Pular para o conteúdo principal

Verdade ou vergonha. Salmo 119.80

Seja correto o meu coração nos teus estatutos, para que eu não seja envergonhado. Salmo 119.80



As pessoas estão acostumadas a mentir, a mentira as  livra de embaraços imediatos. A mentira pode   tirar o peso de uma vergonha, mesmo que seja momentaneamente. A mentira é usada como um escape rápido para uma humilhação iminente.
Há muitas coisas que fazemos que não gostaríamos de admitir. Há muitos pecados, muitas falhas, muitas mesquinhezas que detestaríamos que outras pessoas soubessem. Somos cheios de defeitos, mas estes defeitos não raro estão ocultos diante dos olhos de nossos semelhantes.
Há porém situações em que  somos confrontados por alguém devido aos nossos erros, falhas e pecados,  neste caso  há duas opções, ou reconhecemos e aceitamos a correção , ou negamos, mentimos e evitamos o constrangimento.
Qual das duas opções você escolhe? A mais fácil ou a mais difícil? A que leva ao arrependimento e a vida ou a que leva ao endurecimento e à morte?
Não podemos dizer que essa é uma escolha simples, pois sabemos que em determinada circunstância , reconhecer determinada falha pode trazer consequências imediatas terríveis. Ira, escárnio, condenação, perda de emprego,  divórcio, perda de amizades...Nestes casos a mentira parece uma solução rápida. Não é, é um infeliz engano pensar assim. A mentira nunca soluciona nada, só cria novos problemas.
Pois existe  ainda uma possibilidade melhor do que estas duas, existe uma terceira via, melhor que as alternativas anteriores. Esta alternativa é melhor, mais pura, embora seja mais difícil de cumprir.
A melhor opção é obedecer de coração aos justos juízos de Deus.
O homem que obedece não tem do que recear , não tem do que se envergonhar, ele age correto, com integridade. Ele age pela verdade e a favor da verdade. Sabe que mentir para Deus é impossível.
O homem íntegro não teme ser corrigido pois sabe que seu procedimento está pautado pela Palavra de Deus . Ele anda com sinceridade e singeleza de coração. É um homem verdadeiro, homem correto.
Sabemos que não é fácil confessar em arrependimento. Por outro lado,  sabemos que  não é correto fugir  da correção escondendo seu erro. A melhor opção é ainda não errar e não ter do que se envergonhar. 
Mas alguém poderia dizer que é impossível viver sem pecar. Sim é realmente impossível, pois todos nós somos inclinados ao erro. Somos pecadores natos. Mas mesmo assim é possível que nosso erros não sejam alvo da repreensão do homem. Podemos escolher sermos arguidos apenas por Deus e pela nossa consciência de modo a não sermos envergonhados publicamente, nos expondo ao escárnio dos homens. 
Um homem temente terá pecados, mas ele os tratará  na sua intimidade, diante dele e diante de Deus, não os exporá em público como uma bandeira, maculando assim o testemunho cristão.
O sentido do pecado, o hábito da auto-humilhação e o desejo de contrição estão presentes nas mentes dos homens íntegros. Eles aprendem a confessar ao Senhor todas as suas faltas, até as mais escondidas, que estão ocultas no coração. Assim , humilhando-se perante Deus não são envergonhados diante dos homens.

Assim como o salmista devemos buscar em Deus força para obter um coração correto , um coração devotado aos divinos mandamentos para que não tenhamos do que nos envergonhar, não tenhamos motivo de sermos repreendido e confrontado pelos homens. Verdade ou vergonha, qual você escolhe?





Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os Pais capadócios

A região da Capadócia (também conhecida como Província da Capadócia) era localizada na área centro-oriental da Anatólia na moderna Turquia. Era um dos domínios romanos da região da Ásia Menor. Os Pais Capadócios foram três notáveis teólogos que viveram nesta região entre os concílios de Niceia (325) e o de Constantinopla (381). Sendo que suas contribuições para o Concilio constantinopolitano foram especialmente  relevantes. São eles  Basílio, Gregório de Nazianzo e Gregório de Nissa  e ficaram  conhecidos como os  Padres Capadócios.
Os três foram grandes amigos do assim chamado “Campeão da Ortodoxia” Atanásio, ou Atanásio de Alexandria , e criaram fórmulas para desenvolver a doutrina da Trindade de forma a ser aceita pela maioria dos teólogos da época. Basílio de Cesaréia e Gregório de Nissa eram irmãos, sendo que Basílio, que era seis anos mais velho, foi quem ensinou os princípios elementares da fé a seu irmão mais novo Gregório. Gregório de Nazianzo foi amigo íntimo dos dois, compartil…

“Eu te conheci no deserto, em terra muito seca.” (Oseias 13.5.)

O povo de Israel estava sofrendo sobremaneira na terra do Egito e isto já durava 400 anos. Deus  então ouviu o clamor de Israel quando o povo estava na escravidão . Moisés foi usado para libertar o povo. Israel então saiu, livre, para o deserto. Foi ao sair do Egito que eles viram o poder de Deus manifestado. Jamais um povo viu tantas manifestações grandiosas do poder do Altíssimo como Israel na Terra de Faraó. Por dez vezes o povo que os escravizara fora castigado por Deus  de maneira sobrenatural, e Israel viu tudo isso e ficou ileso. Castigos como água transformada em sangue,  plantações destruídas, primogênitos mortos. Mas Israel esteve protegido e não sofreu estas assolações. Mas não foi lá que eles  aprenderam quem era Deus. Foi  na terra seca e inabitável do deserto do Neguev, onde não havia água nem comida e o sol era ardente, que a nação escolhida conheceu ao Senhor. Hoje também, Jesus nos resgatou da maldição do pecado e nos colocou no caminho da vida eterna. Estamos livres e se…

Filipe o Evangelista - Vivendo na Dinâmica do Espírito

Filipe Diácono e Evangelista Filipe foi um evangelista, foi  um dos primeiros seguidores de Jesus e  um dos Setenta Discípulos (Lucas 10) . Junto com Estêvão, era um dos sete “homens acreditados, cheios de espírito e de sabedoria” , escolhidos para a distribuição de alimentos entre as viúvas cristãs em Jerusalém (Atos 6:1-6).  Filipe foi a Samaria; proclamou ali o evangelho, realizou milagres,  e como resultado muitos aceitaram a mensagem e foram batizados ( veja Atos 8.4-13). Logo depois batizou um eunuco da Etiópia e foi "arrebatado" até Asdode, de onde seguiu pregando até Cesareia. Anos mais tarde, morou em Cesareia, onde pregava com suas quatro filhas. Por volta do ano 56d.C. foi visitado por Paulo e Lucas que ficaram por um tempo em sua casa.  A tradição diz que ele residiu em Trales se tornando bispo da Igreja local.  Vamos a o relato mais significativo da vida de Filipe. A história de Filipe e o Etíope.

Atos 8.26-40
26 -  Mas um anjo do Senhor falou a Filipe, dizendo: Lev…