Pular para o conteúdo principal

Verdade e conhecimento como fruto do Espírito. Efésios 5.9

Porque o fruto do Espírito está em toda a bondade, e 
 justiça e verdade; 
Efésios 5.9




Bondade, justiça e verdade estão intrinsecamente conectadas. Não se pode ser bom sem ser justo, nem ser justo sem ser verdadeiro. Concluímos também que não se pode ser bom  sem estar comprometido com a verdade.  Por isso não há mentira boazinha. A falsidade sempre é maligna.

Sobre o  "Fruto do Espírito", este  é um conceito bíblico desenvolvido por Paulo  para expressar como uma vida cheia do Espírito Santo deve ser.  Assim como a  árvore é conhecida pelos seus frutos e o filho de Deus é conhecido por suas atitudes, ele precisa conhecer e praticar a verdade.

É indiscutível que  a verdade é algo que corresponde a uma necessidade da alma humana e que sempre precisamos satisfaz essa necessidade, tanto que sempre estamos a procura da verdade sobre os fatos.  Não aceitamos que mintam para nós.  Quando  ficamos sabendo que nos mentiram é como se tivessem  nos roubado algo,   é quase  uma agressão.  Só a verdade nos tira  do desassossego da existência e nos leva à tranqüilidade, da correria à calma. Saber    A verdade  é uma  coisa bela, preciosa, necessária à vida. 

 A Verdade é um fruto, mas que nós não podemos fabricar, só podemos colher e desfrutar dele, como uma deliciosa maçã que apanhamos do pé para em seguida comer tranquilamente.

A força que produz a verdade é a comunhão com Deus. Toda verdade só pode vir de Deus por que ele é a fonte de todo a verdade. Tudo que é bom, reto e puro provém dele, ao passo que tudo que é mau provem do seu adversário, Satanás. Jesus chama  o Diabo de Pai da mentira (João 8.44), pois ele é o inspirador de todos os que mentem e vivem na mentira.

Qualquer pessoa que mente está se conectando automaticamente com Satanás, e torna-se um agente dele neste mundo. Por isso não há mentira “inocente”, sem maldade, mentira “boba, sem importância”.

Para praticarmos a verdade precisamos estar sempre conectados com Deus, pois sem ele pendemos irremediavelmente para a falsidade. 

 Por mais que alguém discuta, o fato é que o mundo não sabe o que é verdade nem pode adquirir o conhecimento real sobre as coisas. Para falar a verdade perfeita é preciso conhecer perfeitamente o que se está falando.

Conhecer é pensar o que é, o que existe de fato. A verdade é a relação  de conformidade  entre o que se afirma e o que se apresenta no mundo. 
Perceba:  Sujeito e objeto, o fato e seu relato.  Se eles correspondem um ao outro estamos diante da certeza. Assim conhecemos  nossos amigos, nosso bairro, nossa casa, conhecemos o mundo, nós estabelecemos nossas certezas.
Mas quando estas certezas são desafiadas? Quem pode nos dar certeza sobre o que falamos? Será que não estamos enganados? Será que não é possível um equívoco?

 Não podemos ter conhecimento absoluto, conhecimento perfeito, conhecimento infinito das coisas. Este conhecimento está inacessível a nós, longe de nossa real capacidade de apreensão. Nós só falamos em parte, conhecemos em parte, imperfeitamente, como diz o apóstolo Paulo:

quando, no entanto, chegar o que é perfeito, o que é 
imperfeito será extinto.
1 Coríntios 13.10


Agora, portanto, enxergamos apenas um reflexo obscuro, como em um material polido; entretanto, haverá o dia em que veremos face a face. Hoje, conheço em parte; então, conhecerei perfeitamente, da mesma maneira como plenamente sou conhecido.
1 Coríntios 13.12



A Filosofia pretende chegar ao conhecimento da verdade absoluta, mas não consegue, pois esta busca se restringe à capacidade intelectual do ser humano. Ora, esta capacidade intelectual é limitada, e para conhecermos a realidade, exatamente como ela é , nossa  inteligência é insuficiente.

Porém o cristão não fundamenta seu conhecimento no seu intelecto, mas na Palavra de Deus. A fé em Deus precede todo seu conhecimento, por isso ele acredita em Deus para revelar-lhe a verdade sobre o mundo. Primeiro crê em Deus e na sua Palavra, depois aceita o que o Deus Onisciente o revelar.  Assim ele está mais firme na fé do que na filosofia humana.

 "Esta é uma palavra fiel, e digna de toda a aceitação, .....".
1 Timóteo 1.15


Assim, toda a realidade é fruto da vontade soberana de Deus, é Ele quem nos revela a verdade através do seu Espírito. Como já dissemos, a força que produz a convicção da verdade em nós  é a comunhão com Deus, sem ela estamos à deriva, perdidos em conceitos mundanos e mentiras.
O Mundo não pode conhecer a essência da bondade e da justiça sem Deus, pois ela está inacessível para os ímpios.
Só com a verdade revelada podemos ser cada vez mais bons e justos, ou seja, mais parecidos com Cristo.




Comentários

Postar um comentário

Blog do Vitor pelo mundo- agora

Total de visualizações