Pular para o conteúdo principal

O desafio de amar os perdidos.Atos 19.26



E bem vedes e ouvis que não só em Éfeso, mas até quase em toda a Ásia, este Paulo tem convencido e afastado uma grande multidão, dizendo que não são deuses os que se fazem com as mãos.  Atos 19.26



Paulo estava fazendo um estrondoso sucesso, suas pregações eram cheias de poder do Espírito Santo e arrastavam multidões. Corria a fama de Paulo como um pregador intrépido, ousado e persuasivo que afastava milhares de pessoas da idolatria e as trazia para servir a Cristo. Os seus companheiros o admiravam, alguns mal-intencionados o invejavam. Os seus adversários já conspiravam contra ele.

Até que ponto algo pode valer a pena para cada um de nós? Até que ponto a busca por um benefício ou algo de valor pode custar nossa segurança, nosso conforto e nosso bem estar?

Sejamos mais claros, quanto você estaria disposto a arriscar em nome de ser um autêntico servo de Deus como foi Paulo?

Pois bem, tendo esta pergunta em mente eu gostaria de afirmar que o cristianismo não é seguro. Não é seguro pois oferece risco diário para nossa vida e bem-estar físico. Há confrontos, há lutas, imprevistos, escárnios, perseguições e muitas outras situações perigosas e desagradáveis pelo qual um fiel servo de Cristo pode enfrentar. O que move alguém para aceitar tamanho desafio? Você já aceitou este desafio?

Paulo aceitou, Pedro, João, Lutero, Agostinho, aceitaram. Vários homens e mulheres de Deus aceitaram o desafio. O desafio de enfrentar uma vida de lutas e perseguições em nome do cristianismo. 
Ao anunciar a salvação o seu destino entre os homens estaria selado, não haveria um momento sequer de repouso e sossego para o pregador Paulo de tarso, sua vida seria virada de cabeço para baixo pela sua conversão.
Algo porém o movia inevitavelmente para a pregação. Nada o poderia segurar pois era o próprio Deus que o chamava.

O que movia o apóstolo Paulo a pregar ousadamente com risco de seu conforto, seu bem-estar, sua reputação entre os judeus seus irmãos e também de sua vida?

O amor. Só  isso movia Paulo  a desprezar sua segurança em nome da pregação do Evangelho. O cristianismo não é seguro, nunca foi e ele sabia disto, sua vida estaria sempre por um fio ao anunciar a mensagem de salvação.

Um coração incendiado pelo amor aos perdidos foi o que levou o apóstolo dos gentios a abandonar seu desejo pela segurança pessoal. Ele queria obedecer ao seu chamado e nada era mais precioso do que isso.

Nada de mais valor haveria de perder Paulo do que sua vida física, mas a vida eterna estava garantida. Ele sabia porém que precisava pregar para que outros também pudessem possuir a vida eterna. Isso era amor. Afastar os homens da idolatria e do engano e trazê-los para Cristo.


Você também aceita  o desafio de amar os perdidos?

Comentários

Blog do Vitor pelo mundo- agora

Total de visualizações