Pular para o conteúdo principal

Soberania de Deus

 Soberania de Deus  -
 William Leonard

O ensino bíblico que Deus é a fonte de toda criação e que todas as coisas têm sua origem em e dependem de Deus (Salmos 24:1). Soberania significa que Deus está em tudo e sobre tudo.

Soberania Criativa. Deus é o Senhor da criação, a fonte de todas as coisas, que trouxe o mundo à existência e que guia Sua criação para um fim significativo. A criatividade de Deus não é resultado do acaso ou da aleatoriedade. Ela contém a promessa e o propósito que Deus pretende.

Soberania Moral. A soberania de Deus, Sua autoridade sobre a criação, é fundamentada na natureza essencial de Deus que é moral. Deus deve ser obedecido, não simplesmente porque Ele é poderoso, mas porque Ele é justo (Salmos 50:6). Deus julga Sua criação na base de Seu profundo caráter moral. Ele é tanto a fonte de toda criação como de toda bondade.

Soberania Transcendente. A soberania de Deus é transcendente, além de nossa completa compreensão (Isaías 6:1). Deus é separado de Sua criação e trabalha de maneiras que os seres humanos nem sempre entendem. A transcendência está intimamente relacionada à santidade de Deus, Sua pureza moral excelente e Seu caráter distintivo essencial.

Soberania com um Propósito. A soberania de Deus segue em direção a um fim particular, um propósito específico (Filipenses 2:13). O propósito de Deus é trazer Sua criação – toda a Sua criação – à plenitude e realização, à comunhão com Ele: “Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo” (2 Coríntios 5:19). O reino de Deus é o fim em direção ao qual Deus move a Sua criação.

Soberania e Liberdade. A soberania divina não significa que tudo que ocorre no mundo é a vontade de Deus. Deus criou um mundo em que a liberdade é uma possibilidade real. Sua vontade permissiva torna possível a liberdade humana e as leis da natureza. Esta liberdade significa que a soberania deve sempre ser distinta da “sorte” ou do “destino,” a crença que tudo que ocorre no mundo foi predeterminado, programado de antemão, por Deus. Essa visão, levada a extremos, torna os seres humanos peões ou marionetes de um universo mecânico em que todas as escolhas são feitas de antemão e onde a liberdade não é possível. Todavia, o Evangelho sugere que os seres humanos encontram liberdade genuína, não em fazer tudo que eles querem, mas em se submeterem à vontade soberana de Deus, à regra e ao reino de Deus em suas vidas individuais e coletivas. A soberania de Deus envolve a auto-limitação de Deus a fim de que Sua criação possa também escolher a liberdade nEle.

Soberania e Providência. Deus guia, sustenta, ama, e anseia ter comunhão com Sua criação. Ele se revela como um pai amoroso e relacionado com a humanidade. Ele “tomou sobre si as nossas enfermidades, e carregou com as nossas dores” (Isaías 53:4). Deus escolheu participar da história humana para cuidar dos seres humanos em suas forças e fraquezas. “Sabemos que todas as coisas concorrem para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito” (Romanos 8:28). Aqueles que pertencem a Deus não serão isentos do sofrimento; eles não serão poupados da decadência que a vida traz a todas as pessoas. O povo de Deus pode, entretanto, encontrar recursos espirituais e força para perseverar em tempos de dificuldades. O Deus soberano do universo escolheu identificar com Sua criação na cruz de Cristo. Não há maior exemplo de Seu cuidado de Sua criação.

Fonte: Holman Bible Dictionary


Tradução: Paulo Cesar Antunes
Fonte: http://www.arminianismo.com/

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os Pais capadócios

A região da Capadócia (também conhecida como Província da Capadócia) era localizada na área centro-oriental da Anatólia na moderna Turquia. Era um dos domínios romanos da região da Ásia Menor. Os Pais Capadócios foram três notáveis teólogos que viveram nesta região entre os concílios de Niceia (325) e o de Constantinopla (381). Sendo que suas contribuições para o Concilio constantinopolitano foram especialmente  relevantes. São eles  Basílio, Gregório de Nazianzo e Gregório de Nissa  e ficaram  conhecidos como os  Padres Capadócios.
Os três foram grandes amigos do assim chamado “Campeão da Ortodoxia” Atanásio, ou Atanásio de Alexandria , e criaram fórmulas para desenvolver a doutrina da Trindade de forma a ser aceita pela maioria dos teólogos da época. Basílio de Cesaréia e Gregório de Nissa eram irmãos, sendo que Basílio, que era seis anos mais velho, foi quem ensinou os princípios elementares da fé a seu irmão mais novo Gregório. Gregório de Nazianzo foi amigo íntimo dos dois, compartil…

“Eu te conheci no deserto, em terra muito seca.” (Oseias 13.5.)

O povo de Israel estava sofrendo sobremaneira na terra do Egito e isto já durava 400 anos. Deus  então ouviu o clamor de Israel quando o povo estava na escravidão . Moisés foi usado para libertar o povo. Israel então saiu, livre, para o deserto. Foi ao sair do Egito que eles viram o poder de Deus manifestado. Jamais um povo viu tantas manifestações grandiosas do poder do Altíssimo como Israel na Terra de Faraó. Por dez vezes o povo que os escravizara fora castigado por Deus  de maneira sobrenatural, e Israel viu tudo isso e ficou ileso. Castigos como água transformada em sangue,  plantações destruídas, primogênitos mortos. Mas Israel esteve protegido e não sofreu estas assolações. Mas não foi lá que eles  aprenderam quem era Deus. Foi  na terra seca e inabitável do deserto do Neguev, onde não havia água nem comida e o sol era ardente, que a nação escolhida conheceu ao Senhor. Hoje também, Jesus nos resgatou da maldição do pecado e nos colocou no caminho da vida eterna. Estamos livres e se…

Filipe o Evangelista - Vivendo na Dinâmica do Espírito

Filipe Diácono e Evangelista Filipe foi um evangelista, foi  um dos primeiros seguidores de Jesus e  um dos Setenta Discípulos (Lucas 10) . Junto com Estêvão, era um dos sete “homens acreditados, cheios de espírito e de sabedoria” , escolhidos para a distribuição de alimentos entre as viúvas cristãs em Jerusalém (Atos 6:1-6).  Filipe foi a Samaria; proclamou ali o evangelho, realizou milagres,  e como resultado muitos aceitaram a mensagem e foram batizados ( veja Atos 8.4-13). Logo depois batizou um eunuco da Etiópia e foi "arrebatado" até Asdode, de onde seguiu pregando até Cesareia. Anos mais tarde, morou em Cesareia, onde pregava com suas quatro filhas. Por volta do ano 56d.C. foi visitado por Paulo e Lucas que ficaram por um tempo em sua casa.  A tradição diz que ele residiu em Trales se tornando bispo da Igreja local.  Vamos a o relato mais significativo da vida de Filipe. A história de Filipe e o Etíope.

Atos 8.26-40
26 -  Mas um anjo do Senhor falou a Filipe, dizendo: Lev…