Pular para o conteúdo principal

Salmo 75 - Série Salmos estudos indutivos


Um maravilhoso salmo que fala sobre o controle soberano e a Justiça de Deus sobre a humanidade.

 Vamos a uma análise indutiva, versículo por versículo.  A versão bíblica  utilizada é a  Almeida Revista e Atualizada a famosa ARA. 

1 -  Graças te rendemos, ó Deus; graças te rendemos, e invocamos o teu nome, e declaramos as tuas maravilhas.
O salmista Asafe está radiante, efusivo, ele  considera Deus duplamente digno de graças. O ato de render graças é um privilégio de que ele entende muito bem , pois   Asafe era diretor de música nos dias de Davi e Salomão e como tal era um adorador por excelência.
 Asafe, grato a Deus  invoca o seu nome pois ele está perto,  ele    testemunha das maravilhas que   tem contemplado. Sabe que pode invocar ao Senhor pois o Todo-Poderoso está bem próximo dos que com o coração e com  lábios sinceros o adoram.  Devemos aprender com Asafe, sermos agradecidos  a ELE por todas as suas obras.


2 - Pois disseste: Hei de aproveitar o tempo determinado; hei de julgar retamente.
Deus estava falando, Ele  comunicava uma grande e poderosa verdade para seu povo. O misterioso agir de Deus, um agir preciso e perfeitamente adequado, dentro do momento exato, nem antes nem depois. Ele não deixará passar o momento adequado para julgar, pelo contrário,  aproveitará bem o tempo   que Ele mesmo determinou para exercer a sua justiça perfeita. Podemos ter segurança , haverá justiça  sobre os homens, uma justiça implacável sobre os maus., uma justiça com misericórdia sobre os que confessam seus pecados e  os abandonam.

3 -  Vacilem a terra e todos os seus moradores, ainda assim eu firmarei as suas colunas.
Aqui está a garantia da incorruptibilidade divina, ele não se deixará vacilar, não se deixará corromper, não fraquejará. Os moradores da terra vacilam , a terra é inconstante, existem catástrofes que abalam a natureza, mas Deus mantém tudo sob o seu devido controle, sua soberania é indiscutível. Só ele pode exercer a justiça infalível, pois ele é quem mantém toda a verdade e a estabilidade do mundo.

4 - Digo aos soberbos: não sejais arrogantes; e aos ímpios: não levanteis a vossa força.
Não há loucura maior do que a do soberbo. Ele se considera digno de glória e de honra. Na sua ignorância tenta esconder-se do seu Criador assim como uma criança atrevida fecha os olhos imaginando que assim não será vista. Sua arrogância é tola, pois Deus sabe , e está contemplando suas afrontas. O salmista  entende que todo arrogante é ímpio e todo ímpio é arrogante, são duas características do mesmo ser. Poderíamos acrescentar também, com base no ensino bíblico, e que serve de lição para nós hoje,  que todo justo é humilde, pois ele percebe com nitidez que só o Senhor é digno de ser louvado e engrandecido.


5 - Não levanteis altivamente a vossa força, nem faleis com insolência contra a Rocha.
O salmista continua falando contra os arrogantes, ele os aconselha a deixar a estupidez de se insurgir contra o Criador. Parece que Asafe está realmente preocupado com os ímpios e por duas vezes ele os incita deixar sua arrogância. Ele se refere a Deus como uma rocha, ou seja o Soberano indestrutível e imutável  na qual  todas as coisas estão firmes sobre si. O salmista   repreende os rebeldes e insubmissos. Falar contra a Rocha significa rebelar-se; todos os ímpios são rebeldes , e como tal levantam-se e falam contra Deus.

6 - Porque não é do Oriente, não é do Ocidente, nem do deserto que vem o auxílio.  
Em qual direção procurar ajuda? Onde está a justiça? Do deserto, do leste , do oeste, talvez do sul? Asafe sabe que não existe justiça sobre a terra, os homens são limitados, eles falham, muitos homens que procuram ser justos não tem força nem meios para resistirem aos injustos. Não, não existem um lugar neste mundo onde podemos achar abrigo contra as injustiças.

7 ​ - Deus é o juiz; a um abate, a outro exalta
Quem precisa de justiça deve procurar no lugar certo. Deve-se procurar em Deus que está no céus. Só ele possui sabedoria e conhecimento perfeito para julgar os povos e  poder e autoridade para executar a sua justiça. Ninguém o pode resistir. Ele exalta e ele abate. Os soberbos são abatidos e os humildes, que confiam no Senhor serão exaltados. Por isso vale a pena co0nfiar em Deus, ele é infalível e justo.

8 -  Porque na mão do SENHOR há um cálice cujo vinho espuma, cheio de mistura; dele dá a beber; sorvem-no, até às escórias, todos os ímpios da terra.
A figura do cálice espumante é sinônimo de sofrimento de dor e de angústia, estas dores estão sendo preparadas cuidadosamente para os ímpios, na medida certa, não serão poupados. Todos os ímpios beberão deste cálice. Não escaparão, não serão aliviados. Serão total e exemplarmente punidos.

9 - Quanto a mim, exultarei para sempre; salmodiarei louvores ao Deus de Jacó .
Asafe está jubiloso, ele recebeu a inspiração divina para compor um salmo, ou seja, um hino de louvo a justiça do Senhor. Isso o deixou muito feliz, o ímpio será punido e o justo guardado do mal.  Os homens contemplarão a grandeza dos juízos divinos, todos um dia se renderão ao Rei dos Reis , Senhor dos senhores, o Deus de seu povo, o Deus de Jacó.

10 -  Abaterei as forças dos ímpios; mas a força dos justos será exaltada.
O próprio salmista agora se prontifica a julgar os ímpios, os injustos que se levantam para fazer o mal. Ele mesmo vai estar usando do que dispõe para abater o ímpio e também para exaltar o justo. Ele não vai se acomodar com as injustiças estando em seu poder defender o direito do justo. Ele estava inspirado pela justiça de Deus.
A lião que fica para nós, hoje é a de aprender com Asafe, a exultar na certeza da justiça divina , evitar a soberba e procurar defender o direito do justo estando em nosso poder fazê-lo.



Comentários

Blog do Vitor pelo mundo- agora

Total de visualizações