Pular para o conteúdo principal

Já! Mas ainda não


Não há um crente , um salvo, um realmente nascido de novo  que não tenha experimentado já um grande desânimo ao enfrentar o pecado em sua própria vida. A história da Igreja está cheia de exemplos de homens de Deus que lutaram a vida toda contra o pecado e que nunca foram completamente livres do pecado e sua influência maligna na nossa vida. Existem inúmeros diários,  agendas e livros deixados por grande homens e mulheres de Deus relatando estas terríveis experiências de luta interior contra a tentação do mal.

Logo ao aceitarmos a Cristo, recebermos o batismo e entrarmos para o corpo de Jesus , a Igreja, a sensação é tão boa e profunda que nos parece que tudo iria melhorar gradativamente em nossa vida até atingirmos uma maturidade excelente como filhos de Deus que nos manteria quase completamente longe das tentações e das inclinações da carne.
Nada mais ingênuo do que pensar assim
Veja o que o Apóstolo Paulo escreveu:

 Acho então esta lei em mim, que, quando quero fazer o bem, o mal está comigo. Porque, segundo o homem interior, tenho prazer na lei de Deus;
Mas vejo nos meus membros outra lei, que batalha contra a lei do meu entendimento, e me prende debaixo da lei do pecado que está nos meus membros.
Miserável homem que eu sou! Quem me livrará do corpo desta morte?
Dou graças a Deus por Jesus Cristo nosso Senhor. Assim que eu mesmo com o entendimento sirvo à lei de Deus, mas com a carne à lei do pecado.
Romanos 7.21-25

Alguns estudiosos da Bíblia comentam que este relato paulino, no capítulo 7 da Carta aos Romanos, se refere à experiência de um homem ainda não convertido. Mas isso não é provável, visto que Paulo termina o capítulo afirmando que serve à Lei de Deus com seu entendimento, isso graças a intervenção de Cristo ( versículo 25), coisa impossível para quem não  está sob a orientação do Espírito Santo.

Este relato bíblico nos mostra o quanto á de tensão em nossa vida espiritual. Vivemos entre o JÁ  e o AINDA NÃO.
Já fomos redimidos do pecado, já estamos libertos da escravidão e da morte espiritual que reinou desde Adão, a separação eterna de Deus.
Já fomos nascidos de novo ao recebermos o espírito de Adoção, o Espírito Santo que nos habilita a sermos reconhecidos como filhos de Deus. Já fomos renovados em nosso homem interior.
Mas Ainda não estamos completamente livres da influência do pecado.
Ainda não estamos com corpo transformado,  Ainda não estamos plenamente santificados. Ainda não cumprimos e temos prazer completo em fazer somente a vontade de Deus.

Existe está terrível tensão espiritual que vai estar conosco enquanto peregrinarmos aqui nesta terra. Está luta não irá abrandar, nosso corpo carnal pecador não se deixará domar. Não nos iludamos, a luta é constante e necessária, é preciso enfrentar o problema do pecado diariamente, ele insiste em nos tentar derrubar.

Há, pois, duas formas de orientar a vida: uma em que o homem se guia segundo as exigências, as apetências e as possibilidades do seu corpo e da sua mente - este é o homem exterior a carne, a palavra grega σαρξ (sarx) significa “carne” (substância externa do corpo vivo, que cobre os ossos e é permeada com sangue); e outra em que o homem entrega a orientação da sua vida ao Espírito Santo – agindo no homem interior,  Pneuma  (pneuma). No mesmo texto de Romanos 8.1 o apóstolo usa a expressão “estar em Cristo”. São esses que não andam segundo a carne (sarx), mas “segundo o Espírito”(Pneuma). “Estar em Cristo” é, em termos práticos, estar convertido a Cristo e ao seu Evangelho, ter comunhão com Ele no Espírito, e estar integrado no Corpo de Cristo, que é a Igreja.   Na verdade, mesmo os melhores cristãos andam repetidamente segundo a carne. Como lembrou Lutero, o cristão é simultaneamente justo (anda segundo o Espírito) e pecador (anda segundo a carne).

Esta tensão não é resolvida nas Escrituras, mas é apenas considerada e esclarecida. Portanto mesmo que estejamos  sempre sofrendo a influência e tentação do mal que ainda habita em nossa carne, devemos nos manter constantemente alerta e jamais nos entregarmos ao erro de maneira deliberada, pois quem age assim mostra que não é realmente nova criatura e não deseja agradar o seu Salvador. Nesse caso a solução é vigiarmos os nossos impulsos malignos. Antes de falar, agir  eu devo parar, respirar e   dizer mentalmente: “Calma, pense um pouco no que você vai  dizer ou fazer. Pense nas consequências, estarei agradando a carne ou a Cristo?”.
Lembremos das palavras de Jesus:
“Vigiai e orai para que não entreis em tentação” Mt 26.41

Ainda Não, mas em breve
Cristo está voltando e que somente então é que todas as coisas serão perfeitamente restauradas
Já estamos salvos, mas ainda não estamos glorificados. Aguardamos para brevemente o retorno de Cristo.  É preciso destacar que quando da volta de Jesus, no arrebatamento, todos os salvos serão transformados em um abrir e fechar de olhos.

Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor.  1 Tessalonicenses 4:17

Sabemos que a construção de uma sociedade com a consequente retirada do mal no mundo será uma realização de Deus por intermédio dos seus anjos (isto é, sem a participação do ser humano) e não ocorrerá nesta vida

Aí sim , neste dia maravilhoso teremos nossos corpos transformados, seremos semelhantes aos anjos do céus,  teremos um corpo não mais sujeito ao pecado e às tentações. Neste novo corpo estaremos perfeitamente para servir e nos alegrar em fazer a vontade perfeita de Deus.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os Pais capadócios

A região da Capadócia (também conhecida como Província da Capadócia) era localizada na área centro-oriental da Anatólia na moderna Turquia. Era um dos domínios romanos da região da Ásia Menor. Os Pais Capadócios foram três notáveis teólogos que viveram nesta região entre os concílios de Niceia (325) e o de Constantinopla (381). Sendo que suas contribuições para o Concilio constantinopolitano foram especialmente  relevantes. São eles  Basílio, Gregório de Nazianzo e Gregório de Nissa  e ficaram  conhecidos como os  Padres Capadócios.
Os três foram grandes amigos do assim chamado “Campeão da Ortodoxia” Atanásio, ou Atanásio de Alexandria , e criaram fórmulas para desenvolver a doutrina da Trindade de forma a ser aceita pela maioria dos teólogos da época. Basílio de Cesaréia e Gregório de Nissa eram irmãos, sendo que Basílio, que era seis anos mais velho, foi quem ensinou os princípios elementares da fé a seu irmão mais novo Gregório. Gregório de Nazianzo foi amigo íntimo dos dois, compartil…

“Eu te conheci no deserto, em terra muito seca.” (Oseias 13.5.)

O povo de Israel estava sofrendo sobremaneira na terra do Egito e isto já durava 400 anos. Deus  então ouviu o clamor de Israel quando o povo estava na escravidão . Moisés foi usado para libertar o povo. Israel então saiu, livre, para o deserto. Foi ao sair do Egito que eles viram o poder de Deus manifestado. Jamais um povo viu tantas manifestações grandiosas do poder do Altíssimo como Israel na Terra de Faraó. Por dez vezes o povo que os escravizara fora castigado por Deus  de maneira sobrenatural, e Israel viu tudo isso e ficou ileso. Castigos como água transformada em sangue,  plantações destruídas, primogênitos mortos. Mas Israel esteve protegido e não sofreu estas assolações. Mas não foi lá que eles  aprenderam quem era Deus. Foi  na terra seca e inabitável do deserto do Neguev, onde não havia água nem comida e o sol era ardente, que a nação escolhida conheceu ao Senhor. Hoje também, Jesus nos resgatou da maldição do pecado e nos colocou no caminho da vida eterna. Estamos livres e se…

Filipe o Evangelista - Vivendo na Dinâmica do Espírito

Filipe Diácono e Evangelista Filipe foi um evangelista, foi  um dos primeiros seguidores de Jesus e  um dos Setenta Discípulos (Lucas 10) . Junto com Estêvão, era um dos sete “homens acreditados, cheios de espírito e de sabedoria” , escolhidos para a distribuição de alimentos entre as viúvas cristãs em Jerusalém (Atos 6:1-6).  Filipe foi a Samaria; proclamou ali o evangelho, realizou milagres,  e como resultado muitos aceitaram a mensagem e foram batizados ( veja Atos 8.4-13). Logo depois batizou um eunuco da Etiópia e foi "arrebatado" até Asdode, de onde seguiu pregando até Cesareia. Anos mais tarde, morou em Cesareia, onde pregava com suas quatro filhas. Por volta do ano 56d.C. foi visitado por Paulo e Lucas que ficaram por um tempo em sua casa.  A tradição diz que ele residiu em Trales se tornando bispo da Igreja local.  Vamos a o relato mais significativo da vida de Filipe. A história de Filipe e o Etíope.

Atos 8.26-40
26 -  Mas um anjo do Senhor falou a Filipe, dizendo: Lev…