Pular para o conteúdo principal

Se boas obras não salvam, por que devemos praticá-las?


Resolvi responder a alguns questionamentos que são feitos aos evangélicos hoje em dia.Perguntas no que se refere às boas obras e o seu vínculo com a salvação do ser humano. São perguntas muito frequentes e que precisam de resposta. Muitos evangélicos não sabem explicar e acabam perdidos ao tentar propor uma solução.
Humildemente apresento minhas conclusões.
Se só boas obras não salvam, o que devemos fazer?
As perguntas que ouvimos parecidas com esta são:
Quem não crê no nosso Deus e não segue a Religião que o nosso Deus revelou em sua Palavra não tem direito à salvação?

Pois vocês são salvos pela graça, por meio da fé, e isto não vem de vocês, é dom de Deus;
não por obras, para que ninguém se glorie.
Efésios 2.8,9



Se boas obras e boas atitudes não salvam, de que adianta ficar sentado em um banco na igreja ouvindo um pastor, falar que Jesus veio ao mundo pregando aquelas coisa bonitas sobre paz e amor, se isso não vale nada?”
O que vale mais? Ficar  no banco da igreja e o nariz enfiado na bíblia  , "adorando" o seu Deus. Ou  fazer algo que melhore a vida de outras pessoas que tanto necessitam; algo  como lhes ensinar  uma profissão?”

Pretendo responder a estes questionamentos com um breve texto
Naturalmente , cada pessoa tem direito a acreditar no seu deus, não importando quão absurda possa parecer sua crença. Não obstante, todos os sistemas religiosos estão abertos à crítica, todos podem ser questionados de forma coerente e respeitosa. Sem agressões ou afrontas.
De acordo com o cristianismo bíblico, não concordamos com diversas práticas e atitudes do homem moderno e temos o direito  de criticar e expressar  desaprovação. Alguns extrapolam este direito e acabam ofendendo as pessoas,  quem faz tal coisa  não representa o genuíno evangelho e merece sofrer as punições cabíveis pelas agressões.
Então, o cristianismo bíblico entende que nenhuma caridade, boa ação ou mérito do ser humano é suficiente para alcançar esta dádiva que é a salvação. Entendemo que Deus não é pressionado para conceder a salvação a ninguém, já que a perdição eterna é o que todos merecem.
Se uma pessoa qualquer , digamos João, ofende José não adiantará José fazer boas coisas para Maria , a ofensa é contra João, e somente João precisará receber a satisfação de sua ofensa.
Da mesma forma, o pecado sendo contra Deus não há boas obras que alcancem diretamente a nosso Deus ofendido.  O destino do pecador é a morte eterna. Há uma justiça para cumprir e ela vai se cumprir. Não há possibilidade de satisfazer a justiça e reparar o erro com boas obras. As boas obras não apagam a enorme mancha do pecado na vida do ser humano. São milhares de oifensas diárias que cometemos contra a santidade de Deus.
A fé cristão ensina que Jesus tomou a forma humana e, sem ofender a Deus Pai de nenhuma forma, se ofereceu amorosamente para receber a punição em nosso lugar.Ele satisfez a justiça perfeita que nossos pecados mereciam. Ele só pode se colocar em nosso lugar para receber o castigo por que não havia pecado, pos isso ele era perfeito e suficiente para nos salvar.Deus executou a  justiça que era destinada a nós através de seu Filho Jesus. Deus providenciou para quem desejasse salvação obtivesse a mesma através dos méritos de Cristo e não pelos seus. Esta salvação é recebida pela fé somente .
Pois vocês são salvos pela graça, por meio da fé, e isto não vem de vocês, é dom de Deus;
não por obras, para que ninguém se glorie.
Efésios 2.8,9

Mas e as Boas obras?
Tanto a prática da vida cristã que inclui oração, leitura bíblica, adoração comunitária , como a prática de boas obras , no contexto de nossa realidade social são importantes para Deus. Não há como dizer que uma coisa valha mais que a outra. Adorar a Deus é nosso dever como cristãos. Estudar a Palavra de Deus também é importante para conhecermos qual o ideal divino para nossa vida e crescermos no conhecimento e sabedoria do céus. A prática social também é importante, a Igreja verdadeira sempre foi ensinada e orientada a praticar obras de caridade e assistência social. Existem muitas denominações, que se dizem cristãs, que não se preocupam com a obra social, mas essas não são legítimas representantes do evangelho de Cristo. As denominações sérias e comprometidas com a Bíblia nunca negligenciam os mandamentos de Jesus. O principal mandamento de Jesus é amar a Deus sobre todas as coisas e o segundo semelhante a este é amar o próximo como a si mesmo.
Leiamos o que diz o versículo seguinte do texto lido .

Pois vocês são salvos pela graça, por meio da fé, e isto não vem de vocês, é dom de Deus;
não por obras, para que ninguém se glorie.
Porque somos criação de Deus realizada em Cristo Jesus para fazermos boas obras, as quais Deus preparou de antemão para que nós as praticássemos.
Efésios 2.8-10

Neste sentido o cristianismo bíblico ensina que o verdadeiro salvo deve se preocupar em realizar as boas obras que o Senhor desde a eternidade deixou para fazermos. Boas palavras, bons pensamentos, pureza no agir, no olhar, ajuda aos necessitados, tudo isso e mais um pouco deve ser o foco de uma vida cristão saudável. Mas essas boas práticas não são o motivo por que somos salvos , mas a consequência desta tão grande salvação.





Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os Pais capadócios

A região da Capadócia (também conhecida como Província da Capadócia) era localizada na área centro-oriental da Anatólia na moderna Turquia. Era um dos domínios romanos da região da Ásia Menor. Os Pais Capadócios foram três notáveis teólogos que viveram nesta região entre os concílios de Niceia (325) e o de Constantinopla (381). Sendo que suas contribuições para o Concilio constantinopolitano foram especialmente  relevantes. São eles  Basílio, Gregório de Nazianzo e Gregório de Nissa  e ficaram  conhecidos como os  Padres Capadócios.
Os três foram grandes amigos do assim chamado “Campeão da Ortodoxia” Atanásio, ou Atanásio de Alexandria , e criaram fórmulas para desenvolver a doutrina da Trindade de forma a ser aceita pela maioria dos teólogos da época. Basílio de Cesaréia e Gregório de Nissa eram irmãos, sendo que Basílio, que era seis anos mais velho, foi quem ensinou os princípios elementares da fé a seu irmão mais novo Gregório. Gregório de Nazianzo foi amigo íntimo dos dois, compartil…

Trindade Imanente e Trindade Econômica

Não se pode estudar Teologia do ponto de vista ortodoxo sem refletir a respeito da doutrina Trindade. A grande maioria das Igrejas cristãs abraça esta doutrina. Ela é básica para o Cristianismo.  A Declaração típica do credo cristão histórico é: Cremos em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo .
Os judeus do tempo de Jesus davam muita ênfase à unidade de Deus, e esta ênfase foi trazida para dentro da igreja cristã. Não muito tempo depois,  estudiosos da Bíblia notaram que a Unidade ensinada no Judaísmo não era tão evidente assim como se entendia na época. Analisando as afirmações de Cristo e as revelações do apóstolo Paulo chegou-se a conclusão de uma Triunidade, também chamada de  Trindade .
Tertuliano (ca. 160 - ca. 220 d.C.) foi o teólogo responsável pelo desenvolvimento do termo Trindade, ele criou a palavra “Trindade” (no latim, Trinitas), esse termo desde a sua época tornou-se característico da teologia cristã. Muitos teólogos do cristi…

“Eu te conheci no deserto, em terra muito seca.” (Oseias 13.5.)

O povo de Israel estava sofrendo sobremaneira na terra do Egito e isto já durava 400 anos. Deus  então ouviu o clamor de Israel quando o povo estava na escravidão . Moisés foi usado para libertar o povo. Israel então saiu, livre, para o deserto. Foi ao sair do Egito que eles viram o poder de Deus manifestado. Jamais um povo viu tantas manifestações grandiosas do poder do Altíssimo como Israel na Terra de Faraó. Por dez vezes o povo que os escravizara fora castigado por Deus  de maneira sobrenatural, e Israel viu tudo isso e ficou ileso. Castigos como água transformada em sangue,  plantações destruídas, primogênitos mortos. Mas Israel esteve protegido e não sofreu estas assolações. Mas não foi lá que eles  aprenderam quem era Deus. Foi  na terra seca e inabitável do deserto do Neguev, onde não havia água nem comida e o sol era ardente, que a nação escolhida conheceu ao Senhor. Hoje também, Jesus nos resgatou da maldição do pecado e nos colocou no caminho da vida eterna. Estamos livres e se…