo com os olhos de uma águia.
Bons professores educam a inteligência lógica, professores fascinantes educam a emoção.
Os bons professores ensinam seus alunos a explorar o mundo em que estão, do imenso espaço ao pequeno átomo. Professores fascinantes ensinam os alunos a explorar o mundo que são, o seu próprio ser. Sua educação segue as notas da emoção.

Os professores fascinantes sabem que trabalhar com a emoção é mais complexo do que trabalhar com os mais intricados cálculos da física e da matemática. A emoção pode transformar ricos em paupérrimos, intelectuais em crianças, poderosos em frágeis seres.
Bons professores usam a memória como deposito de informações, professores fascinantes usam-se como suporte da arte de pensar.
Bons professores usam a memória como armazém de informações, professores fascinantes usam a memória como suporte da criatividade.
Bons professores cumprem o conteúdo programático das aulas, professores fascinantes também cumprem o conteúdo programático, mas seu objetivo fundamental é ensinar os alunos a serem pensadores e não repetidores de informações.
Professores fascinantes formam pensadores que são autores da sua história.
Bons professores são mestres temporários, professores fascinantes são mestres inesquecíveis.

Um bom professor é lembrado nos tempos de escola. Um professor fascinante é um mestre inesquecível.
Um bom professor procura os alunos, um professor fascinante é procurado por eles.

Um bom professor é admirado, um professor fascinante é amado.
Um bom professor se preocupa com as notas dos seus alunos, um professor fascinante se preocupa em transformá-los em engenheiros de ideias.
Bons professores corrigem comportamentos, professores fascinantes resolvem conflitos em sala de aula.
Professores fascinantes encantam sua classe com gestos inesperados. Eles levam os alunos a pensar, a mergulhar dentro de si mesmos, a se confrontar consigo mesmos.
Bons professores educam para uma profissão,  professores  fascinantes  educam para a vida.
Um bom professor educa seus alunos para uma profissão, um professor fascinante os educa para a vida. Professores fascinantes são profissionais revolucionários. Ninguém sabe avaliar o seu poder, nem eles mesmos.

Os professores fascinantes mudam paradigmas, transformam o destino de um povo e um sistema social sem armas, tão-somente por prepararem seus alunos para a vida através do espetáculo das suas ideias.
Os professores fascinantes são promotores de auto-estima. Da uma atenção especial aos alunos desprezados, tímidos e que recebem apelidos pejorativos. Sabem que eles podem ser encarcerados por seus traumas. Por isso, como poetas da vida, estendem a sua mão e mostram-lhes sua capacidade interior. Estimulam-nos a usar a dor como adubo para seu crescimento. Deste modo, eles os preparam pra sobreviver nas tormentas sociais.
Os professores fascinantes objetivam que seus alunos sejam livres de si mesmos.
Os professores fascinantes são formadores de empreendedores.
Os professores fascinantes preparam alunos para explorarem o desconhecido, para não terem medo de falhar, mas medo de não tentar. Ensine-os a conquistar experiências originais, através da observação de pequenas mudanças e da correção de grandes rotas.
Os professores fascinantes levam os jovens a ter flexibilidade no trabalho e na vida, pois só não muda de ideia quem não é capaz de produzi-la. Leve-os a extrair de cada lagrima uma lição de vida.


Autor . Lourival Pita Junior

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os Pais capadócios

A região da Capadócia (também conhecida como Província da Capadócia) era localizada na área centro-oriental da Anatólia na moderna Turquia. Era um dos domínios romanos da região da Ásia Menor. Os Pais Capadócios foram três notáveis teólogos que viveram nesta região entre os concílios de Niceia (325) e o de Constantinopla (381). Sendo que suas contribuições para o Concilio constantinopolitano foram especialmente  relevantes. São eles  Basílio, Gregório de Nazianzo e Gregório de Nissa  e ficaram  conhecidos como os  Padres Capadócios.
Os três foram grandes amigos do assim chamado “Campeão da Ortodoxia” Atanásio, ou Atanásio de Alexandria , e criaram fórmulas para desenvolver a doutrina da Trindade de forma a ser aceita pela maioria dos teólogos da época. Basílio de Cesaréia e Gregório de Nissa eram irmãos, sendo que Basílio, que era seis anos mais velho, foi quem ensinou os princípios elementares da fé a seu irmão mais novo Gregório. Gregório de Nazianzo foi amigo íntimo dos dois, compartil…

“Eu te conheci no deserto, em terra muito seca.” (Oseias 13.5.)

O povo de Israel estava sofrendo sobremaneira na terra do Egito e isto já durava 400 anos. Deus  então ouviu o clamor de Israel quando o povo estava na escravidão . Moisés foi usado para libertar o povo. Israel então saiu, livre, para o deserto. Foi ao sair do Egito que eles viram o poder de Deus manifestado. Jamais um povo viu tantas manifestações grandiosas do poder do Altíssimo como Israel na Terra de Faraó. Por dez vezes o povo que os escravizara fora castigado por Deus  de maneira sobrenatural, e Israel viu tudo isso e ficou ileso. Castigos como água transformada em sangue,  plantações destruídas, primogênitos mortos. Mas Israel esteve protegido e não sofreu estas assolações. Mas não foi lá que eles  aprenderam quem era Deus. Foi  na terra seca e inabitável do deserto do Neguev, onde não havia água nem comida e o sol era ardente, que a nação escolhida conheceu ao Senhor. Hoje também, Jesus nos resgatou da maldição do pecado e nos colocou no caminho da vida eterna. Estamos livres e se…

Filipe o Evangelista - Vivendo na Dinâmica do Espírito

Filipe Diácono e Evangelista Filipe foi um evangelista, foi  um dos primeiros seguidores de Jesus e  um dos Setenta Discípulos (Lucas 10) . Junto com Estêvão, era um dos sete “homens acreditados, cheios de espírito e de sabedoria” , escolhidos para a distribuição de alimentos entre as viúvas cristãs em Jerusalém (Atos 6:1-6).  Filipe foi a Samaria; proclamou ali o evangelho, realizou milagres,  e como resultado muitos aceitaram a mensagem e foram batizados ( veja Atos 8.4-13). Logo depois batizou um eunuco da Etiópia e foi "arrebatado" até Asdode, de onde seguiu pregando até Cesareia. Anos mais tarde, morou em Cesareia, onde pregava com suas quatro filhas. Por volta do ano 56d.C. foi visitado por Paulo e Lucas que ficaram por um tempo em sua casa.  A tradição diz que ele residiu em Trales se tornando bispo da Igreja local.  Vamos a o relato mais significativo da vida de Filipe. A história de Filipe e o Etíope.

Atos 8.26-40
26 -  Mas um anjo do Senhor falou a Filipe, dizendo: Lev…