Pular para o conteúdo principal

Potência não é nada sem Controle.





Abraão é considerado o maior exemplo de fé do Antigo Testamento. O patriarca é reconhecido pela confiança que depositou em Deus e por perseverar em meio às adversidades.
Mas Abrão não foi sempre um homem de fé exemplar. Quando Deus o chamou, estava no meio da idolatria própria dos babilônios.Talvez em nossa ótica pensássemos que ele era alguém de quem Deus  se agradaria , era um idólatra entre  tantos outros.
Mesmo assim aprouve ao Senhor escolher Abrão. Ele lhe  fez uma grande promessa e lhe ordenou que fosse para uma terra desconhecida , terra que Deus lhe mostraria.
Abrão obedece parcialmente,  pois não deixou a sua parentela nem a casa de seu pai, como fora lhe ordenado,  nem tampouco chegou à terra que Deus lhe prometera dar.
Abrão, desobedecendo ao Senhor,  leva consigo seu sobrinho Ló, seu pai Terá, que não faziam parte do plano divino, além de sua esposa, esta sim parte da promessa e servos.
Ao chegarem na região de Harã, morre o pai de Abrão. Logo depois ocorre uma disputa entre os servos de Ló e os de Abrão e sobrinho e tio se separam. O patriarca, agora sim , está como Deus desejava, sozinho com sua esposa , então ele chega em Canaã, a Terra prometida.

Mais tarde, quando Deus diz a Abraão: "À tua descendência darei esta terra" (Gên. 12:7), não diz que ele tenha crido em Deus.Ele ainda estava um pouco desconfiado, receoso. A fé de Abrão ainda não estava despertada.
Pouco depois, ele  passa de largo em sua chamada, pois vai ao Egito.
Era para permanecer em Canaã, mas no Egito ele mente a Faraó, expõe vergonhosamente a sua esposa ("para que me vá bem por tua causa"), e depois de ser  corrigido por Deus,  Abraão volta para o lugar da bênção.

Há ainda mais um percalço pelo caminho, Ló  seu sobrinho, é levado cativo pelo exército dos reis de uma cidade vizinha. Deus  respalda Abraão generosamente no episódio  em que ele,  vence 4 Reis para resgatar seu sobrinho.
Só depois disto, e de ter recebido a bênção de Melquisedeque, Sacerdote e Rei de Salém, Abraão recebe o dom da justiça de Deus: Ocorre uma mudança em Abraão. Aí o homem se torna realmente o homem da Promessa.

Então o levou fora, e disse: Olha agora para os céus, e conta às estrelas, se as podes contar. E disse-lhe: Assim será a tua descendência.
E creu ele no Senhor, e imputou-lhe isto por justiça. (Gênesis 15.5-6)

Depois disto Deus faz um pacto. Um pacto com sacrifício. Um pacto em que Deus se compromete em abençoar  Abraão. Um compromisso unilateral. É uma aliança que não depende da fraqueza humana, mas da graça divina.
A aliança é confirmada e ampliada diversas vezes (caps. 13, 15, 17 e 22).  Nenhuma vez as promessas adicionadas se condicionam a fé de Abraão ou de sua descendência.  São parte de uma aliança incondicional.

E disse-lhe: Toma-me uma bezerra de três anos, e uma cabra de três anos, e um carneiro de três anos, uma rola e um pombinho.
E trouxe-lhe todos estes, e partiu-os pelo meio, e pôs cada parte deles em frente da outra; mas as aves não partiu.(Gênesis 15:9-10)
E sucedeu que, posto o sol, houve escuridão, e eis um forno de fumaça, e uma tocha de fogo, que passou por aquelas metades.(Gênesis 15:17)

 A visão de Deus se submetendo a juramento é terrível e profunda. Ele sabia que Deus era poderoso para cumprir. Mas não sabia que Deus era poderoso para fazê-lo SOZINHO.
Deus não estava preocupado com as fraquezas de Abraão, ele era capaz de cumprir sua promessa independente disto.
Assim é como chegamos ao ponto chave na vida de Abraão.

Deus não depende de ninguém pra cumprir suas promessas. A verdadeira fé baseia-se inteiramente na bondade e fidelidade divina. Nós apenas cremos e aceitamos que o plano divino se cumpra em nossa vida. Abraão percebeu isto, creu, e recebeu a fé e o poder da fé.

Então Deus lhe fala, e, pela primeira vez os ouvidos espirituais de Abraão se abrem verdadeiramente à palavra de Deus, e ouviu com fé, e esta fé lhe foi contada por justiça. Ele entendeu sua incapacidade de cumprir sua parte na Aliança,  mas creu que Deus era poderoso para providenciar um meio de conceder o que havia prometido apesar de tudo.
Depois disto Deus ainda prova Abraão e ele passa pelos testes e provas e sua fé continua inabalável. Mesmo no episódio onde o Senhor pede Isaque, ele ainda olha para Deus e sabe que Deus proverá a solução na hora certa.

Fé não é nada, se não for direcionada ao Senhor. A fé é um poder ilimitado que Deus concede a todos os  que confiam nEle, e somente nEle.
 O Poder da fé não é nada  se não houver o direcionamento correto, a a orientação adequada .  Potência não é nada sem controle.
Assim como o Patriarca Abraão precisamos ter uma fé sólida , que confia no Senhor que o encaminhará em direção ao cumprimento de suas promessas. Deus que capacitou  Abraão  com fé para prosseguir na jornada, também nos capacitará para alcançarmos suas promessas.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os Pais capadócios

A região da Capadócia (também conhecida como Província da Capadócia) era localizada na área centro-oriental da Anatólia na moderna Turquia. Era um dos domínios romanos da região da Ásia Menor. Os Pais Capadócios foram três notáveis teólogos que viveram nesta região entre os concílios de Niceia (325) e o de Constantinopla (381). Sendo que suas contribuições para o Concilio constantinopolitano foram especialmente  relevantes. São eles  Basílio, Gregório de Nazianzo e Gregório de Nissa  e ficaram  conhecidos como os  Padres Capadócios.
Os três foram grandes amigos do assim chamado “Campeão da Ortodoxia” Atanásio, ou Atanásio de Alexandria , e criaram fórmulas para desenvolver a doutrina da Trindade de forma a ser aceita pela maioria dos teólogos da época. Basílio de Cesaréia e Gregório de Nissa eram irmãos, sendo que Basílio, que era seis anos mais velho, foi quem ensinou os princípios elementares da fé a seu irmão mais novo Gregório. Gregório de Nazianzo foi amigo íntimo dos dois, compartil…

“Eu te conheci no deserto, em terra muito seca.” (Oseias 13.5.)

O povo de Israel estava sofrendo sobremaneira na terra do Egito e isto já durava 400 anos. Deus  então ouviu o clamor de Israel quando o povo estava na escravidão . Moisés foi usado para libertar o povo. Israel então saiu, livre, para o deserto. Foi ao sair do Egito que eles viram o poder de Deus manifestado. Jamais um povo viu tantas manifestações grandiosas do poder do Altíssimo como Israel na Terra de Faraó. Por dez vezes o povo que os escravizara fora castigado por Deus  de maneira sobrenatural, e Israel viu tudo isso e ficou ileso. Castigos como água transformada em sangue,  plantações destruídas, primogênitos mortos. Mas Israel esteve protegido e não sofreu estas assolações. Mas não foi lá que eles  aprenderam quem era Deus. Foi  na terra seca e inabitável do deserto do Neguev, onde não havia água nem comida e o sol era ardente, que a nação escolhida conheceu ao Senhor. Hoje também, Jesus nos resgatou da maldição do pecado e nos colocou no caminho da vida eterna. Estamos livres e se…

Filipe o Evangelista - Vivendo na Dinâmica do Espírito

Filipe Diácono e Evangelista Filipe foi um evangelista, foi  um dos primeiros seguidores de Jesus e  um dos Setenta Discípulos (Lucas 10) . Junto com Estêvão, era um dos sete “homens acreditados, cheios de espírito e de sabedoria” , escolhidos para a distribuição de alimentos entre as viúvas cristãs em Jerusalém (Atos 6:1-6).  Filipe foi a Samaria; proclamou ali o evangelho, realizou milagres,  e como resultado muitos aceitaram a mensagem e foram batizados ( veja Atos 8.4-13). Logo depois batizou um eunuco da Etiópia e foi "arrebatado" até Asdode, de onde seguiu pregando até Cesareia. Anos mais tarde, morou em Cesareia, onde pregava com suas quatro filhas. Por volta do ano 56d.C. foi visitado por Paulo e Lucas que ficaram por um tempo em sua casa.  A tradição diz que ele residiu em Trales se tornando bispo da Igreja local.  Vamos a o relato mais significativo da vida de Filipe. A história de Filipe e o Etíope.

Atos 8.26-40
26 -  Mas um anjo do Senhor falou a Filipe, dizendo: Lev…