Pular para o conteúdo principal

Prometo que não cumprirei. Salmo 119.106


 Jurei, e o cumprirei, que guardarei os teus justos juízos. Salmo 119.106



Sejamos sinceros, se eu chegar com uma mala  grande , carregada de dinheiro e perguntasse  a você quanto você gostaria de receber para quebrar uma promessa, quanto você pediria? Digamos 100 mil reais, que você acha?Daria para comprar uma casa ... Ou mais, talvez um milhão de reais, daria para comprar tanta coisa... Daria para fazer viagens,  comer em restaurantes caros,  ter móveis luxuosos , conforto, comodidade...
Ahh! Você vai dizer que sua palavra não tem preço e que nada no mundo o faria quebrar uma promessa ? Mas pense em algo como uma promessa de sair no próximo fim de semana com a família para passear ou se comprometer a ouvir um CD recém gravado por aquele seu amigo do peito que canta músicas que você detesta. A primeira pode ser agradável até que você se descubra sem a mínima vontade de acordar no seu sábado de folga às 5 da manhã para viajar. A segunda promessa é notavelmente fácil de ser quebrada. Pode ser fácil, mas não é correto, as pessoas ainda confiam no que falam umas ás outras e não é correto quebrar esta confiança. 

O Salmista afirma que   jurará e ele cumprirá sua promessa, ou seja, ele guardará a Palavra de Deus em sua vida.
É uma promessa importante, maravilhosa, mas que custa muito. É um juramento que fazemos por toda vida.
Quanto vale nosso compromisso? O quanto de esforço fazemos para cumprir nossos votos? Será que estamos realmente empenhados em fazer valer a palavra que damos ou nossa palavra é leviana e nossas promessas vazias, da boca para fora.
Se não temos condições nem vontade de cumprir algo que se nos propõe por que não ter a coragem de se negar a prometer ou a jurar?
Não somos obrigados a prometer nem a jurar. Onde está a nossa honra? Onde está o caráter e a nobreza do cristão?
Um filho que percebe que o pai não cumpre promessas dificilmente voltará a confiar nele. Uma esposa traída , um amigo abandonado , um colega , um parente enganado, qualquer pessoa tem dificuldade de confiar depois de perceber o descuido em cumprir os votos e promessas.
Ninguém, em sã consciência e com um mínimo de caráter,  faz um juramento pensando em quebrá-lo. O problema está é de ser apressado  em comprometer-se, não medir exatamente as consequências do compromisso firmado. Não avaliar corretamente a capacidade ou a vontade de cumrir o acordado.
É necessário que as nossas palavras sejam medidas, pois uma promessa quebrada macula nossa honra . Possuir um caráter honrado é algo que vale muito mais que ouro , prata e bens materiais.
Um cristão honrado , honra a Cristo com sua fidelidade, com sua nobreza e disposição para cumprir acordos e promessas.

Servir e amar nosso Deus é um pacto para toda vida, um pacto que deve ser honrado e respeitado. Deus honrará seu compromisso e nos amará e nos cuidará por toda a eternidade.
Como dissemos no início, com um milhão de reais   você se sentiria tentado a   quebrar uma promessa?

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os Pais capadócios

A região da Capadócia (também conhecida como Província da Capadócia) era localizada na área centro-oriental da Anatólia na moderna Turquia. Era um dos domínios romanos da região da Ásia Menor. Os Pais Capadócios foram três notáveis teólogos que viveram nesta região entre os concílios de Niceia (325) e o de Constantinopla (381). Sendo que suas contribuições para o Concilio constantinopolitano foram especialmente  relevantes. São eles  Basílio, Gregório de Nazianzo e Gregório de Nissa  e ficaram  conhecidos como os  Padres Capadócios.
Os três foram grandes amigos do assim chamado “Campeão da Ortodoxia” Atanásio, ou Atanásio de Alexandria , e criaram fórmulas para desenvolver a doutrina da Trindade de forma a ser aceita pela maioria dos teólogos da época. Basílio de Cesaréia e Gregório de Nissa eram irmãos, sendo que Basílio, que era seis anos mais velho, foi quem ensinou os princípios elementares da fé a seu irmão mais novo Gregório. Gregório de Nazianzo foi amigo íntimo dos dois, compartil…

Trindade Imanente e Trindade Econômica

Não se pode estudar Teologia do ponto de vista ortodoxo sem refletir a respeito da doutrina Trindade. A grande maioria das Igrejas cristãs abraça esta doutrina. Ela é básica para o Cristianismo.  A Declaração típica do credo cristão histórico é: Cremos em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo .
Os judeus do tempo de Jesus davam muita ênfase à unidade de Deus, e esta ênfase foi trazida para dentro da igreja cristã. Não muito tempo depois,  estudiosos da Bíblia notaram que a Unidade ensinada no Judaísmo não era tão evidente assim como se entendia na época. Analisando as afirmações de Cristo e as revelações do apóstolo Paulo chegou-se a conclusão de uma Triunidade, também chamada de  Trindade .
Tertuliano (ca. 160 - ca. 220 d.C.) foi o teólogo responsável pelo desenvolvimento do termo Trindade, ele criou a palavra “Trindade” (no latim, Trinitas), esse termo desde a sua época tornou-se característico da teologia cristã. Muitos teólogos do cristi…

A Importância da Reforma nos nossos dias

A Importância da Reforma nos nossos dias

Olá irmãos em Cristo. Estamos em clima de festa, pois no dia 31 de outubro comemoramos o aniversário da Reforma Protestante. E a convite do meu amigo Vitor, estou aqui para fazer um breve texto sobre a importância da Reforma nos nossos dias atuais.
Pouco se ouve falar da Reforma nos nossos dias atuais. A mídia tenta encobrir essa data com o Halloween, e as escolas quando falam sobre o assunto, na maioria dos casos, coloca os reformadores como os “vilões” da história.
A Reforma começou na Alemanha, no ano de 1517, quando o então cardeal da Igreja Católica Martinho Lutero se opôs a algumas regras e normas impostas pela Igreja Católica, como as indulgências, proibição de qualquer pessoa ler a Bíblia, o uso de imagens de santos nos cultos etc. E então, no dia 31 de outubro de 1517, Lutero coloca na parede da Catedral de Wittenberg as suas 95 Teses. E nessas teses, Lutero coloca suas oposições à grande parte daquilo que o catolicismo pregava, propagand…