Pular para o conteúdo principal

O Herói humilhado e o Redentor Exaltado

Todos conhecemos histórias de heróis. Eles invariavelmente são imbatíveis, fortes e poderosos, possuem superpoderes ou algum recurso que os torne diferentes e superiores ao resto dos seres humanos.
Realmente na fantasia meramente humana é preciso que o heróis enfrentem adversários aparentemente superiores em força e que tenham alguma dificuldade para vencer o inimigo, mas apesar das dificuldades eles sempre demonstrarão sua grande coragem , força , astúcia e habilidade para derrotar os seus opositores. São heróis fabricados pelo homem, e como tal, imperfeitos e cheios de falhas, mas que se superam e sempre vencem tudo e todos. Força , poder, coragem , astúcia e ousadia são sempre atributos ressaltados.


Ninguém ainda inventou uma fábula cujo o herói morreu humilhado    , desprezado e maltratado e  se entregou sem luta. Mas o herói da Igreja é assim, o herói que a narrativa bíblica traz, foi desprezado, envergonhado e morto. Sofreu nas mãos dos inimigos e se entregou voluntariamente a uma morte dolorosa e humilhante. Porém a morte não foi o fim.
Este herói, Jesus, o Filho de Deus, o próprio Deus, todo Poderoso, Rei do universo, desejou tornar-se fraco, esvaziou-se da sua glória, da sua majestade para entregar-se totalmente por mim e por você.
Mesmo sofrendo ele não reclamou, não lutou contra os inimigos, não mostrou sua força, seu poder , sem sua grande sabedoria. Olhou pro céu e rogou pela humanidade, clamou para que Deus não intervisse, mas perdoa-se quem o feria e desprezava. Na cruz o nosso grande herói enfrentou a morte com coragem e amor e carregou o fardo pesado dos meus e seus pecados. Jesus não pensou em si mesmo; ele pensou nos outros. Ele abriu mão de sua glória, desceu das alturas e, deixou todo seu esplendor para provar a fraqueza da condição humana. Ele usou seus poderes para curar, para saciar a fome das multidões, para ensinar , enfim para beneficiar aos homens, mas ele mesmo não usou seu poder para livrá-lo da morte, da dor e da humilhação . Foi através de sua fraqueza que ele resgatou a humanidade.
Meu herói não foi vencido pela morte, ele venceu a morte e recuperou ao terceiro dia a vida que ele voluntariamente havia entregado . Ele enfrentou a morte e saiu vencedor. Nenhum outro herói imaginado pelo homem foi capaz de tal feito, nem mesmo a criatividade humana  foi capaz de  imaginar uma vitória tão absoluta.
O Salvador da morte retornou, derrotou os laços que seguravam o ser humano no lugar dos mortos e nos deu o direito de fazer o mesmo, ou seja de enfrentarmos a morte com a mesma esperança. Assim como a morte não pode prender o Filho de Deus, também nós, os que somos filhos de Deus em Cristo somos convidados também a crer e  finalmente vencer a morte.
Foi através de sua humilhação que ele venceu os piores inimigos, no que parecia ser sua fraqueza ele demonstrou sua coragem e sua força.

Como ser humano foi  humilhado para tornar-se o Redentor Exaltado.

Comentários

Total de visualizações