Pular para o conteúdo principal

As armadilhas .Salmo 119.85

Cavaram uma armadilha contra mim os arrogantes, os que não seguem a tua lei. Salmo 119.85  


O caçador  se coloca na espreita, ele montou a armadilha e está esperando o momento oportuno em que seu engenho funcionará e ele poderá  usufruir de sua caça.
Ele não é um caçador inexperiente, planejou tudo muito bem, verificou se sua presa passava sempre por aquele caminho, examinou as condições climáticas e, principalmente, escolheu a isca adequada. 
Escolher uma boa isca é meio caminho andado para uma boa caça. O bom caçador sabe como são os hábitos alimentares de sua presa . Ele também sabe que quanto mais fome, mais apetite o animal tem e mais ele está suscetível a ser pego por sua armadilha. 
A isca pois ,  é adequada e agrada à sua presa. A fera está faminta, está tudo perfeito para o caçador.
O animal passa , olha a isca, parece saborosa, ele está faminto, então ele corre para saciar sua fome, pega com ânsia a isca e acaba preso pela arapuca. O animal foi pego. Pronto! A caça está terminada e o almoço do caçador garantido.
Os arrogantes também maquinam contra o servo de Deus. Eles estão sempre  preparando armadilhas para os que temem ao Senhor. Sua maldade não conhece limites e, inspirados por Satanás, estão sempre à espreita, esperando o momento certo para que contemplem a derrota e a humilhação do justo. As armadilhas estão postas em seu caminho.
Há muitas armadilhas prontas pra nos derrubar e que estão cuidadosamente escondidas na estrada da nossa vida. É preciso ter sempre cuidado, por que elas estão bem camufladas para que nos possam enganar com perfeição. Os caçadores, os malignos, filhos das trevas andam á nossa espreita procurando atar o laço que nos aniquilará.
Mas as armadilhas não pegam o homem prevenido, note que o salmista percebeu que os seus inimigos haviam cavado uma armadilha para o pegar. Ele percebeu os indícios de uma cilada iminente que poderia lhe custar a vida. Com sensatez ele soube identificar o perigo e desviar seu caminho.
As armadilhas tem algumas coisas em comum. Elas são feitas em lugares com aparência de segurança, para enganarem a presa. Elas são feitas em lugares onde a presa passa com frequência. E  elas são armadas com uma isca adequada , saborosa, para pegar a presa faminta.
O homem também   pode cair  muito  facilmente  se estas armadilhas são feitas em lugares aparentemente seguros, como a casa de amigos,  na Igreja ou no aconchego do seu lar.
Ele também será mais suscetível em lugares em que a pessoa está mais acostumada, que ela frequenta regularmente. Do contrário, é natural que em lugares inusitados e desconhecidos tem-se a tendência a ser mais cuidadoso e precavido.
O perigo é também é iminente quando o  indivíduo está necessitado de algo, seja qual for a área da sua vida. Se está desempregado, se está com problemas conjugais, emocionais, se está com dificuldades em controlar sua ira, tudo isso influencia muito na capacidade de analisar uma situação e avaliar os riscos. Há muitas armadilhas nesta vida e as piores e mais perigosas se encontram nas áreas em que temos mais dificuldades de lidar.
Sabendo de tudo isso , é preciso cuidado redobrado com as áreas que enfrentamos problemas, pois é justamente nestas áreas que a isca dos nossos adversários será colocada, e a isca será justamente algo que lhe traga aparente prazer aos apetites.

Faça uma reflexão , de quais armadilhas você poderá ser exposto hoje, quais os perigos que estas armadilhas oferece. Faça como o salmista, cheio do Espírito de Deus ele percebe  o perigo e passa de largo, pois  tememos ao Senhor e não vamos dar ocasião ao nosso adversário.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os Pais capadócios

A região da Capadócia (também conhecida como Província da Capadócia) era localizada na área centro-oriental da Anatólia na moderna Turquia. Era um dos domínios romanos da região da Ásia Menor. Os Pais Capadócios foram três notáveis teólogos que viveram nesta região entre os concílios de Niceia (325) e o de Constantinopla (381). Sendo que suas contribuições para o Concilio constantinopolitano foram especialmente  relevantes. São eles  Basílio, Gregório de Nazianzo e Gregório de Nissa  e ficaram  conhecidos como os  Padres Capadócios.
Os três foram grandes amigos do assim chamado “Campeão da Ortodoxia” Atanásio, ou Atanásio de Alexandria , e criaram fórmulas para desenvolver a doutrina da Trindade de forma a ser aceita pela maioria dos teólogos da época. Basílio de Cesaréia e Gregório de Nissa eram irmãos, sendo que Basílio, que era seis anos mais velho, foi quem ensinou os princípios elementares da fé a seu irmão mais novo Gregório. Gregório de Nazianzo foi amigo íntimo dos dois, compartil…

“Eu te conheci no deserto, em terra muito seca.” (Oseias 13.5.)

O povo de Israel estava sofrendo sobremaneira na terra do Egito e isto já durava 400 anos. Deus  então ouviu o clamor de Israel quando o povo estava na escravidão . Moisés foi usado para libertar o povo. Israel então saiu, livre, para o deserto. Foi ao sair do Egito que eles viram o poder de Deus manifestado. Jamais um povo viu tantas manifestações grandiosas do poder do Altíssimo como Israel na Terra de Faraó. Por dez vezes o povo que os escravizara fora castigado por Deus  de maneira sobrenatural, e Israel viu tudo isso e ficou ileso. Castigos como água transformada em sangue,  plantações destruídas, primogênitos mortos. Mas Israel esteve protegido e não sofreu estas assolações. Mas não foi lá que eles  aprenderam quem era Deus. Foi  na terra seca e inabitável do deserto do Neguev, onde não havia água nem comida e o sol era ardente, que a nação escolhida conheceu ao Senhor. Hoje também, Jesus nos resgatou da maldição do pecado e nos colocou no caminho da vida eterna. Estamos livres e se…

Filipe o Evangelista - Vivendo na Dinâmica do Espírito

Filipe Diácono e Evangelista Filipe foi um evangelista, foi  um dos primeiros seguidores de Jesus e  um dos Setenta Discípulos (Lucas 10) . Junto com Estêvão, era um dos sete “homens acreditados, cheios de espírito e de sabedoria” , escolhidos para a distribuição de alimentos entre as viúvas cristãs em Jerusalém (Atos 6:1-6).  Filipe foi a Samaria; proclamou ali o evangelho, realizou milagres,  e como resultado muitos aceitaram a mensagem e foram batizados ( veja Atos 8.4-13). Logo depois batizou um eunuco da Etiópia e foi "arrebatado" até Asdode, de onde seguiu pregando até Cesareia. Anos mais tarde, morou em Cesareia, onde pregava com suas quatro filhas. Por volta do ano 56d.C. foi visitado por Paulo e Lucas que ficaram por um tempo em sua casa.  A tradição diz que ele residiu em Trales se tornando bispo da Igreja local.  Vamos a o relato mais significativo da vida de Filipe. A história de Filipe e o Etíope.

Atos 8.26-40
26 -  Mas um anjo do Senhor falou a Filipe, dizendo: Lev…