Pular para o conteúdo principal

Está ótimo, mas não é hora de relaxar. Neemias 6:15,16 e 7:4,5

Acabou-se, pois, o muro aos vinte e cinco do mês de Elul; em cinqüenta e dois dias.
E sucedeu que, ouvindo-o todos os nossos inimigos, todos os povos que havia em redor de nós temeram, e abateram-se muito a seus próprios olhos; porque reconheceram que o nosso Deus fizera esta obra.  
Neemias 6:15,16


Neemias era um homem  bom , correto, íntegro, sua função era ministro do rei, era seu copeiro, alguém com alto cargo de confiança.
Ele não estava satisfeito com a riqueza e o conforto do palácio Real. Ele queria estar perto de seu povo que estava sofrendo. Queria voltar à Jerusalém, sua amada terra.
Ali Neemias pede permissão ao rei Artaxerxes para que ele fosse ajudar a reconstruir os muros da Cidade Santa.
Apesar disso ninguém poderia imaginar que aquele copeiro seria um líder, um governador, um homem com fibra e autoridade para liderar uma grande multidão.
Ele não entendia de construção, nem de liderança, nem era um homem de política. Era um copeiro, lidava com bebidas, era essa sua função.
Mas Deus conhecia muito bem aquele copeiro. Ele o havia moldado especialmente para esta árdua tarefa: Reconstruir os muros de Jerusalém.
Deus ergueu Neemias como cabeça da nação judaica que voltava do cativeiro, fez dele o governador e o usou como líder da reconstrução dos muros de Jerusalém que estavam assolados. Uma grande e importante tarefa, que carecia de um cabeça firme, zeloso, temente a Deus e cheio de fé.
Foi uma tarefa extremamente difícil, penosa. Ele enfrentaria o calor do deserto, o desconforto de morar em uma  cidade arrasada  em processo de reconstrução, enfrentaria a tarefa de liderar um povo desorganizado e desorientado.
A tarefa fora cumprida, acabada. O desafio gigante havia sido ultrapassado.
Pense como Neemias
 As coisas andam razoavelmente bem, você superou aquele obstáculo tão complicado que fazia você perder o sono. Seus adversários, aqueles que estavam empenhados em sua derrota foram derrotados. Deus te deu a graça da vitória.
Você até pode ter ainda  algum problema, mas nada que lhe traga grandes dores de cabeça.
Tobias e Sambalate tentaram parar a obra, mas não conseguiram.  Deus fora fiel e impedira os ataques e estratégias adversárias.
Ele reconstruiu os muros em tempo assombrosamente curto, 52 dias, um recorde.
Então?
Por mais estranho que pareça e até mesmo alguém me chame de deprimido, a verdade  é que a vida cansa. Viver cansa demais.
Não podemos nos surpreender se depois de uma grande vitória, depois de ultrapassar uma grande barreira, uma pessoa possa tropeçar e cair diante de uma pequena pedrinha. As pedrinhas derrubam quem não olha para o chão, quem não está atento.
Quando estamos inebriados com o sabor de uma conquista é bem possível que subestimemos nossos adversários e percamos nosso vigor e ânimo para combater.
Falta-nos desafio, o desânimo vem, o marasmo e o tédio também, então relaxamos.
De descanso em descanso perdemos as forças, de sossego em sossego vem a distração, de moleza em moleza vem a destruição.
Na nossa guerra diária, contra o inimigo das nossas almas, qualquer vacilo pode ser fatal. Uma mente ociosa tem capacidade e criatividade incrível para inventar novos modos de pecar. O pecado gera a ruína e a desgraça.
Neemias era um homem perfeitamente talhado por Deus para lidar com o sucesso. Ele não dormiu em cima dos louros da vitória, pelo contrário , depois de obter este sucesso avassalador, ele encontra outra tarefa , outro desafio para ocupar sua mente.
Mentes vencedoras sempre acham novos desafios para superar. Neemias fora chamado para travar as batalhas para Deus e queria vencer o máximo possível.
Vejamos o que ele fez:

"E era a cidade larga de espaço, e grande, porém pouco povo havia dentro dela; e ainda as casas não estavam edificadas.
Então o meu Deus me pôs no coração que ajuntasse os nobres, os magistrados e o povo, para registrar as genealogias; e achei o livro da genealogia dos que subiram primeiro e nele estava escrito o seguinte:..."
Neemias 7:4,5

Enquanto outros generais ou governadores poderiam estar dormindo ou descansando depois do longo trabalho empenhado, a mente ousada  de Neemias estava procurando um modo de ajudar seu povo e glorificar a Deus.  Pense comigo: Neemias foi chamado para reconstruir os muros e isso ele fez. Nada mais  precisaria fazer, poderia voltar para donde ele viera  e viver novamente no conforto do palácio real.
Ele não fez isso, seu desejo  mesmo eram novos desafios para glória de Deus , para o dom de Deus na sua vida ser exercido em sua plenitude. Para Neemias a tarefa que Deus dá só termina quando Ele mesmo manda parar. Não era este o caso. Ele queria preencher a cidade Santa, queria repovoar a sua amada terra. E mais, queria reconstruir as casas construídas.
Deus lhe tinha dado dons, tinha dado autoridade, tinha abençoado as mãos, então ele queria fazer mais!
Ei! Quem de nós é assim?
Estamos plenos da bênção de Deus, fizemos o que nos cabia, mas ainda nos sobram recursos  Temos condições de fazer mais para Deus, o que faremos  com isso?
O inimigo das nossas almas, Satanás, adora tentar as mentes que estão ociosas, estas mentes geralmente estão mais vulneráveis ao pecado.
Neemias escolheu  investir seu tempo, seu talento e seus recursos no serviço de Deus e nós o que faremos?
Aquele "copeiro-governador"  queria investir seu tempo nos projetos divinos, sem isso sua vida perderia a graça.
A frase que poderia resumir Neemias era:

Está ótimo, mas não é hora de relaxar.




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os Pais capadócios

A região da Capadócia (também conhecida como Província da Capadócia) era localizada na área centro-oriental da Anatólia na moderna Turquia. Era um dos domínios romanos da região da Ásia Menor. Os Pais Capadócios foram três notáveis teólogos que viveram nesta região entre os concílios de Niceia (325) e o de Constantinopla (381). Sendo que suas contribuições para o Concilio constantinopolitano foram especialmente  relevantes. São eles  Basílio, Gregório de Nazianzo e Gregório de Nissa  e ficaram  conhecidos como os  Padres Capadócios.
Os três foram grandes amigos do assim chamado “Campeão da Ortodoxia” Atanásio, ou Atanásio de Alexandria , e criaram fórmulas para desenvolver a doutrina da Trindade de forma a ser aceita pela maioria dos teólogos da época. Basílio de Cesaréia e Gregório de Nissa eram irmãos, sendo que Basílio, que era seis anos mais velho, foi quem ensinou os princípios elementares da fé a seu irmão mais novo Gregório. Gregório de Nazianzo foi amigo íntimo dos dois, compartil…

“Eu te conheci no deserto, em terra muito seca.” (Oseias 13.5.)

O povo de Israel estava sofrendo sobremaneira na terra do Egito e isto já durava 400 anos. Deus  então ouviu o clamor de Israel quando o povo estava na escravidão . Moisés foi usado para libertar o povo. Israel então saiu, livre, para o deserto. Foi ao sair do Egito que eles viram o poder de Deus manifestado. Jamais um povo viu tantas manifestações grandiosas do poder do Altíssimo como Israel na Terra de Faraó. Por dez vezes o povo que os escravizara fora castigado por Deus  de maneira sobrenatural, e Israel viu tudo isso e ficou ileso. Castigos como água transformada em sangue,  plantações destruídas, primogênitos mortos. Mas Israel esteve protegido e não sofreu estas assolações. Mas não foi lá que eles  aprenderam quem era Deus. Foi  na terra seca e inabitável do deserto do Neguev, onde não havia água nem comida e o sol era ardente, que a nação escolhida conheceu ao Senhor. Hoje também, Jesus nos resgatou da maldição do pecado e nos colocou no caminho da vida eterna. Estamos livres e se…

Filipe o Evangelista - Vivendo na Dinâmica do Espírito

Filipe Diácono e Evangelista Filipe foi um evangelista, foi  um dos primeiros seguidores de Jesus e  um dos Setenta Discípulos (Lucas 10) . Junto com Estêvão, era um dos sete “homens acreditados, cheios de espírito e de sabedoria” , escolhidos para a distribuição de alimentos entre as viúvas cristãs em Jerusalém (Atos 6:1-6).  Filipe foi a Samaria; proclamou ali o evangelho, realizou milagres,  e como resultado muitos aceitaram a mensagem e foram batizados ( veja Atos 8.4-13). Logo depois batizou um eunuco da Etiópia e foi "arrebatado" até Asdode, de onde seguiu pregando até Cesareia. Anos mais tarde, morou em Cesareia, onde pregava com suas quatro filhas. Por volta do ano 56d.C. foi visitado por Paulo e Lucas que ficaram por um tempo em sua casa.  A tradição diz que ele residiu em Trales se tornando bispo da Igreja local.  Vamos a o relato mais significativo da vida de Filipe. A história de Filipe e o Etíope.

Atos 8.26-40
26 -  Mas um anjo do Senhor falou a Filipe, dizendo: Lev…