Pular para o conteúdo principal

Contra o desespero


E disseram um para o outro: Porventura não ardia em nós o nosso coração quando, pelo caminho, nos falava, e quando nos abria as Escrituras?
Lucas 24.32

Dois discípulos caminhando de volta para casa. Estavam deixando Jerusalém envergonhados e deprimidos. Sua grande esperança havia sucumbido, eles estavam a mais de três anos cheios de expectativa , sonhos e planos. Pensavam  ter encontrado o Messias prometido que livraria o povo judeu do jugo romano. Sua esperança era que Jesus fosse este Messias. Diversas vezes o Mestre havia demonstrado poder sobrenatural para aniquilar qualquer que fosse o poder adversário. Haveria alguma coisa difícil para um homem que ordenava e o vento e o mar obedeciam, que com uma palavra ressuscitava os mortos, restaurava vista a cegos e curava todo tipo de doença? Multiplicava 5 pães  em mais de 7 mil?
Eles se sentiam seguros ao lado de Jesus. Por mais que soubessem que seu mestre era perseguido, o poder que ele demonstrara os deixava tranquilos. Um homem como este não poderia morrer, toda a natureza se submetia às suas ordens. Nada neste mundo parecia amedrontar aquele Jovem Galileu cheio de autoridade e sabedoria.
Porém o mais absurdo aconteceu. Para cada um de seus seguidores a morte de Jesus significava uma tragédia sem o menor sentido. Ele foi escarnecido, torturado e morto como um bandido .Em nenhum momento  mostrou seu poder sobrenatural, apenas silenciou diante de seus acusadores e carrascos.
O judeus estavam subjugados pelos romanos e havia uma uma grande expectativa que Jesus os libertasse. Mas Ele morreu! Parece que Deus falhou. Nada mudou! Ainda continuavam sob o domínio de Roma.
Quem agora os consolaria? Quem lhes diria o que fazer e para onde ir? Quem Deus enviaria para libertar seu povo da opressão romana? Seria Jesus o Messias prometido?
Ele disse que ressuscitaria, mas agora já é o terceiro dia...
Maria e outras mulheres disseram que haviam visto o túmulo vazio, mas quem acreditaria em mulheres que pareciam alucinadas, mulheres que estavam tão deprimidas pela morte do mestre como os outros discípulos.
Com estes pensamentos fervendo na mente os dois discípulos, Cleópas e outro (que não é nomeado no texto mas podemos sugerir que seja o próprio Lucas) estavam preocupados e aflitos. Neste instante, durante sua conversa aflita sobre as últimas notícias, o próprio Jesus aparece ressurreto ao lado dos dois, segue caminhando ao lado deles até que o mestre intervém com uma pergunta simples.
"Que é isso que os preocupa e de que ides tratando à medida que caminhais?"
Os abalados discípulos param atônitos. Quem naquela cidade não saberia dos últimos fatos decorridos? Sua surpresa é por que não reconheceram quem estava os interrogando. Era como que seus olhos estivessem ofuscados para que não percebessem a identidade do questionador. 
Eles então expõem ao viajante o motivo de suas insatisfações. A morte do seu mestre , a sua desilusão, dor e angústia.
O viajante depois de ouvir o relato os reprende pela insegurança e falta de conhecimento das promessas de Deus. Discorre fartamente sobre o que as Escrituras falavam a respeito do Messias, seu sofrimento, humilhação e por fim glorificação. Isso conforta os discípulos, alegra o seus corações. Que grande alegria! Deus não os abandonou, Ele ainda está preocupado com seu povo, nada foge do seus planos! Estava tudo  previsto desde a eternidade, o plano perfeito para remissão de nossos pecados.
Em fim o Cristo precisava morrer pelos nossos pecados, mas ao terceiro dia ressuscitaria. Onde será que ele deveria estar? Sim, já era tarde do terceiro dia, Jesus já devia ter ressuscitado.Ele não havia aparecido...
Os discípulos convidam o peregrino a entrar e comer com eles.Ele entra, senta à mesa e inexplicavelmente toma o pão em suas mãos para agradecer, esta atitude era esperada do anfitrião, jamais do convidado. Toma o pão e agradece, e neste momento os olhos daqueles homens são abertos e eles reconhecem o mestre amado ressurreto na sua frente. Imediatamente Cristo desaparece diante deles, mas sua alegria não desaparece e eles reconhecem que durante a caminhada a voz daquele que os havia encontrado no caminho lhes fazia arder o coração.A voz era inconfundível. Doce,segura, cheia de autoridade e de amor.Como não houveram suspeitado?

Nada melhor para dissipar a angústia , a solidão e o desespero do que a voz mansa e consoladora do próprio Cristo ressuscitado!
Procure abrir sua Bíblia e sentir Jesus falar com você quando as coisas parecem  ficar confusas e você estiver prestes a se desesperar!


Comentários

Blog do Vitor pelo mundo- agora

Total de visualizações