Pular para o conteúdo principal

Os três banquetes



Qual o seu prato favorito? O que você gosta de comer?
Se você for convidar alguém para fazer uma refeição na sua casa é bom  que você saiba que tipo de comida agrada seu convidado, do contrário há um grande risco dele ficar insatisfeito.
E se fôssemos convidar Jesus para comer conosco, o que serviríamos para ele?

O capítulo 14 de Lucas  Jesus visita a casa de um dos principais fariseus num sábado (v. 1). O sábado era um dia em que os fariseus mais abastados se esforçavam para dar banquetes a fim de demonstrar poder e a sua fidelidade às próprias tradições que haviam criado. Algumas delas diziam, por exemplo, que aquele que desse 3 banquetes num sábado, deduziria 3 punições no juízo final. Certamente Jesus havia sido convidado pelo fariseu rico para um banquete em sua casa, o que significa o respeito pela sua autoridade espiritual.
O que serviram lá  para Jesus? A Bíblia relata que Jesus comeu pão. Um simples pão.
Mas Cristo não se importou com isso. Jesus estava preocupado com o que iriam servir além disto, além da comida.
Ocorre que diante de Jesus estava um hidrópico (v. 2), um portador de uma doença rara chamada hidropisia, que é o acumulo de líquidos ou serosidade nas células ou em cavidades do corpo, geralmente no abdômen, causado por problemas renais, cardíacos ou circulatórios. Provavelmente, o problema do hidrópico era visível, dada a deformação física que pode acarretar, o que lhe causava profundo constrangimento, sobretudo diante de uma platéia de fariseus. Jesus aproveitou o momento para perguntar-lhes se era lícito curar aquele homem no sábado (v. 3) eles fizeram  silêncio e Jesus   curou o hidrópico e o despediu (v. 4).
O que  faltou aos fariseus servir não foi um prato saboroso ou um vinho de qualidade, faltou a eles servir o amor.
O Mestre demonstrou compaixão pelo ser humano desprezado e doente, coisa que os fariseus não estavam acostumados a servir. Eles eram mesquinhos e egoístas e não pensavam em agradar a Deus de coração, mas cuidavam de cerimoniais e purificações que lhes dariam destaque na sociedade.

 Sirva amor num banquete a Jesus, devemos servir amor em abundância, isto satisfaz nosso Senhor. Este é o primeiro dos três banquetes que os fariseus deveriam servir ao Mestre.



Comentários

  1. Belo texto, simples e objetivo. E que mensagem, falou muito com poucas linhas escritas. Que Deus abençoe.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Os Pais capadócios

A região da Capadócia (também conhecida como Província da Capadócia) era localizada na área centro-oriental da Anatólia na moderna Turquia. Era um dos domínios romanos da região da Ásia Menor. Os Pais Capadócios foram três notáveis teólogos que viveram nesta região entre os concílios de Niceia (325) e o de Constantinopla (381). Sendo que suas contribuições para o Concilio constantinopolitano foram especialmente  relevantes. São eles  Basílio, Gregório de Nazianzo e Gregório de Nissa  e ficaram  conhecidos como os  Padres Capadócios.
Os três foram grandes amigos do assim chamado “Campeão da Ortodoxia” Atanásio, ou Atanásio de Alexandria , e criaram fórmulas para desenvolver a doutrina da Trindade de forma a ser aceita pela maioria dos teólogos da época. Basílio de Cesaréia e Gregório de Nissa eram irmãos, sendo que Basílio, que era seis anos mais velho, foi quem ensinou os princípios elementares da fé a seu irmão mais novo Gregório. Gregório de Nazianzo foi amigo íntimo dos dois, compartil…

“Eu te conheci no deserto, em terra muito seca.” (Oseias 13.5.)

O povo de Israel estava sofrendo sobremaneira na terra do Egito e isto já durava 400 anos. Deus  então ouviu o clamor de Israel quando o povo estava na escravidão . Moisés foi usado para libertar o povo. Israel então saiu, livre, para o deserto. Foi ao sair do Egito que eles viram o poder de Deus manifestado. Jamais um povo viu tantas manifestações grandiosas do poder do Altíssimo como Israel na Terra de Faraó. Por dez vezes o povo que os escravizara fora castigado por Deus  de maneira sobrenatural, e Israel viu tudo isso e ficou ileso. Castigos como água transformada em sangue,  plantações destruídas, primogênitos mortos. Mas Israel esteve protegido e não sofreu estas assolações. Mas não foi lá que eles  aprenderam quem era Deus. Foi  na terra seca e inabitável do deserto do Neguev, onde não havia água nem comida e o sol era ardente, que a nação escolhida conheceu ao Senhor. Hoje também, Jesus nos resgatou da maldição do pecado e nos colocou no caminho da vida eterna. Estamos livres e se…

Filipe o Evangelista - Vivendo na Dinâmica do Espírito

Filipe Diácono e Evangelista Filipe foi um evangelista, foi  um dos primeiros seguidores de Jesus e  um dos Setenta Discípulos (Lucas 10) . Junto com Estêvão, era um dos sete “homens acreditados, cheios de espírito e de sabedoria” , escolhidos para a distribuição de alimentos entre as viúvas cristãs em Jerusalém (Atos 6:1-6).  Filipe foi a Samaria; proclamou ali o evangelho, realizou milagres,  e como resultado muitos aceitaram a mensagem e foram batizados ( veja Atos 8.4-13). Logo depois batizou um eunuco da Etiópia e foi "arrebatado" até Asdode, de onde seguiu pregando até Cesareia. Anos mais tarde, morou em Cesareia, onde pregava com suas quatro filhas. Por volta do ano 56d.C. foi visitado por Paulo e Lucas que ficaram por um tempo em sua casa.  A tradição diz que ele residiu em Trales se tornando bispo da Igreja local.  Vamos a o relato mais significativo da vida de Filipe. A história de Filipe e o Etíope.

Atos 8.26-40
26 -  Mas um anjo do Senhor falou a Filipe, dizendo: Lev…