Pular para o conteúdo principal

Prosperando financeiramente . Jeremias 29.11

Porque sou eu que conheço os planos que tenho para vocês”, diz o Senhor, “planos de fazê-los prosperar e não de lhes causar dano, planos de dar-lhes esperança e um futuro. Jeremias 29.11


Que fique claro, eu não farei uma defesa da *Teologia da Prosperidade, ensinada e amplamente difundida no meio evangélico atualmente. Não irei por este caminho.
O que eu proponho é um pensamento bíblico sobre a prosperidade financeira. 
Sei que é um assunto  polêmico , mas não podemos ficar sempre à margem dos temas polêmicos. Vamos pois, enfrentá-los.

Deus quer que prosperemos financeiramente?

Fazer a pergunta de forma correta evita que  pessoas mal informadas possam prejudicar a vida dos cristãos através de ensinos errôneos que extrapolam o pensamento bíblico. Entendemos que seja da vontade de Deus é que sejamos prósperos financeiramente, disso não temos dúvidas. Porém , antes precisamos avaliar o que Deus NÃO DIZ,  e o que a Bíblia NÃO ENSINA:

Deus NÃO DIZ e a  Bíblia NÃO ENSINA, que não passaremos dificuldades financeiras.
Deus NÃO DIZ e a  Bíblia NÃO ENSINA,  que seremos todos ricos e abastados.
Deus NÃO DIZ e a  Bíblia NÃO ENSINA,  para confiarmos nas riquezas.
Deus NÃO DIZ e a  Bíblia NÃO ENSINA,  que precisamos ter muito dinheiro para sermos felizes.

Apesar disto , percebemos o que a Bíblia ensina :

“Entrega o teu caminho ao Senhor; confia nele, e o mais ele fará.” Salmos 37.5

Este versículo deixa bem claro que Deus supre as nossas necessidades. Todas as nossas necessidades, isto inclui,  sem deixar dúvidas, as questões financeiras.

Eu não gosto da tendência atual de alguns professores, pastores e pregadores  de fazer  apologia à pobreza, como se todo crente fosse necessariamente obrigado a ser pobre para ser feliz.  Por mais absurdo que isso pareça , é isso que ouvimos de muitos deles. É comum do ser humano corrigir o excesso com  um excesso oposto. Por muito ouvirem os excessos da Teologia da Prosperidade enveredam para a  Teologia da Pobreza ( termo cunhado por mim). Mas o Senhor não quer excessos,  mas sim equilíbrio.
Não posso afirmar que riquezas são coisas do Diabo, que não podemos procurar melhorias na vida financeira e que devemos nos contentar em ter  uma vida medíocre.
Um cristão que se esmera em dar amor, carinho, atenção  também  pode se  preocupar  em garantir um certo conforto e qualidade de vida para sua família.  As coisas mais importantes e mais essenciais não se compram com dinheiro, é certo. Mas pense num  ar condicionado, um carro mais confortável, uma casa, um emprego mais estável , rendimentos para alguma viagem,  tudo isso pode fazer  bem à família e ao indivíduo e são  aquisições que a prosperidade financeira pode dar.  O fato é que dinheiro não é o mais importante, mas precisamos dele também.
Não se pode amar ao dinheiro, fazer dele o único alvo de nossa vida.  Não devemos idolatrar nossos bens materiais.  Priorizar o trabalho e deixar de passar momentos essenciais com a família ou indo às reuniões da Igreja.
Não podemos negligenciar nosso dever cristão de dizimar e ofertar. Se cuidarmos de tudo isso, se as nossas aquisições, nossos bens, nossa procura pela prosperidade manter  um padrão saudável de contentamento , então estaremos aptos a sermos prósperos financeiramente.

E, quando Deus concede riquezas e bens a alguém e o capacita a desfrutá-los, a aceitar a sua sorte e a ser feliz em seu trabalho, isso é um presente de Deus. 
Eclesiastes 5.19

É importante aceitar a capacidade de evoluir financeiramente como um dom, uma dádiva de Deus, que devemos receber com ação de graças e louvor. Sempre lembrando da misericórdia dEle para conosco.
Para muitos homens Deus não permite ter riquezas pois se tivessem amariam demasiado ao dinheiro e deixariam de servirem a Deus e viverem uma vida plena no Espírito Santo.
Há outros que sabem administrar seus recursos , seu tempo e suas preocupações para servirem melhor a Deus com suas riquezas.
Outro fato importante é perguntar a nós mesmos:

Por que eu quero ficar rico? Por que desejo prosperar?

Isso se chama examinar o coração. Temos que ter cuidado pois o pecado pode jazer nas nossas próprias motivações injustas. Deus não nos deseja egoístas, avarentos e apegados ao dinheiro.
Ele deseja servos justos, piedosos e que estejam dispostos a repartir com os necessidades parte do seu ganho.
Prósperos e generosos. É isso! Pensamento chave da prosperidade bíblica. Quem sabe ser generoso está no caminho da prosperidade financeira.
Não podemos fechar a nossa mão ao necessitado , estando em nosso alcance o poder de ajudá-lo.
Com muitas riquezas vem muitas responsabilidades.

O homem generoso será abençoado, porquanto reparte seu pão com o necessitado. Provérbios 22.9

Além disso, é preciso ser desapegado ao luxo e à ostentação. Quem deseja riquezas para exibir-se na sociedade não tem realmente um coração ligado à Cristo.  O único que merece destaques, glória e louvor é Cristo Jesus nosso Salvador. Destaque somente á ELE.
O servo que prospera e atinge patamar elevado de status social deve entender que tudo isso deve elevar o nome de Jesus no mundo e não o seu nome.

Podemos e devemos almejar a prosperidade, mas sem perder jamais a simplicidade.

Enfim, este é o padrão Bíblico de prosperidade financeira





* Teologia da prosperidade   é uma doutrina religiosa cristã que defende que a bênção financeira é o desejo de Deus para os cristãos e que a fé, o discurso positivo e as doações para os ministérios cristãos irão sempre aumentar a riqueza material do fiel.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os Pais capadócios

A região da Capadócia (também conhecida como Província da Capadócia) era localizada na área centro-oriental da Anatólia na moderna Turquia. Era um dos domínios romanos da região da Ásia Menor. Os Pais Capadócios foram três notáveis teólogos que viveram nesta região entre os concílios de Niceia (325) e o de Constantinopla (381). Sendo que suas contribuições para o Concilio constantinopolitano foram especialmente  relevantes. São eles  Basílio, Gregório de Nazianzo e Gregório de Nissa  e ficaram  conhecidos como os  Padres Capadócios.
Os três foram grandes amigos do assim chamado “Campeão da Ortodoxia” Atanásio, ou Atanásio de Alexandria , e criaram fórmulas para desenvolver a doutrina da Trindade de forma a ser aceita pela maioria dos teólogos da época. Basílio de Cesaréia e Gregório de Nissa eram irmãos, sendo que Basílio, que era seis anos mais velho, foi quem ensinou os princípios elementares da fé a seu irmão mais novo Gregório. Gregório de Nazianzo foi amigo íntimo dos dois, compartil…

“Eu te conheci no deserto, em terra muito seca.” (Oseias 13.5.)

O povo de Israel estava sofrendo sobremaneira na terra do Egito e isto já durava 400 anos. Deus  então ouviu o clamor de Israel quando o povo estava na escravidão . Moisés foi usado para libertar o povo. Israel então saiu, livre, para o deserto. Foi ao sair do Egito que eles viram o poder de Deus manifestado. Jamais um povo viu tantas manifestações grandiosas do poder do Altíssimo como Israel na Terra de Faraó. Por dez vezes o povo que os escravizara fora castigado por Deus  de maneira sobrenatural, e Israel viu tudo isso e ficou ileso. Castigos como água transformada em sangue,  plantações destruídas, primogênitos mortos. Mas Israel esteve protegido e não sofreu estas assolações. Mas não foi lá que eles  aprenderam quem era Deus. Foi  na terra seca e inabitável do deserto do Neguev, onde não havia água nem comida e o sol era ardente, que a nação escolhida conheceu ao Senhor. Hoje também, Jesus nos resgatou da maldição do pecado e nos colocou no caminho da vida eterna. Estamos livres e se…

Filipe o Evangelista - Vivendo na Dinâmica do Espírito

Filipe Diácono e Evangelista Filipe foi um evangelista, foi  um dos primeiros seguidores de Jesus e  um dos Setenta Discípulos (Lucas 10) . Junto com Estêvão, era um dos sete “homens acreditados, cheios de espírito e de sabedoria” , escolhidos para a distribuição de alimentos entre as viúvas cristãs em Jerusalém (Atos 6:1-6).  Filipe foi a Samaria; proclamou ali o evangelho, realizou milagres,  e como resultado muitos aceitaram a mensagem e foram batizados ( veja Atos 8.4-13). Logo depois batizou um eunuco da Etiópia e foi "arrebatado" até Asdode, de onde seguiu pregando até Cesareia. Anos mais tarde, morou em Cesareia, onde pregava com suas quatro filhas. Por volta do ano 56d.C. foi visitado por Paulo e Lucas que ficaram por um tempo em sua casa.  A tradição diz que ele residiu em Trales se tornando bispo da Igreja local.  Vamos a o relato mais significativo da vida de Filipe. A história de Filipe e o Etíope.

Atos 8.26-40
26 -  Mas um anjo do Senhor falou a Filipe, dizendo: Lev…