Pular para o conteúdo principal

O que é pecado?

O que é pecado?

Pecado é agir contra o desejo de Deus para nós. Tudo que que nos afaste de Deus é pecado.
pecado é descrito na Bíblia como transgressão à lei de Deus (I João 3:4) e rebelião contra Deus (Deuteronômio 9:7; Josué 1:18). O pecado teve seu começo com Lúcifer, a “estrela brilhante, o filho da manhã”, o mais belo e poderoso dos anjos. Não satisfeito de ser tudo isto, ele desejou ser o Deus altíssimo e esta foi sua queda e o começo do pecado (Isaías 14:12-15). Renomeado Satanás, ele trouxe o pecado à raça humana no Jardim do Éden, onde ele tentou Adão e Eva com a mesma fascinação: “sereis como Deus”. Gênesis 3 descreve a rebelião de Adão e Eva contra Deus e contra Seus mandamentos


O pecado possui classificações. Pecado Original, Pecado Natural e Pecado Mortal. Precisamos ser salvos da destruição eterna e é o pecado que nos conduz a perdição. Até que Cristo nos liberte, estamos presos á corrupção e destinados ao Juízo (Mateus 25:46, Apocalipse 20:15).Todos estamos presos ao pecado original e ao pecado natural e são muito poucos o que cometem o Pecado Mortal (como veremos mais adiante, este não tem perdão).

Pecado Original
O pecado é descrito na Bíblia como transgressão à lei de Deus (I João 3.4) e rebelião contra Deus (Deuteronômio 9.7; Josué 1:18). Romanos 5.12 nos diz que através de Adão, o pecado entrou no mundo e assim a morte veio a todos os homens, porque “o salário do pecado é a morte” (Romanos 6.23).A morte que Adão enfrentou, imediatamente, é a perda da comunhão com Deus.
Quando Adão pecou, sua natureza interior foi transformada por seu pecado de rebelião, trazendo a ele morte espiritual e depravação, que seriam passadas a todos os seus descendentes, isto se chama pecado original.

  O Pecado natural
Este pecadoimpede a perfeição e a caminhada da alma para Deus, levando-a ao vício, à escravidão do erro, ao relaxamento da consciência, a impiedade e o arrefecimento do amor a Deus e ao próximo.
Faz parte da natureza humana, desde a queda, praticar atos contrários ao querer de Deus. Qualquer atitude, palavra ou pensamento fora da vontade perfeita do Senhor e que nos afasta dEle  é pecado natural.

Existem tipos de pecado:pecados de coração, pecados de lábio e pecados de  atitude.
Pecado no coração é quando pecamos em pensamento, não agimos, nem falamos algo mas concebemos em nosso coração (Jeremias 17.9)
Pecado de lábios é quando falamos algo que desagrada a Deus: Palavras torpe, maledicências (Colossenses 3: 8) e (Mateus 7.16, 17).
Pecados de atitude é quando falamos agimos em desacordo com  a vontade de Deus.Todos os que pecam em pensamento estão próximos de pecar em palavras, da mesma forma quem peca em palavras está perto de pecar em atitudes, um abismo chama o outro.
Todo desvio da vontade de Deus é pecado, e todo pecado nos afasta do Criador e por isso todas transgressões são por natureza iguais, porém, existem também níveis de gravidade ou pecaminosidade, ou seja cada pecado gera uma consequência diferente.
São 7 níveis: Pecado involuntário, ou de ignorância; pecado por descuido; pecado por negligência; pecado deliberado; vício e transgressão enraizada.
Pecado involuntário ou de ignorância: É aquele que é feito sem consciência de que estamos errados.(salmo 19:13)(1 Timóteo 1:13)
Pecado por descuido: É aquele ocorre por tropeço, um descuido, uma palavra, um pensamento. Não é premeditado, mesmo assim temos consciência de termos errado.(Judas 1:24)
Pecado por negligência: É aquele em que a pessoa negligencia um dever, ela deixa de fazer o certo, é mais do que descuido, é desinteresse pelo bem e pelo justo .(Tiago 4:17)

Pecado deliberado: É pior do que o de negligência. É o pecado voluntário, cometido intencionalmente e deliberadamente. Não é cometido por impulso mas por premeditação.(Hebreus 10:26)

Vício: Vício é tudo que nos escraviza, faz-nos sentir que não vivemos sem o objeto da vontade. Vício significa “mau hábito, hábito de proceder mal; costume condenável ou censurável”. É um pecado consciente e repetido. ( 1 Pedro 2:19).Muitas vezes torna-se sinônimo de idolatria.
Transgressão enraizada: É o pior de todos. É fruto de um coração obstinado e endurecido que não aceita que está pecando e por isso não se arrepende. Ela justifica o erro e assume o pecado como modo de vida sem remorso algum, não luta para libertar-se. A pessoa cauteriza a consciência e adapta confortavelmente o pecado em sua vida. (Hebreus 3:13)

O Pecado Mortal
Ao pecado grave se dá o nome de pecado mortal (1 João 5:16), porque ao privar a alma da graça, priva-a da vida sobrenatural, sendo assim uma antecipação da morte eterna: atentar contra a própria vida(suicidar-se) não  ouvindo ao apelo do Espírito Santo e rejeitar o Espírito da Graça(Blasfemar o Santo  Espírito de Deus). Estes são os pecados para os quais não há perdão.

Pessoas que cometem este pecado se afastam definitivamente de Deus.Estão selados irremediavelmente para a perdição.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os Pais capadócios

A região da Capadócia (também conhecida como Província da Capadócia) era localizada na área centro-oriental da Anatólia na moderna Turquia. Era um dos domínios romanos da região da Ásia Menor. Os Pais Capadócios foram três notáveis teólogos que viveram nesta região entre os concílios de Niceia (325) e o de Constantinopla (381). Sendo que suas contribuições para o Concilio constantinopolitano foram especialmente  relevantes. São eles  Basílio, Gregório de Nazianzo e Gregório de Nissa  e ficaram  conhecidos como os  Padres Capadócios.
Os três foram grandes amigos do assim chamado “Campeão da Ortodoxia” Atanásio, ou Atanásio de Alexandria , e criaram fórmulas para desenvolver a doutrina da Trindade de forma a ser aceita pela maioria dos teólogos da época. Basílio de Cesaréia e Gregório de Nissa eram irmãos, sendo que Basílio, que era seis anos mais velho, foi quem ensinou os princípios elementares da fé a seu irmão mais novo Gregório. Gregório de Nazianzo foi amigo íntimo dos dois, compartil…

“Eu te conheci no deserto, em terra muito seca.” (Oseias 13.5.)

O povo de Israel estava sofrendo sobremaneira na terra do Egito e isto já durava 400 anos. Deus  então ouviu o clamor de Israel quando o povo estava na escravidão . Moisés foi usado para libertar o povo. Israel então saiu, livre, para o deserto. Foi ao sair do Egito que eles viram o poder de Deus manifestado. Jamais um povo viu tantas manifestações grandiosas do poder do Altíssimo como Israel na Terra de Faraó. Por dez vezes o povo que os escravizara fora castigado por Deus  de maneira sobrenatural, e Israel viu tudo isso e ficou ileso. Castigos como água transformada em sangue,  plantações destruídas, primogênitos mortos. Mas Israel esteve protegido e não sofreu estas assolações. Mas não foi lá que eles  aprenderam quem era Deus. Foi  na terra seca e inabitável do deserto do Neguev, onde não havia água nem comida e o sol era ardente, que a nação escolhida conheceu ao Senhor. Hoje também, Jesus nos resgatou da maldição do pecado e nos colocou no caminho da vida eterna. Estamos livres e se…

Filipe o Evangelista - Vivendo na Dinâmica do Espírito

Filipe Diácono e Evangelista Filipe foi um evangelista, foi  um dos primeiros seguidores de Jesus e  um dos Setenta Discípulos (Lucas 10) . Junto com Estêvão, era um dos sete “homens acreditados, cheios de espírito e de sabedoria” , escolhidos para a distribuição de alimentos entre as viúvas cristãs em Jerusalém (Atos 6:1-6).  Filipe foi a Samaria; proclamou ali o evangelho, realizou milagres,  e como resultado muitos aceitaram a mensagem e foram batizados ( veja Atos 8.4-13). Logo depois batizou um eunuco da Etiópia e foi "arrebatado" até Asdode, de onde seguiu pregando até Cesareia. Anos mais tarde, morou em Cesareia, onde pregava com suas quatro filhas. Por volta do ano 56d.C. foi visitado por Paulo e Lucas que ficaram por um tempo em sua casa.  A tradição diz que ele residiu em Trales se tornando bispo da Igreja local.  Vamos a o relato mais significativo da vida de Filipe. A história de Filipe e o Etíope.

Atos 8.26-40
26 -  Mas um anjo do Senhor falou a Filipe, dizendo: Lev…