Pular para o conteúdo principal

Halloween x Reforma Protestante.




Existem muitas coisas que são perfeitamente opostas. Claro e escuro, preto e branco, bem e mal, luz e trevas, Estes são exemplos de elementos inconciliáveis, ideias notavelmente contrárias. Um é diametralmente oposto ao outro.  Algumas vezes, estas coisas nos são expostas juntas para que suas propriedades mais contraditórias  passem despercebidas. Assim, o elemento mais exposto ofusca o que recebe menos destaque.

No dia 31 de outubro muitas pessoas irão participar de festas de "Halloween", popularmente chamado de "Dia das Bruxas" no Brasil.  No mesmo 31 de outubro se comemora  uma das datas mais importantes para os evangélicos, a Reforma Protestante . Se hoje alguém pode dizer que é Evangélico e Protestante a sua história foi mudada em 31 de outubro de 1517 na “Reforma Protestante”.
É impressionante a habilidade de muitos em inverter os fatos. A páscoa já não traz o legado da morte e ressurreição de Cristo (I Co 11) e sim ovos, coelhos e chocolates; o que dizer da festa joanina, ou seja, junina, quem pode se lembrar da mensagem de arrependimento através de fogueiras, bandeiras, rojões e quadrilhas? As bruxas tomaram o lugar dos reformados, a abóbora substitui a Bíblia e as travessuras os atos históricos de homens como Lutero, Calvino e Zuínglio e outros.
Então, vamos esclarecer, o que é Halloween;
Sua origem data de tempos antigos, quando os druidas (magos de origem celta) realizavam cerimônias de adoração ao "deus da morte" ou ao "senhor da morte" em 31 de outubro. Isso acontecia na cerimônia "Samhain" durante o festival de inverno, na qual eram oferecidos sacrifícios humanos.  Havia também o festival da colheita, onde se faziam grandes fogueiras para assustar os espíritos. Para que estes fossem embora, as pessoas saiam pelas ruas carregando velas acesas e nabos esculpidos com rostos humanos, vestidos de modo mais assustador possível. 
Nos Estados Unidos o Halloween chegou no século 19. A abóbora é símbolo de imortalidade para os celtas e juntando-se ao preto que significa a morte em muitas culturas, fazem o par perfeito para o ritualismo .
Notamos que essa festa, pintada como inocente, tem estreita ligação com práticas ocultistas.

Na década de 20 a antiga tradição virou brincadeira e hoje é uma das principais festas do país. Crianças saem fantasiadas pelas ruas batendo nas portas, dizendo “trick or treat”,literalmente travessuras ou gostosuras, para ganhar doces, tudo isto no dia das bruxas.”
A festa de origem pagã dissemina, principalmente entre crianças e jovens, ideias e imagens que não correspondem aos princípios e valores cristãos. As imagens valorizadas no Halloween são negativas e contrárias à prática da piedade cristã.


O que é Reforma Protestante?
 Em meados do ano 300 d.C., com o imperador Constantino (que se tornou cristão em 312 d.C.) a igreja  juntou-se ao Estado.
Por que uma reforma? As expectativas do povo do século XVI era obter ter salvação e os líderes da igreja romana, começaram a negociar essa salvação – daí surgiram as  indulgências e as relíquias sagradas da igreja. Estava no poder dos clérigos romanos o conceder o divino perdão aos pecadores para que lhes fosse possível a entrada nos céus. Para obter este perdão eram  feitos todo tipo de exigências, especialmente na forma de doações em  dinheiro, as chamadas indulgências.
Foi nesse momento que apareceu na história da igreja um monge agostiniano, que lutou por mudanças na igreja. (o desejo não era uma cisão; e sim uma reforma).
 O Protesto: 31 de outubro de 1517 – Martinho Lutero fixa as 95 teses na porta do castelo de Witemberg.
Com essa bandeira os reformadores conseguiram expressar o que acreditavam ser a vivência do evangelho verdadeiro.
Os reformadores passaram a ser chamados de protestantes pela sua reação inesperada e corajosa de protestarem em favor da ortodoxia bíblica e da liberdade religiosa na Alemanha.
Em 1521, o Edito de Worms proibiu que as obras de Lutero fossem ensinadas, mas o reformador já havia conquistado parte do povo e a liberdade religiosa com as verdades  bíblicas. Surgiram então as Igrejas Protestantes, os Luteranos, Anabatistas, menonitas , mais adiante os calvinistas entre outras.


Contradição absoluta
 O que há em comum entre a Reforma Protestante e o Hallowee?
Só a data. A data foi comercial e religiosamente interessante. Desde o século IV a Igreja da Síria consagrava um dia para festejar "Todos os Mártires". Três séculos mais tarde o Papa Bonifácio IV transformou um templo romano dedicado a todos os deuses (Panteão) num templo cristão e o dedicou a "Todos os Santos", a todos os que nos precederam na fé.  A festa em honra de Todos os Santos, inicialmente era celebrada no dia 13 de maio, mas o Papa Gregório III mudou a data para 1º de novembro, que era o dia da dedicação da capela de Todos os Santos na Basílica de São Pedro, em Roma. Mais tarde, no ano de 840, o Papa Gregório VI ordenou que a festa de Todos os Santos fosse celebrada universalmente. Como festa grande, esta também ganhou a sua celebração vespertina ou vigília, que prepara a festa no dia anterior (31 de outubro). Na tradução para o inglês, essa vigília era chamada All Hallow’s Eve (Vigília de Todos os Santos), passando depois pelas formas All Hallowed Eve e "All Hallow Een" até chegar à palavra atual "Halloween".
Para a Igreja Romana o esquecimento, ou ofuscamento da comemoração protestante passou a ser mais importante que o combate ao paganismo, sendo que a festa foi sendo gradativamente combatida nas comunidades católicas romanas. Desde então o esquecimento é quase completo de uma das datas Magnas do Protestantismo.

A Contradição acentuada entre os dois eventos acentua o brilho da Reforma mas nossa sociedade não o pode suportar este brilho. Ela está inebriada pela “magia” e encantada pela mística sobrenatural do Halloween.  Nada é mais natural que uma sociedade vazia de valores comemore o Halloween, isso condiz com sua decadência . A grande tendência comercial deste evento tornou indispensável a comemoração desta festa pagã.
A Igreja não deve fazer parte deste tipo de festa, temos algo infinitamente superior para festejar: a Reforma que começou a 495 anos atrás, se estende até hoje e continuará até a vinda do Senhor Jesus Cristo.
A Igreja verdadeira peleja corajosamente pela verdade e não se conforma com a paganização da sociedade.
Seguindo o modelo confrontador do Mestre Jesus, aprendido por Paulo ,Lutero, Calvino e outros que protestaram contra a inverdade de seu tempo seremos a legítima Igreja Protestante.

Que Cristo nos dê ousadia.


Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Os Pais capadócios

A região da Capadócia (também conhecida como Província da Capadócia) era localizada na área centro-oriental da Anatólia na moderna Turquia. Era um dos domínios romanos da região da Ásia Menor. Os Pais Capadócios foram três notáveis teólogos que viveram nesta região entre os concílios de Niceia (325) e o de Constantinopla (381). Sendo que suas contribuições para o Concilio constantinopolitano foram especialmente  relevantes. São eles  Basílio, Gregório de Nazianzo e Gregório de Nissa  e ficaram  conhecidos como os  Padres Capadócios.
Os três foram grandes amigos do assim chamado “Campeão da Ortodoxia” Atanásio, ou Atanásio de Alexandria , e criaram fórmulas para desenvolver a doutrina da Trindade de forma a ser aceita pela maioria dos teólogos da época. Basílio de Cesaréia e Gregório de Nissa eram irmãos, sendo que Basílio, que era seis anos mais velho, foi quem ensinou os princípios elementares da fé a seu irmão mais novo Gregório. Gregório de Nazianzo foi amigo íntimo dos dois, compartil…

“Eu te conheci no deserto, em terra muito seca.” (Oseias 13.5.)

O povo de Israel estava sofrendo sobremaneira na terra do Egito e isto já durava 400 anos. Deus  então ouviu o clamor de Israel quando o povo estava na escravidão . Moisés foi usado para libertar o povo. Israel então saiu, livre, para o deserto. Foi ao sair do Egito que eles viram o poder de Deus manifestado. Jamais um povo viu tantas manifestações grandiosas do poder do Altíssimo como Israel na Terra de Faraó. Por dez vezes o povo que os escravizara fora castigado por Deus  de maneira sobrenatural, e Israel viu tudo isso e ficou ileso. Castigos como água transformada em sangue,  plantações destruídas, primogênitos mortos. Mas Israel esteve protegido e não sofreu estas assolações. Mas não foi lá que eles  aprenderam quem era Deus. Foi  na terra seca e inabitável do deserto do Neguev, onde não havia água nem comida e o sol era ardente, que a nação escolhida conheceu ao Senhor. Hoje também, Jesus nos resgatou da maldição do pecado e nos colocou no caminho da vida eterna. Estamos livres e se…

Filipe o Evangelista - Vivendo na Dinâmica do Espírito

Filipe Diácono e Evangelista Filipe foi um evangelista, foi  um dos primeiros seguidores de Jesus e  um dos Setenta Discípulos (Lucas 10) . Junto com Estêvão, era um dos sete “homens acreditados, cheios de espírito e de sabedoria” , escolhidos para a distribuição de alimentos entre as viúvas cristãs em Jerusalém (Atos 6:1-6).  Filipe foi a Samaria; proclamou ali o evangelho, realizou milagres,  e como resultado muitos aceitaram a mensagem e foram batizados ( veja Atos 8.4-13). Logo depois batizou um eunuco da Etiópia e foi "arrebatado" até Asdode, de onde seguiu pregando até Cesareia. Anos mais tarde, morou em Cesareia, onde pregava com suas quatro filhas. Por volta do ano 56d.C. foi visitado por Paulo e Lucas que ficaram por um tempo em sua casa.  A tradição diz que ele residiu em Trales se tornando bispo da Igreja local.  Vamos a o relato mais significativo da vida de Filipe. A história de Filipe e o Etíope.

Atos 8.26-40
26 -  Mas um anjo do Senhor falou a Filipe, dizendo: Lev…