Pular para o conteúdo principal

Série História da Igreja - de Atos aos dias modernos

Nesta série vamos fazer um breve resumo da história do Cristianismo.
O Peixe - Um dos  primeiros símbolos do Cristianismo

A história do cristianismo parte do Nascimento de Jesus Cristo passando por seus ensinamentos, morte, ressurreição e ascensão aos céus.  Depois de sua ascensão , começa a chamada Igreja Primitiva com  sucessor de Jesus, Tiago, o Justo, que foi o primeiro líder da Igreja nascente. 
O cristianismo começou a se espalhar inicialmente a partir de Jerusalém, e depois em todo o Oriente Médio,  tornando-se a Igreja Oficial do Império Romano em 380. Tornando-se comum em toda a Europa na Idade Média, ela se expandiu em todo o mundo .
Os maiores ramos do cristianismo são a Igreja Católica Romana, a Igreja Ortodoxa, as Igrejas protestantes.
Vamos analisar  resumidamente alguns pontos marcantes desta História .

Clique nos títulos para mais informações.

Igreja Primitiva

A igreja começou 40 dias depois da ressurreição de Jesus (35 D.C.). com a vinda do Espírito Santo no dia de Pentecostes (Atos 2:1-4).


História do Cristianismo – Primeiras Heresias

A palavra "heresia" provém da expressão grega haíresis, significando ‘escolha’. Portanto, escolher uma postura diferente da assumida por uma doutrina oficial, negar os seus principais dogmas, constitui uma heresia. No início do cristianismo, toda recusa de princípios revelados pelos Evangelhos, foi considerada como herética, tais como a virgindade de Maria, Jesus considerado como Deus e a existência do Espírito Santo .


História do Cristianismo -  Pais da Igreja 

Padres da Igreja, Santos Padres ou Pais da Igreja foram influentes teólogos, professores e mestres cristãos e importantes bispos. Seus trabalhos acadêmicos foram utilizados como precedentes doutrinários para séculos vindouros. Os padres da Igreja são classificados entre o século II e VII.
 O estudo dos escritos dos Padres da Igreja é denominado Patrística.


História do Cristianismo – Perseguição

O primeiro grande desafio da Igreja foram as perseguições. Com o crescimento, o Cristianismo passou a sofrer cada vez mais oposição por parte da sociedade pagã e do próprio Estado. A primeira perseguição contra a Igreja deu-se no ano 67 d.C, sob o domínio de Nero, o sexto imperador de Roma. Ao povo em geral, a Igreja respondeu chamando-o a ver a conduta moral dos cristãos, muito superior à dos pagãos. Aos cultos e letrados, a igreja respondeu através dos Apologistas, Pais da Igreja .  


Religião oficial - Igreja Romana

Então, em 312 D.C., o Imperador Romano Constantino clamou ter se convertido. Mais ou menos 70 anos depois, durante o reino de Teodósio, o Cristianismo se tornou a religião oficial do Império Romano. 

História do Cristianismo -  Concílios

Concílios são instituições tradicionais na vida da Igreja desde os tempos apostólicos, no primeiro os apóstolos reuniram-se em Jerusalém, sob a liderança de Tiago (Atos 13). Enquanto a igreja romana usa a palavra “Concilio” a Igreja Ortodoxa preferiu a palavra “Sínodo”, o mesmo acontecendo com as Igrejas anglicanas e protestantes históricas. Os concílios nasceram da vontade de preservar a unidade da Igreja frente a crises teológicas e disciplinares, os concílios tiveram na elaboração da teologia dogmática e no direito canônico uma função principal. Os mais importantes são os sete primeiros, chamados de ecumênicos ou católicos.


História do Cristianismo – A Idade Média

Durante a Idade Média na Europa, a Igreja Católica Romana continuou a ter poder, com os papas clamando autoridade sobre todas as áreas da vida e vivendo como reis.


História do Cristianismo – O  Cisma do Oriente

O Cisma termo Grande é usado para se referir a dois eventos importantes na história do Cristianismo: a divisão entre o Oriental (Ortodoxa) e (Roman) igrejas ocidentais, e do período (1378-1417) durante o qual a Igreja Ocidental tinha dois primeiros, e depois três, linhas de papas. O cisma é tradicionalmente datado de 1054.


Históriado Cristianismo – A Reforma

Em 1517, o alemão Martinho Lutero confrontou a Igreja, propôs a  Reforma Protestante, e a Idade Média chegou ao fim.

História do Cristianismo – Puritanismo 

O puritanismo surgiu como uma consequência da implantação do protestantismo em Inglaterra, após a ruptura com a Igreja Católica causada pelo divórcio de Henrique VIII com Catarina de Aragão, em 1532. Assim, procurou-se uma sistematização doutrinal e de práticas litúrgicas que rompessem definitivamente com o catolicismo. Este foi o Puritanismo.  


História do Cristianismo - Era das Missões

De 1790 a 1900, a Igreja mostrou um interesse sem precedente em trabalho missionário. Missionários foram enviados ao mundo todo para pregar o evangelho, e muitas igrejas foram estabelecidas.


Históriado Cristianismo – A Igreja Protestante Moderna

A igreja está espalhada pelo mundo, o cristianismo não se resume mais ao Catolicismo e  Igreja Ortodoxa. Hoje existem uma grande variedade de Igrejas espalhadas pelo mundo. Vamos fazer uma breve incursão na história de algumas das principais Igrejas Protestantes do mundo. Os Luteranos,  Presbiterianos, Batistas,  Metodistas, os Anglicanos.


História do Cristianismo – Pentecostalismo

O moderno movimento pentecostal totaliza hoje, segundo cálculos de especialistas, cerca de meio bilhão de adeptos ao redor do mundo. Rigorosamente falando, o pentecostalismo como um fenômeno distinto surgiu nos últimos anos do século 19 ou nos primeiros do século 20. Todavia, por algum tempo ele se manteve relativamente modesto e circunscrito às fronteiras dos Estados Unidos. Seu crescimento vertiginoso e sua difusão internacional ocorreram a partir do famoso Avivamento da Rua Azusa, em Los Angeles, que teve início em abril de 1906.


Históriado Cristianismo -  Neopentecostalismo 

 Os neopentecostais formam um grupo coexistente com os pentecostais, mas com uma identidade distinta. Possuem uma forma  sobrenaturalista de encarar sua vida religiosa, com ênfase na busca de revelações diretas da parte de Deus, de curas milagrosas para doenças e uma intensa batalha espiritual entre forças espirituais do bem e do mal, que afirmam ter consequências diretas em sua vida cotidiana. São, em geral, mais flexíveis e modernas em questões de costumes em relação aos Pentecostais tradicionais.





Fontes

blogcaminhocristao.wordpress.com - Visitado em 20 de Outubro de 2014


ecclesia.com.br - Visitado em 20 de Outubro de 2014


emdefesadagraca.blogspot.com.br - Visitado em 20 de Outubro de 2014


gotquestions.org - Visitado em 20 de Outubro de 2014


igrejamilitante.wordpress.com - Visitado em 19 de Janeiro de 2015


infoescola.com - Visitado em 30 de Outubro de 2014


Monergismo.com - Visitado em 19 de Janeiro de 2015


nerihorta.blogspot.com.br - Visitado em 20 de Outubro de 2014


numinosumteologia.blogspot.com.br - Visitado em 20 de Outubro de 2014


solascriptura-tt.org - Visitado em 20 de Outubro de 2014


vivos.com.br Visitado em 22 de Outubro de 2014


Comentários

  1. Muito bom o seu blog, estive a percorre-lo li alguma coisa, porque espero voltar mais algumas vezes, deu para perceber a sua dedicação em partilhar o seu saber.
    Se me der a honra de visitar e ler algumas coisas no Peregrino e servo ficarei radiante.
    E se gostar e desejar comente.
    Como já estamos perto do Natal, desejo-lhe um Natal Feliz e cheio de paz e saúde.
    Que Deus vos abençõe e guarde.
    António.
    http://peregrinoeservoantoniobatalha.blogspot.pt/

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Os Pais capadócios

A região da Capadócia (também conhecida como Província da Capadócia) era localizada na área centro-oriental da Anatólia na moderna Turquia. Era um dos domínios romanos da região da Ásia Menor. Os Pais Capadócios foram três notáveis teólogos que viveram nesta região entre os concílios de Niceia (325) e o de Constantinopla (381). Sendo que suas contribuições para o Concilio constantinopolitano foram especialmente  relevantes. São eles  Basílio, Gregório de Nazianzo e Gregório de Nissa  e ficaram  conhecidos como os  Padres Capadócios.
Os três foram grandes amigos do assim chamado “Campeão da Ortodoxia” Atanásio, ou Atanásio de Alexandria , e criaram fórmulas para desenvolver a doutrina da Trindade de forma a ser aceita pela maioria dos teólogos da época. Basílio de Cesaréia e Gregório de Nissa eram irmãos, sendo que Basílio, que era seis anos mais velho, foi quem ensinou os princípios elementares da fé a seu irmão mais novo Gregório. Gregório de Nazianzo foi amigo íntimo dos dois, compartil…

“Eu te conheci no deserto, em terra muito seca.” (Oseias 13.5.)

O povo de Israel estava sofrendo sobremaneira na terra do Egito e isto já durava 400 anos. Deus  então ouviu o clamor de Israel quando o povo estava na escravidão . Moisés foi usado para libertar o povo. Israel então saiu, livre, para o deserto. Foi ao sair do Egito que eles viram o poder de Deus manifestado. Jamais um povo viu tantas manifestações grandiosas do poder do Altíssimo como Israel na Terra de Faraó. Por dez vezes o povo que os escravizara fora castigado por Deus  de maneira sobrenatural, e Israel viu tudo isso e ficou ileso. Castigos como água transformada em sangue,  plantações destruídas, primogênitos mortos. Mas Israel esteve protegido e não sofreu estas assolações. Mas não foi lá que eles  aprenderam quem era Deus. Foi  na terra seca e inabitável do deserto do Neguev, onde não havia água nem comida e o sol era ardente, que a nação escolhida conheceu ao Senhor. Hoje também, Jesus nos resgatou da maldição do pecado e nos colocou no caminho da vida eterna. Estamos livres e se…

Filipe o Evangelista - Vivendo na Dinâmica do Espírito

Filipe Diácono e Evangelista Filipe foi um evangelista, foi  um dos primeiros seguidores de Jesus e  um dos Setenta Discípulos (Lucas 10) . Junto com Estêvão, era um dos sete “homens acreditados, cheios de espírito e de sabedoria” , escolhidos para a distribuição de alimentos entre as viúvas cristãs em Jerusalém (Atos 6:1-6).  Filipe foi a Samaria; proclamou ali o evangelho, realizou milagres,  e como resultado muitos aceitaram a mensagem e foram batizados ( veja Atos 8.4-13). Logo depois batizou um eunuco da Etiópia e foi "arrebatado" até Asdode, de onde seguiu pregando até Cesareia. Anos mais tarde, morou em Cesareia, onde pregava com suas quatro filhas. Por volta do ano 56d.C. foi visitado por Paulo e Lucas que ficaram por um tempo em sua casa.  A tradição diz que ele residiu em Trales se tornando bispo da Igreja local.  Vamos a o relato mais significativo da vida de Filipe. A história de Filipe e o Etíope.

Atos 8.26-40
26 -  Mas um anjo do Senhor falou a Filipe, dizendo: Lev…