Pular para o conteúdo principal

Põe no rótulo mas tenha vínculos.Salmos 119:94

Sou teu, salva-me; pois tenho buscado os teus preceitos.
Salmos 119:94



Os rótulos nos tornam importantes. Eles nos tornam parte de algo maior , eles formam nossa identidade. Quando alguém diz: "Eu sou brasileiro. " Estamos nos  identificamos com todos os brasileiros.  Dizer: "Eu sou gaúcho ". Traz a lembrança a informação de que  nascermos ao Rio Grande do Sul, e isso é comum ao um grupo de pessoas. Outros dizem : " Eu sou tecladista"; "Eu sou vegetariano"; "Eu sou funcionário da Coca -Cola; "Eu sou associado ao clube tal;  "Eu sou torcedor de tal time".
Rótulos são comuns, frequentes e também inevitáveis. Todos precisamos deles, por exemplo: brasileiro, casado, caucasiano, funcionário público e evangélico.  Eles estão explícitos  em nosso dia a dia, inevitavelmente.
Ser evangélico também é um rótulo, e isso não é ruim nem bom é somente uma constatação, uma informação sobre determinada pessoa. Podemos ser presbiterianos, assembleianos, adventistas, batistas, metodistas, quadrangulares, etc...
O que realmente importa não são os rótulos, eles não fazem nos sermos que quem realmente somos. O importante mesmo são os vínculos, eles fazem-nos ser  quem somos. Rótulo é o que  a sociedade vê, os vínculos são os laços  são as cordas que  ligam as crenças  aos   hábitos e atitudes .
O salmista estava clamando a Deus, estava aflito, em uma situação deveras difícil, precisava de um auxílio imediato , então  ele clama de  forma especial.
"Sou teu , salva-me! "
Desta forma ele menciona o vínculo verdadeiro que o liga ao seu Salvador: Ele diz: Sou teu! Para  a sociedade ele poderia ter um rótulo de crente, mas  na sua intimidade ele poderia ser totalmente indiferente ao Senhor, poderia apenas ser um crente domingueiro, frequentador semanal ou mensal de culto. Na hora do aperto o seu rótulo não valeria nada, nada mesmo. O termo "homem religioso" não significa que ele seja realmente um servo temente. Ele precisava de uma corda que ligasse a sua crença às suas atitudes diárias.
Ele não estava confiando no seu rótulo de crente, ele confiava no vínculo autêntico e profundo que ele tinha com seu Criador. Ele clamava ao Deus da qual ele, o salmista pertencia e desta forma se confiava o direito de pedir socorro em tempo oportuno.
O vínculo que o salmista era verdadeiro, era concreto, pois ele diz: "pois tenho buscado os teus preceitos."
É preciso realmente  se relacionar com o Senhor para ter um vínculo real com ele. Um vínculo fica provado pelas atitudes que tomamos, não pelas palavras que  dizemos.
Eu posso dizer que sou vegetariano, mas isso não importa se o que realmente faço é comer  picanha meio dia. Não importa se digo que sou casado se não mantenho-me fiel para com minha esposa. Posso dizer que trabalho na Coca-Cola, mas isso não faz diferença se eu estou na verdade desempregado ou trabalhando em outra empresa. O meu rótulo pode ser falso, mas os vínculos nunca são. Sempre estamos vinculados ao que vivemos e ao que cremos, mas nem sempre estaremos vinculados  ao que dizemos.
Não importa se me chamo de crente se na verdade não dou nenhuma importância ao que  a Bíblia ensina sobre o que é viver de acordo com a vontade de Deus. Na hora em que precisarmos de Deus , vamos notar que os vínculos fazem a diferença e os rótulos não.
Sejamos vinculados em Cristo, nosso salvador , não nos importemos com os rótulos.  Os homens veem os rótulos, mas Deus percebe os vínculos.
Brasileiro, gaúcho, casado, caucasiano, funcionário público e cristão.
Ponha rótulos bons, são necessários,  mas tenha vínculos.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os Pais capadócios

A região da Capadócia (também conhecida como Província da Capadócia) era localizada na área centro-oriental da Anatólia na moderna Turquia. Era um dos domínios romanos da região da Ásia Menor. Os Pais Capadócios foram três notáveis teólogos que viveram nesta região entre os concílios de Niceia (325) e o de Constantinopla (381). Sendo que suas contribuições para o Concilio constantinopolitano foram especialmente  relevantes. São eles  Basílio, Gregório de Nazianzo e Gregório de Nissa  e ficaram  conhecidos como os  Padres Capadócios.
Os três foram grandes amigos do assim chamado “Campeão da Ortodoxia” Atanásio, ou Atanásio de Alexandria , e criaram fórmulas para desenvolver a doutrina da Trindade de forma a ser aceita pela maioria dos teólogos da época. Basílio de Cesaréia e Gregório de Nissa eram irmãos, sendo que Basílio, que era seis anos mais velho, foi quem ensinou os princípios elementares da fé a seu irmão mais novo Gregório. Gregório de Nazianzo foi amigo íntimo dos dois, compartil…

“Eu te conheci no deserto, em terra muito seca.” (Oseias 13.5.)

O povo de Israel estava sofrendo sobremaneira na terra do Egito e isto já durava 400 anos. Deus  então ouviu o clamor de Israel quando o povo estava na escravidão . Moisés foi usado para libertar o povo. Israel então saiu, livre, para o deserto. Foi ao sair do Egito que eles viram o poder de Deus manifestado. Jamais um povo viu tantas manifestações grandiosas do poder do Altíssimo como Israel na Terra de Faraó. Por dez vezes o povo que os escravizara fora castigado por Deus  de maneira sobrenatural, e Israel viu tudo isso e ficou ileso. Castigos como água transformada em sangue,  plantações destruídas, primogênitos mortos. Mas Israel esteve protegido e não sofreu estas assolações. Mas não foi lá que eles  aprenderam quem era Deus. Foi  na terra seca e inabitável do deserto do Neguev, onde não havia água nem comida e o sol era ardente, que a nação escolhida conheceu ao Senhor. Hoje também, Jesus nos resgatou da maldição do pecado e nos colocou no caminho da vida eterna. Estamos livres e se…

Filipe o Evangelista - Vivendo na Dinâmica do Espírito

Filipe Diácono e Evangelista Filipe foi um evangelista, foi  um dos primeiros seguidores de Jesus e  um dos Setenta Discípulos (Lucas 10) . Junto com Estêvão, era um dos sete “homens acreditados, cheios de espírito e de sabedoria” , escolhidos para a distribuição de alimentos entre as viúvas cristãs em Jerusalém (Atos 6:1-6).  Filipe foi a Samaria; proclamou ali o evangelho, realizou milagres,  e como resultado muitos aceitaram a mensagem e foram batizados ( veja Atos 8.4-13). Logo depois batizou um eunuco da Etiópia e foi "arrebatado" até Asdode, de onde seguiu pregando até Cesareia. Anos mais tarde, morou em Cesareia, onde pregava com suas quatro filhas. Por volta do ano 56d.C. foi visitado por Paulo e Lucas que ficaram por um tempo em sua casa.  A tradição diz que ele residiu em Trales se tornando bispo da Igreja local.  Vamos a o relato mais significativo da vida de Filipe. A história de Filipe e o Etíope.

Atos 8.26-40
26 -  Mas um anjo do Senhor falou a Filipe, dizendo: Lev…