Pular para o conteúdo principal

Respostas que a teologia não pode e não deve dar

Dentro do estudo da coisas de Deus, a chamada teologia, existem pontos que estão logicamente tão distantes um do outro quanto o ocidente está do oriente. Pontos opostos, que nunca se tocam diretamente.


O que é interessante e misterioso nisto  é que estes pontos que não se tocam  diretamente, dada a distância lógica que se encontram , eles  estão ligados por cordas fortíssimas que se mantém tensionadas no máximo e que jamais podem ser rompidas.
Vejamos alguns destes pontos.

A Trindade

Jesus Cristo Deus e Homem.

Soberania de Deus e liberdade humana.

Estes são algumas das mais importantes antinomias da Bíblia. Pontos que não podem ser negados  pois são os  pontos cardeais da nossa fé. Sem estas proposições o cristianismo não existiria.
Apesar de opostos eles estão unidos por  "cordas" indestrutíveis que impedem que se possa negar um ou outro sem abandonar o cristianismo.
Apesar de parecer contraditório, o fato é que estes pontos estão ligados e também estão  separados, unidos mas também estão distanciados. 
Percebam o tamanho da dificuldade. Se forçarmos um lado acabamos diminuindo o outro e assim rebentamos a corda. Desfaz-se nossa teologia e acabamos nos buracos da heresia.
A história está repleta  de exemplos de pessoas que se dedicaram a desfazer esta separação, tentaram juntar os pontos e acabaram por romper a corda que os separava , nestes casos o que sobrou de seus raciocínios foi  inventar seitas e heresias. Tudo por procurar dissolver o mistério em busca de um conhecimento mais perfeito sobre Deus.
Vejam exemplos.

Os Sabelianos negavam que Deus, Jesus e o Espírito fossem pessoas distintas. Romperam a corda que separava (e ligava) os conceitos. 

Os Arianos negavam que houvessem três pessoas na divindade. Para eles , Jesus era 100 por cento homem, mas não era 100 por cento Deus. Arrebentaram a corda que unia divindade e a humanidade de Jesus.

Os Pelagianos diziam que o homem era totalmente livre para escolher pecar ou não, ele era totalmente livre para praticar boas obras e se salvar. Ao forçar a liberdade humana romperam com a soberania divina.

Estes são apenas alguns exemplos, faltaria espaço tratar  sobre os modalistas, os nestorianos, os pneumatomaquianos, entre outros. Hoje há também os adeptos da moderna Teologia do Processo ou Teísmo Aberto que também força para o lado da liberdade humana em detrimento da soberania divina.
Há por outro lado também os que negam a liberdade humana, responsabilizando Deus pela criação do mal, estes são chamados de ultra calvinistas.
Todos estes grupos se achavam no direito de enfraquecer um dos lados da doutrina para defenderem amplamente o outro lado. Na tentativa de explicar o mistério acabaram por abandonar a ortodoxia, a verdade bíblica. Este tipo de coisa  nasce em um coração orgulhoso que pensa que pode explicar tudo sobre o que nem mesmo Deus quis nos revelar.

É preciso que aceitemos   o fato de que existem  limites na nossa compreensão e não temos que romper as cordas que mantem a tensão entre as afirmações bíblicas. Elas estão ali , é preciso reconhecê-las e aceitá-las humildemente. 

Há algumas respostas que a teologia não pode e não deve dar.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os Pais capadócios

A região da Capadócia (também conhecida como Província da Capadócia) era localizada na área centro-oriental da Anatólia na moderna Turquia. Era um dos domínios romanos da região da Ásia Menor. Os Pais Capadócios foram três notáveis teólogos que viveram nesta região entre os concílios de Niceia (325) e o de Constantinopla (381). Sendo que suas contribuições para o Concilio constantinopolitano foram especialmente  relevantes. São eles  Basílio, Gregório de Nazianzo e Gregório de Nissa  e ficaram  conhecidos como os  Padres Capadócios.
Os três foram grandes amigos do assim chamado “Campeão da Ortodoxia” Atanásio, ou Atanásio de Alexandria , e criaram fórmulas para desenvolver a doutrina da Trindade de forma a ser aceita pela maioria dos teólogos da época. Basílio de Cesaréia e Gregório de Nissa eram irmãos, sendo que Basílio, que era seis anos mais velho, foi quem ensinou os princípios elementares da fé a seu irmão mais novo Gregório. Gregório de Nazianzo foi amigo íntimo dos dois, compartil…

“Eu te conheci no deserto, em terra muito seca.” (Oseias 13.5.)

O povo de Israel estava sofrendo sobremaneira na terra do Egito e isto já durava 400 anos. Deus  então ouviu o clamor de Israel quando o povo estava na escravidão . Moisés foi usado para libertar o povo. Israel então saiu, livre, para o deserto. Foi ao sair do Egito que eles viram o poder de Deus manifestado. Jamais um povo viu tantas manifestações grandiosas do poder do Altíssimo como Israel na Terra de Faraó. Por dez vezes o povo que os escravizara fora castigado por Deus  de maneira sobrenatural, e Israel viu tudo isso e ficou ileso. Castigos como água transformada em sangue,  plantações destruídas, primogênitos mortos. Mas Israel esteve protegido e não sofreu estas assolações. Mas não foi lá que eles  aprenderam quem era Deus. Foi  na terra seca e inabitável do deserto do Neguev, onde não havia água nem comida e o sol era ardente, que a nação escolhida conheceu ao Senhor. Hoje também, Jesus nos resgatou da maldição do pecado e nos colocou no caminho da vida eterna. Estamos livres e se…

Filipe o Evangelista - Vivendo na Dinâmica do Espírito

Filipe Diácono e Evangelista Filipe foi um evangelista, foi  um dos primeiros seguidores de Jesus e  um dos Setenta Discípulos (Lucas 10) . Junto com Estêvão, era um dos sete “homens acreditados, cheios de espírito e de sabedoria” , escolhidos para a distribuição de alimentos entre as viúvas cristãs em Jerusalém (Atos 6:1-6).  Filipe foi a Samaria; proclamou ali o evangelho, realizou milagres,  e como resultado muitos aceitaram a mensagem e foram batizados ( veja Atos 8.4-13). Logo depois batizou um eunuco da Etiópia e foi "arrebatado" até Asdode, de onde seguiu pregando até Cesareia. Anos mais tarde, morou em Cesareia, onde pregava com suas quatro filhas. Por volta do ano 56d.C. foi visitado por Paulo e Lucas que ficaram por um tempo em sua casa.  A tradição diz que ele residiu em Trales se tornando bispo da Igreja local.  Vamos a o relato mais significativo da vida de Filipe. A história de Filipe e o Etíope.

Atos 8.26-40
26 -  Mas um anjo do Senhor falou a Filipe, dizendo: Lev…