Pular para o conteúdo principal

Evangelho Duro




Começo esta reflexão com uma frase de  do Teólogo Agostinho de Hipona:

Se você   crê   somente no que gosta do evangelho e rejeita o que não  gosta    não é  no evangelho que você    crê,   mas  sim    em si mesmo .

Existem passagens da Bíblia Sagrada que são verdadeiramente duríssimas de aceitar. Alguns discursos proferidos por  apóstolos como Tiago, Judas , Paulo, e especialmente as palavras de Cristo.
Um exemplo disto temos ao ler a passagem do Evangelho de João  cap. 6.60, percebemos que muitos dos discípulos consideraram dura a mensagem de Jesus e por isso o abandonaram.

Jesus nunca esteve preocupado em usar as palavras certas para persuadir seus ouvintes ou agradá-los. De maneira alguma! Suas palavras edificavam com simplicidade e objetividade. Se alguns rejeitaram seus ensinamentos isso era devido a dureza de seus corações e não da palavra dita pelo Mestre. Cristo só disse a verdade, a simples e pura verdade, mas sempre haverão os que repudiam esta sinceridade.
Saibamos que o  evangelho é simples, Deus não deixou a ordem de trazermos um outro evangelho, não nos deu liberdade de fazermos a Bíblia Sagrada de um livro de particular interpretação, não nos pediu para usarmos a nossa "criatividade" para ganhar almas.

Agostinho de Hipona percebia que existiam, tal qual na época de Jesus, pessoas que escolhiam partes dos ensinamentos bíblicos para aceitar ao mesmo tempo que rejeitavam outros. Separavam o que lhes agradava do que não lhes agradava. Por isso alertou que o que eles estavam crendo não era evangelho divino mas sim um evangelho humano e carnal. Este evangelho não leva ao conhecimento de Deus, pelo contrário, leva as profundezas do Inferno!

Sim, estou usando palavras duras, pois estou falando de realidades que são também duras! Estamos lidando com a salvação de nossa alma e não podemos tolerar este tipo de adulteração da verdade.Isso seria compactuar com o engano.
Entenda, seja a compreensão e absorção do Evangelho alegre ou amarga ele sempre será o Evangelho. O mesmo sol que endurece o barro amolece a cera.
O problema não está, absolutamente, no Evangelho, mas sim naquele que o recebe, ou não.
Alguns ouvem a Palavra da Verdade que lhe é transmitida na suavidade de uma melodia, harmoniosa, tocante, penetrante; Outros a mesma palavra soa como condenação e julgamento!

O evangelho é duro para todos.Não só para alguns. É preciso entender isso, ele condena o pecado, e todos nós somos pecadores. Por isso muitas vezes soa duro aos nossos ouvidos. Ele nos mostra o quanto somos incapazes de enfrentar o mal e de evitar a condenação ao inferno , comparecer ao Juízo Final. 
O mais importante, porém,  é saber que  Deus nos ama e proporcionou o resgate e livramento através de Jesus. O que é impossível para os homens, para Deus não é. Para os que aceitam Cristo e confiam na Sua graça o Evangelho Duro não mata, pelo contrário SALVA!




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os Pais capadócios

A região da Capadócia (também conhecida como Província da Capadócia) era localizada na área centro-oriental da Anatólia na moderna Turquia. Era um dos domínios romanos da região da Ásia Menor. Os Pais Capadócios foram três notáveis teólogos que viveram nesta região entre os concílios de Niceia (325) e o de Constantinopla (381). Sendo que suas contribuições para o Concilio constantinopolitano foram especialmente  relevantes. São eles  Basílio, Gregório de Nazianzo e Gregório de Nissa  e ficaram  conhecidos como os  Padres Capadócios.
Os três foram grandes amigos do assim chamado “Campeão da Ortodoxia” Atanásio, ou Atanásio de Alexandria , e criaram fórmulas para desenvolver a doutrina da Trindade de forma a ser aceita pela maioria dos teólogos da época. Basílio de Cesaréia e Gregório de Nissa eram irmãos, sendo que Basílio, que era seis anos mais velho, foi quem ensinou os princípios elementares da fé a seu irmão mais novo Gregório. Gregório de Nazianzo foi amigo íntimo dos dois, compartil…

Trindade Imanente e Trindade Econômica

Não se pode estudar Teologia do ponto de vista ortodoxo sem refletir a respeito da doutrina Trindade. A grande maioria das Igrejas cristãs abraça esta doutrina. Ela é básica para o Cristianismo.  A Declaração típica do credo cristão histórico é: Cremos em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo .
Os judeus do tempo de Jesus davam muita ênfase à unidade de Deus, e esta ênfase foi trazida para dentro da igreja cristã. Não muito tempo depois,  estudiosos da Bíblia notaram que a Unidade ensinada no Judaísmo não era tão evidente assim como se entendia na época. Analisando as afirmações de Cristo e as revelações do apóstolo Paulo chegou-se a conclusão de uma Triunidade, também chamada de  Trindade .
Tertuliano (ca. 160 - ca. 220 d.C.) foi o teólogo responsável pelo desenvolvimento do termo Trindade, ele criou a palavra “Trindade” (no latim, Trinitas), esse termo desde a sua época tornou-se característico da teologia cristã. Muitos teólogos do cristi…

A Importância da Reforma nos nossos dias

A Importância da Reforma nos nossos dias

Olá irmãos em Cristo. Estamos em clima de festa, pois no dia 31 de outubro comemoramos o aniversário da Reforma Protestante. E a convite do meu amigo Vitor, estou aqui para fazer um breve texto sobre a importância da Reforma nos nossos dias atuais.
Pouco se ouve falar da Reforma nos nossos dias atuais. A mídia tenta encobrir essa data com o Halloween, e as escolas quando falam sobre o assunto, na maioria dos casos, coloca os reformadores como os “vilões” da história.
A Reforma começou na Alemanha, no ano de 1517, quando o então cardeal da Igreja Católica Martinho Lutero se opôs a algumas regras e normas impostas pela Igreja Católica, como as indulgências, proibição de qualquer pessoa ler a Bíblia, o uso de imagens de santos nos cultos etc. E então, no dia 31 de outubro de 1517, Lutero coloca na parede da Catedral de Wittenberg as suas 95 Teses. E nessas teses, Lutero coloca suas oposições à grande parte daquilo que o catolicismo pregava, propagand…