Pular para o conteúdo principal

Quem eram os “filhos de Deus?” e as "filhas dos homens" em Genesis 6.4?

Ora, naquele tempo havia gigantes na terra e também depois, quando os filhos de Deus possuíram as filhas dos homens, as quais lhes deram filhos, estes foram valentes, varões de renome, na antiguidade” (Gênesis 6:4)



Texto polêmico que gera muitas especulações e teorias das mais diversas. Vamos tentar entendê-lo e   para isso, partimos de princípios gerais. Para analisar qualquer texto da Bíblia, especialmente os mais obscuros e complicados, não devemos  ignorar o que o resto da Bíblia diz a respeito. Muitas pessoas, deixando de lado os ensinamentos mais claros das Escrituras, se embrenharam em interpretações forçadas e acabaram por dificultar ainda mais a interpretação.
Para este texto há  duas vias principais de interpretações que fazem mais sentido:

1) Primeira via.
Essa via ensina que o texto trata filhos de Deus como “anjos caídos”. No texto da Gênesis se usa “filhos de Deus”. Em Jó 1,6; 2,1 e 38,7 o termo “filho de Deus” significa claramente “anjos”. Desta forma o s filhos de Deus descritos aqui tratariam-se de anjos, ou demônios que acabaram casando com as mulheres "humanas" e assim geraram seres híbridos , ou seja, meio-homens, meio-anjos. Essa interpretação está bastante em contraste com o ensinamento de Jesus, que diz que os anjos não se casam (Marcos 12,25). Desta forma, seres espirituais não teriam como se reproduzir com  seres humanos. Anjos e demônios são espíritos sem corporeidade física e isso os impede de gerarem outros seres a partir de si mesmos.


Jesus diz:

Na ressurreição, as pessoas não se casam nem são dadas em casamento; mas são como os anjos no céu. Mateus 22.30


2) A segunda via.
Esta é uma interpretação mais simples, menos sensacionalista e por isso menos popular. A interpretação mais simples nos diz que as filhas dos homens são as filhas da geração perversa de Caim e os filhos dos homens são filhos da geração piedosa de Sete. Segundo o que depreendemos do resto do livro de Gênesis , havia uma distinção muito forte entre os descendentes de Sete dos descendentes de Caim, sendo que quando estes se misturaram houve a geração de homens conhecidos na Antiguidade pela sua altura elevada e grande coragem. Homens normais, mas com capacidade acima da média. Não há nada no texto que indicaria seres híbridos com capacidades sobre-humanas. Se existissem  isso contrariaria  frontalmente o ensino de Cristo.

Eu pessoalmente fico com a segunda via, por achar mais coerente com o resto das Escrituras e com a tradição bíblica conservadora. 





Comentários

Blog do Vitor pelo mundo- agora

Total de visualizações