Pular para o conteúdo principal

A fé que inibe o mal


A Fé que inibe o mal

Em qualquer diálogo um pouco mais formal, se formos questionados a respeito de nossa fé a tendência mais forte é expormos ,o mais organizadamente possível, um conjunto de argumentações filosóficas e doutrinárias que teoricamente sustentariam nossa posição. 
E isso não acontece somente para cristãos, qualquer adepto de segmento religioso age desta forma.
É natural tentarmos definir tecnicamente nossas escolhas pessoais e defendê-las acima de tudo. Parece-nos necessário racionalizarmos metodicamente a doutrina em que nos fundamentamos. Porém este não é o melhor método de responder ao questionamento sobre fé, especialmente se tratando do cristianismo, uma religião dinâmica e prática.

Seria muito mais produtivo se expuséssemos de maneira clara e objetiva o significado  o cristianismo que praticamos  na nossa vida cotidiana.
As pessoas precisam saber o quanto nossa vida se modifica quando entendemos o plano de Deus para nós.Seria interessante se nosso modo de viver expressasse nossa fé de tal maneira que atraíssemos pessoas para o evangelho pelo brilho límpido de uma conduta ilibada. A força de nosso testemunho é impressionante.
Um bom testemunho corrobora as palavras da boa doutrina. Por outro lado, um mau testemunho difama e obscurece as palavras desta mesma doutrina.

Na verdade o evangelho genuíno não pode produzir outra coisa senão uma boa conduta na vida de quem o assimila. A fé influencia completamente a visão que temos do mundo, da sociedade e até de nós mesmos. Posso arriscar a dizer , sem medo de exagerar, que somos o retrato de nosso modo de crer.
O mau testemunho advém de pessoas que, muitas vezes falam e ensinam a Verdade, mas não crêem nela de modo substancial, negando deste modo sua essência e vituperando o evangelho de Cristo.
Uma verdade inegável.A fé inibe o mal.
O coração selado pela bendita graça de Jesus fica constrangido diante de uma falha e logo procura corrigir um ato que o evangelho condena.
 O servo fiel ainda conta com a bondade do seu Senhor, pois ELE próprio, Criador ,concede favor à criatura para que se mantenha sólido e firme, mesmo depois de breve vacilo.
Ou seja, como diz o salmista “o Senhor firma os passos do homem bom,e no seu caminho se compraz, se cair não ficará prostrado pois o Senhor o segurará pela mão. “
O pecado é um deslize, não um hábito, na vida de um autêntico cristão.Da mesma forma uma vida dedicada perfeitamente a Jesus deve ser o maior objetivo do servo de Deus.

Então se a fé inibe o mal.A fé estimula o bem.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os Pais capadócios

A região da Capadócia (também conhecida como Província da Capadócia) era localizada na área centro-oriental da Anatólia na moderna Turquia. Era um dos domínios romanos da região da Ásia Menor. Os Pais Capadócios foram três notáveis teólogos que viveram nesta região entre os concílios de Niceia (325) e o de Constantinopla (381). Sendo que suas contribuições para o Concilio constantinopolitano foram especialmente  relevantes. São eles  Basílio, Gregório de Nazianzo e Gregório de Nissa  e ficaram  conhecidos como os  Padres Capadócios.
Os três foram grandes amigos do assim chamado “Campeão da Ortodoxia” Atanásio, ou Atanásio de Alexandria , e criaram fórmulas para desenvolver a doutrina da Trindade de forma a ser aceita pela maioria dos teólogos da época. Basílio de Cesaréia e Gregório de Nissa eram irmãos, sendo que Basílio, que era seis anos mais velho, foi quem ensinou os princípios elementares da fé a seu irmão mais novo Gregório. Gregório de Nazianzo foi amigo íntimo dos dois, compartil…

“Eu te conheci no deserto, em terra muito seca.” (Oseias 13.5.)

O povo de Israel estava sofrendo sobremaneira na terra do Egito e isto já durava 400 anos. Deus  então ouviu o clamor de Israel quando o povo estava na escravidão . Moisés foi usado para libertar o povo. Israel então saiu, livre, para o deserto. Foi ao sair do Egito que eles viram o poder de Deus manifestado. Jamais um povo viu tantas manifestações grandiosas do poder do Altíssimo como Israel na Terra de Faraó. Por dez vezes o povo que os escravizara fora castigado por Deus  de maneira sobrenatural, e Israel viu tudo isso e ficou ileso. Castigos como água transformada em sangue,  plantações destruídas, primogênitos mortos. Mas Israel esteve protegido e não sofreu estas assolações. Mas não foi lá que eles  aprenderam quem era Deus. Foi  na terra seca e inabitável do deserto do Neguev, onde não havia água nem comida e o sol era ardente, que a nação escolhida conheceu ao Senhor. Hoje também, Jesus nos resgatou da maldição do pecado e nos colocou no caminho da vida eterna. Estamos livres e se…

Filipe o Evangelista - Vivendo na Dinâmica do Espírito

Filipe Diácono e Evangelista Filipe foi um evangelista, foi  um dos primeiros seguidores de Jesus e  um dos Setenta Discípulos (Lucas 10) . Junto com Estêvão, era um dos sete “homens acreditados, cheios de espírito e de sabedoria” , escolhidos para a distribuição de alimentos entre as viúvas cristãs em Jerusalém (Atos 6:1-6).  Filipe foi a Samaria; proclamou ali o evangelho, realizou milagres,  e como resultado muitos aceitaram a mensagem e foram batizados ( veja Atos 8.4-13). Logo depois batizou um eunuco da Etiópia e foi "arrebatado" até Asdode, de onde seguiu pregando até Cesareia. Anos mais tarde, morou em Cesareia, onde pregava com suas quatro filhas. Por volta do ano 56d.C. foi visitado por Paulo e Lucas que ficaram por um tempo em sua casa.  A tradição diz que ele residiu em Trales se tornando bispo da Igreja local.  Vamos a o relato mais significativo da vida de Filipe. A história de Filipe e o Etíope.

Atos 8.26-40
26 -  Mas um anjo do Senhor falou a Filipe, dizendo: Lev…