Pular para o conteúdo principal

O Choro do Apóstolo - Estudo em Filipenses 3.18,19

Porque muitos há, dos quais muitas vezes vos disse, e agora também digo, chorando, que são inimigos da cruz de Cristo,
Cujo fim é a perdição; cujo Deus é o ventre, e cuja glória é para confusão deles, que só pensam nas coisas terrenas.
Filipenses 3:18,19




Um texto expressivo, vivo e ardente que o Espírito Santo nos deixou como um alerta para os nossos dias. Por que Paulo, o apóstolo dos gentios chorou? O que o levou a sentir tal dor e aflição no seu coração?
Me proponho a fazer uma breve análise deste texto e trazer uma aplicação prática dele para nossos dias:


1º - Porque muitos há 

O apóstolo Paulo, defensor incansável do evangelho, um servo fiel que doou seu sangue, seu suor e suas lágrimas em favor da Igreja  se depara  seguidamente com um tipo de falso crente. Tem nome de cristão mas não é.
Missionário viajado, experiente, o apóstolo sabe que eles são como ervas daninhas enraizadas na Igreja, entre o povo de Deus. Eles precisam ser  marcados, distinguidos dos servos fiéis,  na congregação, para que seus maus exemplos não sejam seguidos.



2º - dos quais muitas vezes vos disse, 
Aqui percebemos a preocupação paulina com este tipo de falso crente.   O fato dele registrar que chorou por causa desta aflição é impressionante, Paulo estava profundamente triste com o falso cristianismo, o cristianismo  barato, descomprometido com a cruz.
Ele fala repetidamente, em outros trechos bíblicos, sobre o falso evangelho, porém aqui ele fala do falso irmão e seu péssimo testemunho de vida.  Mais do que os ensinos, é o terrível  testemunho de vida que este tipo de "crente" dá que traz o pior desafio para a igreja. São homens que nunca conheceram realmente o evangelho,   corrompidos, não regenerados, nunca nasceram de novo, mas que muitas vezes atraem  a difamação ao bom nome do evangelho de Cristo.


3º - e agora também digo, chorando 
Paulo lamenta com lágrimas nos olhos o grande prejuízo que estes homens causam na Igreja. A má conduta  deles é visível e absolutamente condenável. Estão cavando sua própria sepultura espiritual, maculando a imagem da noiva de Cristo. Sem dúvida, isso faz o apóstolo dos gentios chorar de dor e lamento por estas almas perdidas.



4º - que são inimigos da cruz de Cristo,
Aqui Paulo nos explica por que estes homens são tão condenáveis. Não era pouca coisa que estava tirando a paz do escritor desta epístola. O motivo era nada menos que  a idolatria. Eles idolatravam o Eu, negavam a Cristo ao invés de negarem a si mesmos. Recusaram a vergonha e a auto-renúncia  que o Evangelho exige, tinham uma vida centrada nos prazeres e satisfações terrenos, eram mundanos e apegados as coisas carnais.



5º - Cujo fim é a perdição 
Se este tipo de homem realmente cresse na condenação eterna dos não regenerados será que praticaria tamanha idolatria? Se acreditasse nas palavras de Jesus a respeito da inferno e da perdição eterna será que ele daria as costas para a cruz de Cristo? Essa é uma pergunta que não sabemos responder. Temos aqui Paulo explicitando que para estes  impostores do evangelho era a condenação do inferno  que restava e que seu título de crente não os salvaria no dia do juízo final.



6º - cujo Deus é o ventre 
A expressão " Deus é o ventre"  remete  a idolatria de si mesmo, no caso de homens malignos que só se preocupavam com seu próprio bem estar, dando demasiada importância ás sua necessidades e desejos materiais e nenhuma atenção à sua vida espiritual.  O ventre significa o próprio corpo, ou seja, a idolatria do Eu, que Paulo mais uma vez enfatiza.


7º - e cuja glória é para confusão deles, 
Os falsos irmãos são dados á glória e  a saliência , gostam de serem destacados, gostam de receber honrarias, mas o seu péssimo proceder no dia a dia não corrobora suas pretensões. Pelos seus atos vergonhosos só resta opróbrio e condenação.
Quanto mais eles recebem elogios e são honrados pelos homens, mais ficam cheios de si mesmos e vazios de  Deus. As honras que recebem mais os prejudicam do que ajudam. Como pouco recebem críticas, acreditam que Deus possa também aprovar suas atitudes  pecaminosas
Percebam que um servo temente e fiel jamais irá elogiar  as atitudes destes cristãos fraudulentos, e as bajulações que estes recebem  partem de mentes e corações tão corrompidos como os seus próprios.


8º - que só pensam nas coisas terrenas.  
Paulo nos afirma que estes só pensam nas coisas terrenas. Que tipo de cristão verdadeiro esquece que sua recompensa está nos céus? Que tipo de servo de Cristo fixa os olhos neste mundo decadente que jaz na corrupção e na maldade?  Um verdadeiro eleito, parte da Igreja do nosso Salvador, pensará muito mais nas maravilhas que  o esperam na Cidade Santa e não irá se apegar nas  medíocres e ilusórias riquezas e prazeres terrenos.


Aplicação prática


É sempre bom nos perguntarmos se realmente  estamos seguindo de perto as pisadas de Jesus ou  se estamos apenas na aparência de piedade.
Será que nossos olhos estão postos nos céus ou fitos nas ilusões e prazeres da terra?
Outra coisa importante  para aprendermos aqui é notar os falsos irmãos, os que  fraudam o evangelho  negando a cruz de Cristo. Notar e evitar o convívio com tal tipo de pessoa.
Por último é interessante refletirmos que tipo de pecado temos tolerado, quais os pecados que entendemos “menos importantes” e dos quais não estamos mais nos arrependendo.
Sempre firmes em Jesus.





Comentários

Blog do Vitor pelo mundo- agora

Total de visualizações