Pular para o conteúdo principal

Os Pobres. Deuteronômio 15:11

Pois nunca deixará de haver pobre na terra; pelo que te ordeno, dizendo: Livremente abrirás a tua mão para o teu irmão, para o teu necessitado, e para o teu pobre na tua terra. Deuteronômio 15:11


A pouco tempo escrevi sobre a prosperidade do ponto de vista bíblico, agora vou escrever sobre a pobreza do ponto de vista bíblico. 
Quero destacar aqui não a pobreza do indivíduo que ganha um salário reduzido, paga aluguel, não tem automóvel mas consegue sustentar as necessidades básicas da sua família com o que ganha. Essa seria uma espécie de pobreza abençoada, uma pobreza feliz, eu me enquadro neste caso.
Há bilhões de pessoas no mundo em situação de pobreza  e estas pessoas dificilmente tem condições de moradia, de alimentação e de vestuário. Estas pessoas contam com a solidariedade dos outros para sobreviver. Não possuem trabalho ou quando muito são trabalhadores explorados em situações de quase escravidão.  A tristeza de ver uma situação destas muitas vezes é de cortar o coração.  Estas pessoas não podem ser felizes nestas condições e não é plano de Deus que sua igreja esteja nestas condições. Este é o tipo de pobreza que nenhum crente deve considerar normal ou digna de aceitação. Algo como:
"É do plano de Deus que este ou aquele irmão nosso seja miserável..."
A Bíblia é clara e enfática quanto ao dever da Igreja de reabilitar os seus membros em situação de miséria. Jamais um verdadeiro eleito de Deus, um salvo por Jesus poderá ficar satisfeito sabendo que seu irmão está corroído de fome , sede ou frio. 
Há pessoas que falam em conscientização ambiental , em melhoria da qualidade de vida, reforma na educação, em deixar o mundo um pouco melhor. Que  tal dar um sanduíche para um faminto morador de rua,  e começando HOJE?
Há muita miséria em nosso país, há muita fome e morte por causa da falta de misericórdia da parte das pessoas.

Há porém, promessas da parte de Deus para quem se compadece do pobre , o Senhor cuida dos seus servos abnegados e obedientes.

"O que despreza ao seu vizinho peca, mas o que se compadece dos pobres é feliz. " Provérbios 14.21 

Meu querido irmão ou amigo, a pobreza sempre houve e sempre haverá e ela é uma oportunidade ímpar de nós, cristãos mostrarmos o amor de Cristo uns aos outros.
Moisés   enfatiza, neste texto de Deuteronômio, a necessidade de estarmos sempre dispostos a repartir do que ganhamos, do labor de nossas mãos, em favor do carente e necessitado.
Moisés escreve: "Eu te ordeno"
Perceba que ele encara isso não como uma sugestão, mas como um mandamento. Não há uma opção de não fazer, não há um substituto , você não pode dizer que dá o dízimo na Igreja, paga suas contas,  e tudo bem. O mandamento é claro, a ordem é para separarmos da nossa renda algo para ajudar o necessitado .
E mais:
Deus disse: "Livremente" aí  está, espontaneamente, voluntariamente, sem coação.
Não precisa que o pastor da Igreja mobilize você para isso, não é preciso que haja um mutirão para ajudar os comprometidos por uma calamidade pública para que você mostre seu amor cristão e sua disposição em ajudar.
O Senhor quer que ajamos proativamente em favor dos necessitados, voluntariamente. Parte do nosso coração fiel e temente. Sem buscar também promoção pessoal , se possível anonimamente.Notemos também que o Senhor nos chama para uma responsabilidade e um compromisso. Reveja o texto:

Livremente abrirás a tua  mão para o TEU irmão, para o TEU necessitado, e para o TEU pobre na TUA terra.

Ei, não é preciso muita inteligência para entender  que a palavra que mais se repete é a que dá o tom do texto. Perceba que há um tom pessoal , um chamamento para que ajudemos o nosso Irmão,  que é um dos nossos necessitados e é um dos nossos pobres e que mora na nossa terra.
Veio a bênção e devemos reparti-la.
Deus nos deu o emprego, bens, recursos, condições e também nos deu pobres irmãos para ajudar. Faz parte do pacote, não podemos desprezar os deveres em nome dos direitos.

Nosso dever é não negligenciarmos a Palavra  e o  mandamento de Deus. Devemos atuar em favor dos pobres. Sempre e livremente.




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os Pais capadócios

A região da Capadócia (também conhecida como Província da Capadócia) era localizada na área centro-oriental da Anatólia na moderna Turquia. Era um dos domínios romanos da região da Ásia Menor. Os Pais Capadócios foram três notáveis teólogos que viveram nesta região entre os concílios de Niceia (325) e o de Constantinopla (381). Sendo que suas contribuições para o Concilio constantinopolitano foram especialmente  relevantes. São eles  Basílio, Gregório de Nazianzo e Gregório de Nissa  e ficaram  conhecidos como os  Padres Capadócios.
Os três foram grandes amigos do assim chamado “Campeão da Ortodoxia” Atanásio, ou Atanásio de Alexandria , e criaram fórmulas para desenvolver a doutrina da Trindade de forma a ser aceita pela maioria dos teólogos da época. Basílio de Cesaréia e Gregório de Nissa eram irmãos, sendo que Basílio, que era seis anos mais velho, foi quem ensinou os princípios elementares da fé a seu irmão mais novo Gregório. Gregório de Nazianzo foi amigo íntimo dos dois, compartil…

A Importância da Reforma nos nossos dias

A Importância da Reforma nos nossos dias

Olá irmãos em Cristo. Estamos em clima de festa, pois no dia 31 de outubro comemoramos o aniversário da Reforma Protestante. E a convite do meu amigo Vitor, estou aqui para fazer um breve texto sobre a importância da Reforma nos nossos dias atuais.
Pouco se ouve falar da Reforma nos nossos dias atuais. A mídia tenta encobrir essa data com o Halloween, e as escolas quando falam sobre o assunto, na maioria dos casos, coloca os reformadores como os “vilões” da história.
A Reforma começou na Alemanha, no ano de 1517, quando o então cardeal da Igreja Católica Martinho Lutero se opôs a algumas regras e normas impostas pela Igreja Católica, como as indulgências, proibição de qualquer pessoa ler a Bíblia, o uso de imagens de santos nos cultos etc. E então, no dia 31 de outubro de 1517, Lutero coloca na parede da Catedral de Wittenberg as suas 95 Teses. E nessas teses, Lutero coloca suas oposições à grande parte daquilo que o catolicismo pregava, propagand…

“Eu te conheci no deserto, em terra muito seca.” (Oseias 13.5.)

O povo de Israel estava sofrendo sobremaneira na terra do Egito e isto já durava 400 anos. Deus  então ouviu o clamor de Israel quando o povo estava na escravidão . Moisés foi usado para libertar o povo. Israel então saiu, livre, para o deserto. Foi ao sair do Egito que eles viram o poder de Deus manifestado. Jamais um povo viu tantas manifestações grandiosas do poder do Altíssimo como Israel na Terra de Faraó. Por dez vezes o povo que os escravizara fora castigado por Deus  de maneira sobrenatural, e Israel viu tudo isso e ficou ileso. Castigos como água transformada em sangue,  plantações destruídas, primogênitos mortos. Mas Israel esteve protegido e não sofreu estas assolações. Mas não foi lá que eles  aprenderam quem era Deus. Foi  na terra seca e inabitável do deserto do Neguev, onde não havia água nem comida e o sol era ardente, que a nação escolhida conheceu ao Senhor. Hoje também, Jesus nos resgatou da maldição do pecado e nos colocou no caminho da vida eterna. Estamos livres e se…