Pular para o conteúdo principal

Os Dois Cestos . Exposição em Jeremias 24


 E disse-me o Senhor: Que vês tu, Jeremias? E eu disse: Figos: os figos bons, muito bons e os ruins, muito ruins, que não se podem comer, de ruins que são. Jeremias 24. 3 



Entre mentes brilhantes, mentes  de espantosa inteligência , pessoas de QI muito elevado, há pessoas infelizes. Muito infelizes. Por quê?


Havia uma nação corrupta, uma nação imoral e injusta, cheia de subornos, intrigas, devassidões e mentiras. Uma sociedade marcada pelo pecado e pela idolatria. Não estamos falando de Sodoma e Gomorra, nem da Assíria, não estamos falando do Egito ou do Líbano. Esta nação depravada era  Judá e a capital deste país pecador é a cidade de Jerusalém.
A terra dos descendentes de Abraão, Moisés e Davi, personagens que marcaram a história bíblica como homens de fé e intimidade com Deus. Os descendentes deles estavam  moral e espiritualmente corrompidos e foram considerados dignos de punição e castigo da parte de Deus.
O castigo foi a seca que havia sido uma das consequências da desobediência de Judá . A visão dos figos lembrava Jeremias disto.
Jeremias , profeta do Senhor recebe uma visão, ele se depara com um cesto de figos.  Deus o interroga:

 "O que você vê Jeremias?" 
ele responde : 
" Vejo um cesto de figos, uns muito  bons , outros ruins, muito ruins."

Deus usa duas cestas de frutas para ilustrar sua mensagem.  Seu povo está dividido em dois estilos de pessoas, duas castas sociais, dois cestos.
A elite, os dirigentes, a classe abastada, sacerdotes, o rei e seus príncipes, esta gente, que todos nós poderíamos pensar que eram parte dos figos melhores, eles de fato faziam parte dos figos ruins.
A gente pobre, o povo simples, os sem instrução  eram parte dos figos bons que seriam poupados.


Os "bons figos" são os que seriam levados para o exílio, em terra estranha. Seria por meio daqueles que  que ocorreria a restauração do povo de Deus.  Até Jesus , nosso Mestre descendeu dentre os que foram levados em exílio.
 Mas a elite intelectual da época seria dizimada. Deus os trata de figos muito ruins, intragáveis, prontos para serem refugados e jogados no lixo. Sua riqueza e seu grande conhecimento intelectual não os salvou nem lhes trouxe felicidade.
Lembro de uma frase dita por um escritor famoso em nossos dias.

"A felicidade em pessoas inteligentes, é das coisas mais raras que conheço." Ernest Hemingway

Eu amplio o pensamento de Hemingway  dizendo que  é a inteligência puramente humana que  não traz felicidade, pois  a sabedoria de Deus nos faz plenamente felizes. A iniquidade nos afasta de Deus e qualquer "inteligência" que nos afaste de Deus é prejudicial. 

A elite judaica estava afastada da intimidade do Senhor, embora estivesse saturada do conhecimento religioso da época. Esse conhecimento os enchia de orgulho e de presunção, mas não os afastava da idolatria, da injustiça, da maldade e da mentira. Era uma casca bela para um fruto podre. Eram  figos e estavam estragados. 
A  espada, a fome e a peste! Ela os consumiria, eles seriam arruinados por seus pecados e por sua falta de arrependimento.

Mas também havia figos bons que Deus preservaria, mesmo que estes figos fossem levados ao exílio, mesmo que fossem retirados de sua amada terra. O Senhor estava comprometido em os amar e os cuidar, por onde  eles fossem. Nos versículos 5-7, Deus promete restaurar os “bons figos”.  Ele promete  dar um  coração para que possam conhecê-Lo melhor. Possam amá-lo melhor e desfrutar da sua bênção.
Por fim os que achavam conhecer a Deus, e se vangloriavam disto, seriam abatidos, mas os que eram pequenos aos seus olhos, o povo simples, que nada sabia da religiosidade, estes seriam povo de Deus e aprenderiam a conhecer o seu salvador. Eram figos bons, Deus disso sabia. Não estavam no cesto dos figos estragados, eram parte de um país estragado mas não eram  pessoas  estragadas.

Há um cesto gigante cheio de homens, muitos deles inteligentes, presunçosos e arrogantes. Homens infelizes. Este cesto está cheio de miséria e de falsidade, há nele muitas pessoas que não conhecem o amor nem a alegria. Hoje Deus tira de dentro desta humanidade caída, deste cesto de corruptos,  homens que lhe agradam, os faz humildes e saudáveis  e os coloca num cesto à parte, para glória do seu nome.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os Pais capadócios

A região da Capadócia (também conhecida como Província da Capadócia) era localizada na área centro-oriental da Anatólia na moderna Turquia. Era um dos domínios romanos da região da Ásia Menor. Os Pais Capadócios foram três notáveis teólogos que viveram nesta região entre os concílios de Niceia (325) e o de Constantinopla (381). Sendo que suas contribuições para o Concilio constantinopolitano foram especialmente  relevantes. São eles  Basílio, Gregório de Nazianzo e Gregório de Nissa  e ficaram  conhecidos como os  Padres Capadócios.
Os três foram grandes amigos do assim chamado “Campeão da Ortodoxia” Atanásio, ou Atanásio de Alexandria , e criaram fórmulas para desenvolver a doutrina da Trindade de forma a ser aceita pela maioria dos teólogos da época. Basílio de Cesaréia e Gregório de Nissa eram irmãos, sendo que Basílio, que era seis anos mais velho, foi quem ensinou os princípios elementares da fé a seu irmão mais novo Gregório. Gregório de Nazianzo foi amigo íntimo dos dois, compartil…

Trindade Imanente e Trindade Econômica

Não se pode estudar Teologia do ponto de vista ortodoxo sem refletir a respeito da doutrina Trindade. A grande maioria das Igrejas cristãs abraça esta doutrina. Ela é básica para o Cristianismo.  A Declaração típica do credo cristão histórico é: Cremos em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo .
Os judeus do tempo de Jesus davam muita ênfase à unidade de Deus, e esta ênfase foi trazida para dentro da igreja cristã. Não muito tempo depois,  estudiosos da Bíblia notaram que a Unidade ensinada no Judaísmo não era tão evidente assim como se entendia na época. Analisando as afirmações de Cristo e as revelações do apóstolo Paulo chegou-se a conclusão de uma Triunidade, também chamada de  Trindade .
Tertuliano (ca. 160 - ca. 220 d.C.) foi o teólogo responsável pelo desenvolvimento do termo Trindade, ele criou a palavra “Trindade” (no latim, Trinitas), esse termo desde a sua época tornou-se característico da teologia cristã. Muitos teólogos do cristi…

A Importância da Reforma nos nossos dias

A Importância da Reforma nos nossos dias

Olá irmãos em Cristo. Estamos em clima de festa, pois no dia 31 de outubro comemoramos o aniversário da Reforma Protestante. E a convite do meu amigo Vitor, estou aqui para fazer um breve texto sobre a importância da Reforma nos nossos dias atuais.
Pouco se ouve falar da Reforma nos nossos dias atuais. A mídia tenta encobrir essa data com o Halloween, e as escolas quando falam sobre o assunto, na maioria dos casos, coloca os reformadores como os “vilões” da história.
A Reforma começou na Alemanha, no ano de 1517, quando o então cardeal da Igreja Católica Martinho Lutero se opôs a algumas regras e normas impostas pela Igreja Católica, como as indulgências, proibição de qualquer pessoa ler a Bíblia, o uso de imagens de santos nos cultos etc. E então, no dia 31 de outubro de 1517, Lutero coloca na parede da Catedral de Wittenberg as suas 95 Teses. E nessas teses, Lutero coloca suas oposições à grande parte daquilo que o catolicismo pregava, propagand…