Pular para o conteúdo principal

Apegado à espada. Salmo 119 .31

Apego-me aos teus testemunhos; ó Senhor, não me permita ser envergonhado. Salmo 119 .31


 Os judeus sempre foram extremamente esmerados    para com a revelação escrita do Senhor, preservando  com bastante cuidado o Antigo Testamento.
No Novo Testamento não foi diferente, Jesus e os discípulos sempre foram  bastante cuidadosos em confirmar o Antigo Testamento como divinamente inspirado.
Por fim, a Igreja Primitiva reconheceu   as palavras  ensinamentos do próprio Cristo , que nos vieram por intermédio apostólico, como palavra genuína de Deus. Os 4 evangelhos, as cartas de Pedro, Tiago , João , Judas  e Paulo e o livro de Atos dos Apóstolos. Assim, com a morte de João , o último apóstolo,  se encerrou a contagem dos 66 livros da Bíblia Sagrada. A Igreja primitiva amava e  cuidava com muito carinho e zelo destes escritos, chegando ao ponto de muitos mártires darem a própria vida para que estes livros pudessem chegar até nós. 

Com o passar do tempo porém , este amor pelas Escrituras diminuiu e as autoridades da Igreja constituída oficialmente começaram  a impedir o acesso das Sagradas Escrituras ao povo comum reservando este acesso somente aos ministros. Além disto a Igreja medieval  ensinava que Bíblia não era a única regra de fé e prática da igreja, pois ela estava  sujeita a interpretação oficial dos oficias da Igreja   , aos Papas e aos Concílios.

  Reforma Protestante   instituiu-se novamente a centralidade das Escrituras na vida da Igreja, o principio chamado de Sola Scriptura, sendo que a Bíblia é, para as igrejas protestantes, a única  e suficiente regra de fé e prática da Igreja. Nada mais deve ser considerado inspirado , infalível e inerrante como a Palavra de Deus. Os reformadores também colocaram a Bíblia na mão do povo, traduzindo para as línguas locais e imprimindo grande quantidade para uso nas capelas e congregações.
  
Porém, milhares de anos antes do protestantismo acontecer o salmista já mostrava o mesmo amor pela Palavra escrita de Deus dos reformadores. Ele se dizia apegado aos testemunhos do Senhor. A ideia original aqui seria:
 Apegado - agarrado com insistência, grudado, colado com firmeza, aferrado por sentimento muito forte. Tenazmente e de maneira indestrutível ligado.

Ele  realmente não podia soltar a Palavra, estava ligado a ela intrinsecamente. Isso me  lembra  a exigência que Paulo   faz a Timóteo , para que ao escolher bispos, escolha homens apegados a Palavra Fiel ( I Tm cap 3).
Se um soldado fosse  mandado para o campo de batalha ele jamais largaria sua espada, de maneira alguma.Ele tomaria banho com ela, almoçaria com ela, dormiria com ela. Ele não estaria seguro sem ela.
Sua mão estaria colada à espada. A certeza da presença da espada  junto a si o  deixaria seguro.

O verdadeiro homem de Deus é apegado à Palavra, ligado a ela por fortes laços de amor, está tão profundamente enraizado nela que é impossível separá-los. Se alguém tentar separá-los não conseguirá, pois ela está   profundamente cimentada, na alma e no coração, onde ninguém pode chegar para tirar.
Sem a Palavra estamos tão inseguros como um solado sem arma em um campo de batalha. Estamos à mercê do inimigo.
Foi com grande amor que os reformadores lutaram para termo o direito de termos esta espada em nossas mãos. Usufruamos deste direito com alegria!

O salmista tem certeza de que não será envergonhado, pois ele tem convicção de estar obedecendo ao Senhor. Ligado a Palavra inseparavelmente.


Comentários

Total de visualizações